UMA CONTRIBUIÇÃO DA PESQUISA BÁSICA NA EVOLUÇÃO DOS ESTUDOS SOBRE REPARO TECIDUAL

Dra. Themis Maria Milan Brochado (MS)

Fisioterapeuta, Doutora em Saúde e Tecnologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília UnB, Especialista Profissional em Fisioterapia Dermatofuncional, Vice-Presidente da Associação Brasileira de Fisioterapia Dermatofuncional.

PALESTRANTE CONFIRMADA

Contextualização: A pesquisa é ferramenta fundamental para construção da evolução técnica e científica, por meio dela edifica-se, adquire-se e mantém-se o conhecimento. Didaticamente são divididas quanto a sua abordagem, que podem ser qualitativas ou quantitativas. Quanto a sua natureza, se divide em básica ou aplicada. Quanto aos seus objetivos, que são exploratórios, descritivos ou explicativos e ainda quanto aos procedimentos, que entre tantos, podemos destacar os experimentais, pesquisa bibliográfica, pesquisa de campo e estudos de caso. A pesquisa básica, também conhecida como pesquisa pura, tem o objetivo de gerar conhecimento que seja útil para a ciência e tecnologia sem necessariamente haver uma aplicação prática. Por esse motivo, muitos estudiosos optam por unir uma pesquisa básica a uma pesquisa experimental por exemplo, que tem como objetivo gerar conhecimento para aplicação prática dirigida à solução de problemas que contém objetivos anteriormente definidos, como foi o caso da pesquisa que abordaremos a seguir.

Desenvolvimento: Dentre as úlceras de membros inferiores, a etiologia venosa é a de maior prevalência, correspondendo aproximadamente entre 80% e 90% das afecções encontradas nessa localização, sendo a insuficiência venosa crônica a principal causa responsável pelo seu aparecimento. O tratamento tópico mais utilizado na rede pública de saúde é a sulfadiazina de prata 1%, porém o número de recidivas em curto espaço de tempo deixa a desejar. A fisioterapia utiliza-se de inúmeros recursos e técnicas já estabelecidas na literatura para promover o processo de reparo tecidual ideal, entretanto, não temos ainda um tratamento que seja efetivo quanto a força de tensão do tecido lesado. Surgiu então a ideia de estudar o efeito do dióxido de carbono no processo de reparo tecidual em úlceras venosas.

Considerações finais: A partir de uma pesquisa básica, desenvolveu-se paralelamente um estudo experimental com análise imunoistoquímica para verificar componentes da matriz extracelular, análise por hematoxilina eosina para quantificar células inflamatórias e picro-sírius red que avaliou colágeno. A complexidade do processo de reparo tecidual exige estudos contastes para elucidar fenômenos que ainda não estão bem descritos na literatura e assim aumentar a segurança de práticas, técnicas e recursos utilizados pela fisioterapia. O resultado desse estudo será discutido na mesa “Contribuições da Pesquisa Básica na Fisioterapia Dermatofuncional e na Fisioterapia em Oncologia”, do bloco “Área Básica e Experimental em Fisioterapia” no XXIII Congresso Brasileiro de Fisioterapia – COBRAF 2020.

Leitura complementar:

Brochado TMM, de Carvalho Schweich L, Di Pietro Simões N, Oliveira RJ, Antoniolli-Silva ACMB.
Carboxytherapy: Controls the inflammation and enhances the production of fibronectin on wound
healing under venous insufficiency. Int Wound J. 2019 Apr;16(2):316-324. doi: 10.1111/iwj.13031.
Doghaim NN, El-Tatawy RA, Neinaa YME, Abd El-Samd MM. Study of the efficacy of carboxytherapy
in alopecia. J Cosmet Dermatol. 2018 Dec;17(6):1275-1285. doi: 10.1111/jocd.12501.
Murohara T, Asahara T, Silver M, Bauters C, Masuda H, Kalka C, Kearney M, Chen D, Symes JF,
Fishman MC, Huang PL, Isner JM. Nitric Oxide synthase modulates angiogenesis in response to
tissue ischemia. J Clin Invest. 1998 Jun 1;101(11):2567-78.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.