Você conhece os sintomas da Incontinência Urinária e como se prevenir?

A acadêmica Sabrina Aparecida de Andrade, do 8º período de Fisioterapia da UNIPAC, explica e dá algumas dicas.

incontinencia-urinaria-aluna

O termo Incontinência Urinária define-se pela dificuldade de segurar a urina, podendo ser um problema bastante constrangedor e muito mais frequente do que as pessoas imaginam. Muitos sentem vontade de ir ao banheiro e têm a necessidade imediata de urinar, ou têm a experiência de que pode perder xixi na roupa se não alcançar o banheiro rapidamente, ou mesmo quando tosse e espirra.

A Incontinência Urinária, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), atinge uma a cada vinte e cinco pessoas. Estima-se, no entanto, que este número pode ser ainda maior devido ao constrangimento, ou ao receio, das pessoas em assumir que esta alteração está ocorrendo em seu cotidiano.

  incontinencia-urinaria-numeros

(Fonte: http://www.blogdasaude.com.br/)

Vários fatores podem agravar ou causar a Incontinência Urinária, como o uso de bebidas alcoólicas, o  hábito de fumar,  o excesso de peso, doenças como diabetes, alterações da próstata, mulheres que tiveram vários partos, crianças com alterações de ordem psico emocional, dentre outras. É de fundamental importância que o paciente – homem, mulher ou criança – procure tratamento o quanto antes, pois quanto maior o tempo da permanência da Incontinência, mais complexa será a abordagem terapêutica.

A boa notícia é que a Incontinência Urinária tem tratamento, como os  exercícios Fisioterapêuticos, a terapia comportamental, o uso de medicamentos – prescritos pelo médico – e em alguns casos, o uso de suportes para sustentar a bexiga e a uretra ou, em situações menos severas, optar por um tratamento com laser. A cirurgia somente é indicada em último caso.

Existem algumas dicas para o tratamento da incontinência urinária, portanto, apenas o profissional  da saúde saberá indicar e prescrever o mais adequado.

Algumas mudanças comportamentais podem e devem ser adotadas diariamente, como o Treinamento da Bexiga, em que o indivíduo programa os horários para urinar, mesmo que não tenha vontade, desta forma ele pode diminuir os episódios de Incontinência Urinária. Primeiro, deve-se começar com intervalos de 1 em 1 hora e, quando nessa hora não tiver nenhum vazamento, ir aumentando gradualmente o tempo até um intervalo de 3 a 4 horas.

Outra dica é contribuir com o funcionamento do Intestino, comendo alimentos ricos em fibras para evitar a prisão de ventre e, assim, diminuir a pressão sobre a bexiga – medida que poderá ser adotada com o auxílio de um nutricionista e favorecerá a diminuição dos episódios de perda urinária. Alguns alimentos, como bebidas com gás, frutas e sucos cítricos, comidas picantes, bebidas alcoólicas e cafeína favorecem a Incontinência Urinária, porque muitos deles estimulam o funcionamento da bexiga. É importante, ainda, saber que não se deve nunca diminuir a ingestão de líquidos, na expectativa de se urinar menos; esta atitude pode causar desidratação. O treinamento da bexiga poderá educar o organismo sem a necessidade da diminuição hídrica diária.

A tosse e o espirro também são grandes causadores da perda involuntária de urina, e evitar o fumo ajuda a  reduzir a tosse e a irritação da bexiga. É preciso também evitar o uso de bebidas alcoólicas e cafeína pois estas substâncias estimulam a bexiga.

Existem vários tipos e classificações da Incontinência Urinária, para os quais o médico e/ou o Fisioterapeuta farão o diagnóstico e, assim, o paciente poderá realizar o tratamento adequado e de sucesso.

A perda de peso através de uma alimentação saudável e da prática de exercícios físicos será de grande auxílio no tratamento da Incontinência Urinária, à exceção daquela de Esforço, em que se tem a perda de urina ao realizar esforços. Neste caso, há a necessidade de uma orientação maior para que a perda da urina não aconteça ao realizá-los e, desta maneira, evitar a modificação ou a diminuição da intensidade na atividade habitual. Os exercícios Fisioterapêuticos serão o grande aliado e terão grande sucesso.

O odor de urina, por muitas vezes, afeta os que convivem com a pessoa que sofre de incontinência; muitas vezes a pessoa não sente o cheiro, ou sente e tem vergonha de falar sobre o assunto. O uso de absorventes

diários, fraldas descartáveis ou roupas íntimas especiais para Incontinência Urinária, conseguirão absorver pequenas quantidades de urina, diminuindo também a propensão da pessoa em apresentar micoses, principalmente a candidíase, bem como dermatites e infecções, além de eliminar o odor.

Estas dicas são um complemento do tratamento para incontinência urinária, e ajudam o indivíduo a diminuir seus episódios, reduzindo também o desconforto causado por esta doença e melhorando a qualidade de vida.

 Os exercícios Fisioterapêuticos poderão auxiliar a contração do assoalho pélvico, que é uma das modalidades de maior contribuição para o tratamento da Incontinência Urinária, e pode ser ensinada por um Fisioterapeuta. Caso tenha alguma dúvida procure o Setor de Fisioterapia da UNIPAC Barbacena, na Clínica Escola Vera Tamm de Andrada pelo telefone (32) 3339-4992, oferecemos este tipo de tratamento para a população de Barbacena e região.

incontinencia-urinaria-prevencao

(Fonte: www.blogdasaude.com.br)

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

1 comentário em “Você conhece os sintomas da Incontinência Urinária e como se prevenir?”

  1. estou usando a cueca da Retex pra incontinência urinaria, muito confortável, discreta e da pra lavar e usar de novo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.