Um fato chamou atenção e chocou o mundo esportivo no final de 2013: a lesão do lutador de MMA Anderson Silva, o Spider.

anderson

Ele apresentou Fraturas da Tíbia e Fíbula (ossos da perna) esquerda após um chute fortíssimo que atingiu o joelho do oponente Chris Weidman. A luta foi imediatamente interrompida, o membro de Spider foi imobilizado e o atleta levado a um hospital para realização de um procedimento cirúrgico.

A cirurgia realizada para o tratamento da fratura foi a osteossíntese com uma haste intramedular bloqueada com parafusos, ou seja, através da colocação de um tutor por dentro da tíbia do ex-campeão.

A partir daí surgiram inúmeras dúvidas e perguntas nas cabeças das pessoas e fãs: Quanto tempo demora para “curar” a fratura? O Anderson conseguirá retornar ao esporte? Se voltar a lutar, retornará com o mesmo nível? Quanto tempo demorará para voltar a treinar? E para lutar competitivamente?

Primeiro, é importante salientar que as imagens vistas, apesar de chocantes, não são comuns neste esporte. Existem poucos estudos científicos na literatura sobre este tema, mas um estudo mostrou que as fraturas correspondem somente a 5,7% de todas as lesões do MMA sendo que a maior parte destas fraturas ocorrem nos ossos da mão (metacarpos). Logo, as fraturas da tíbia são eventos pouco comuns neste esporte.

As fraturas da tíbia ,em média, consolidam em 8 a 12 semanas. A utilização da haste intramedular permite que o paciente pise com o membro operado, no limite tolerado pela dor, já nos primeiros dias após a cirurgia. Outras vantagens desta cirurgia são a possibilidade de início imediato da fisioterapia e não necessidade de imobilização (gesso, tala, etc) após a cirurgia.

É importante salientar que o processo de cicatrização do tecido ósseo difere do ocorrido após uma lesão muscular ou ligamentar. Enquanto o músculo/ligamento lesionado passa por um processo de reparação, o osso fraturado cicatriza através de um processo de regeneração. Desta forma, durante o processo de cura de uma lesão muscular/ligamentar ocorre a formação de uma cicatriz no local da lesão, o mesmo não ocorre no processo de consolidação óssea onde o tecido cicatricial é idêntico ao pré-existente.

Desta forma, fica claro que o ex-campeão poderá retornar sem restrições ao esporte após o processo completo de recuperação da lesão. Entretanto, não existem estudos na literatura sobre o tempo necessário para retorno completo as atividades esportivas e nível de competição atingido após tratamento destas fraturas no MMA. Mas levando em conta outro esporte, o futebol, podemos obter algumas informações apesar da enorme diferença entre estes esportes.

Um estudo realizado demonstrou que no futebol, 93,2% dos atletas retornam ao esporte após fraturas da tíbia sendo que, aproximadamente, 75% destes atletas referiram voltar no mesmo nível de competição prévio a lesão. O tempo para retorno aos treinamentos após fraturas da tíbia no futebol foi, na média, de 5 a 6 meses com o atleta retornando a competir oficialmente 10 a 12 meses após a fratura.

Logo, o Spider, caso não decida pela aposentadoria, reúne todas as condições para retornar as lutas já no ano de 2014. Torceremos para que isto aconteça, pois trata-se do maior lutador de MMA de todos os tempos, um verdadeiro fenômeno dos octógonos.

Boa recuperação e que venha mais uma revanche pela frente!!

Sobre o Dr. Gustavo Arliani

Ortopedista formado pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP e especialista em Traumatologia do esporte e Cirurgia do Joelho, também pela UNIFESP. Dr. Gustavo é membro do Centro de Traumatologia do Esporte (CETE).

Dr. Gustavo também é especialista em Ortopedia e Traumatologia pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT. O título de especialista da SBOT dá direito ao profissional ingressar em uma Sociedade de alta relevância e prestígio nacional, formada por competentes ortopedistas e traumatologistas.

Participa constantemente de cursos e congressos no Brasil e no exterior. Sendo membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT), Sociedade Brasileira de Cirurgia de Joelho (SBCJ) eInternational Society of Arthroscopy, Knee Surgery and Orthopaedic Sports Medicine(ISAKOS).

Recentemente o Dr. Gustavo Arliani, Dr. Moisés Cohen e Dr. Diego Astur, lançaram o livro”Classificação em Ortopedia e Traumatologia” – “A ideia de compilar em um livro a grande maioria das classificações de nossa  especialidade surgiu da necessidade de organização e aprendizado de nossos autores, Gustavo e Diego, no decorrer do preparo para a obtenção de título de especialistas pela SBOT. Ao se organizarem para estudar, acabaram produzindo o conteúdo desta obra, a qual seguramente deve ser compartilhada com as gerações futuras”, conclui Dr. Moisés  Cohen.

Além disso, é membro do Comitê Médico da Federação Paulista de Futebol (FPF), Diretor do Centro Médico de Excelência da FIFA da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Preceptor da Residência Médica de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Coordenador do Ambulatório de Lesões por Sobrecarga do Centro de Traumatologia do Esporte (CETE) – UNIFESP, Coordenador da Liga Acadêmica de Ortopedia e Traumatologia do Esporte (LAOTE), Autor de diversos trabalhos científicos nacionais e internacionais, atua também como revisor do periódico CLINICS.

Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/6509085647085311

CRM 124736

www.drgustavoarliani.com.br

Twitter: @DrOrtopedista

Facebook: Gustavo Arliani

Instagram: @ggarliani

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.