XFC: lutador intensifica fisioterapia para recuperar joelho

Atleta mais experiente do plantel do XFC, Junior Assunção vinha treinando duro enquanto aguardava a oportunidade de disputar o cinturão peso-pena (até 65,7kg) da organização, mas um rompimento do ligamento cruzado do joelho esquerdo vai tirá-lo de ação por até oito meses.

Durante um treino de sparing, Assunção prendeu o pé no tatame e o chute de seu companheiro de treino o acertou em cheio no joelho, que absorveu todo o impacto, obrigando-o a passar pela mesa de cirurgia no início de abril.

Desde então, a rotina é tomada por “treinamento de recuperação”, como ele se refere às sessões diárias de fisioterapia.

O procedimento cirúrgico incluiu enxerto de tecido de cadáver para reconstrução do ligamento do joelho de Junior Assunção, que já apresenta evolução em seu quadro de recuperação e surpreende aos médicos que o operaram.

À custa de duas sessões diárias de fisioterapia, o embaixador do XFC não desanima e já começa a projetar seu retorno ao hexágono.

“Fui muito bem orientado pelos médicos, que me explicaram como seria o procedimento de enxerto de tecidos pré-selecionados de cadáver e que não teria parafuso ou qualquer prejuízo para minha musculatura, como era antigamente.

Nunca tinha realizado nenhuma cirurgia, com uma lesão séria, mas estou totalmente focado nessa recuperação.

Tanto física, com a fisioterapia, quanto psicológica, pensando positivo para o meu retorno.

É desgastante, mas estou determinado a voltar ainda melhor para os treinos”, conta.

A dedicação ao “treinamento de recuperação” é grande e as pequenas conquistas são celebradas.

Ainda sem conseguir contrair totalmente o músculo da perna esquerda, Junior Assunção vibra por já conseguir subir as escadas de sua casa, em Miami, nos Estados Unidos.

“Sabia que seria um período difícil de recuperação, mas determinante para voltar com um rendimento tão bom ou melhor do que antes. Logo depois da cirurgia, comecei a fazer fisioterapia em casa com uma máquina que dobrava meu joelho.

Hoje, faço duas horas de fisioterapia pela manhã, trabalhando os estímulos elétricos, e duas horas à noite, trabalhando fortalecimento muscular, muito importante para não deixar atrofiar o músculo.

Tudo é bem sacrificante, mas faz parte do trabalho.

Já estou sem muletas, posso subir escadas e comecei a fazer bicicleta na academia”, detalha Junior.

Projeção de volta e disputa de cinturão

Mesmo com tão pouco tempo após a cirurgia no joelho, Junior Assunção procura visualizar seu retorno ao hexágono como um mecanismo de estímulo para esse período complicado.

Dono de um cartel de 15 vitórias e cinco derrotas, o lutador de 33 anos planeja retornar ao XFC do lugar onde parou: escalado para a disputa do cinturão dos pesos-penas. Em 2010, o atleta foi campeão pela franquia na categoria dos leves (até 70,3kg), mas depois foi atuar por outras organizações e deixou o título vago.

Ele retornou em 2014, com a chegada do XFC ao Brasil, venceu o costarriquenho Alejandro Mandarina em sua reestreia, no mês de junho, e foi nomeado embaixador do evento.

“Vou fazer 34 anos em junho, mas ainda tenho muita lenha para queimar.

Estou realmente determinado em me recuperar e voltar ao hexágono para disputar esse cinturão dos penas.

Quero ser campeão nas duas categorias e só vou me aposentar quando realizar esse sonho.

Todo esse difícil processo de recuperação da cirurgia é apenas mais um degrau na minha escalada rumo ao título”, finaliza.

O XFC realizou nove edições de sua série de eventos internacionais no Brasil até o momento.

Em 2014, conheceu os primeiros campeões dos torneios, e neste ano já coroou o brasiliense Bruno “Macaco” Azevedo como campeão mundial peso-mosca (até 56,7kg) numa luta eletrizante contra o então favorito Allan “Puro Osso” Nascimento.

A mineira Poliana Botelho foi a primeira campeã da segunda temporada dos torneios da organização, ao nocautear Silvaneide “Marretinha” ainda no primeiro round.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.