TRANSVERSAL

RACIOCÍNIO, DIAGNÓSTICO E INTERVENÇÃO EM FISIOTERAPIA COM BASE NA CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE. A OPORTUNIDADE DE REGISTRAR E AVANÇAR OS PADRÕES INTERNACIONAIS DE QUALIDADE.

Autor

Dr. Daniel Cid Cofré
Kinesiólogo, Mg. en Gestión, Colaborador Grupo Mundial de Funcionamiento y Discapacidad FDRG (WHO-FIC), Especialista en desarrollo infantil y discapacidad. Director centro de capacitación online Capasitium. (www.capasitium.com)
PALESTRANTE CONFIRMADO

Contextualização: Movimentar-se, caminhar e correr são ações complexas de análise da fisioterapia, principalmente de acordo com os parâmetros de deficiência, limitação e/ou restrição no diagnóstico funcional. Isso é essencial para planejar intervenções de acordo com o contexto do paciente em qualquer lugar do mundo. A incerteza é: existe um consenso dessas diferenças conceituais em todo o mundo? O diagnóstico e os planos são registrados adequadamente? O registro na qualidade da assistência desempenha papel fundamental de acordo com o contexto analisado, pois não é o mesmo em hospital ou comunidade, ou considerando o funcionamento humano do trajeto para o trabalho, ou o ato motor dos primeiros passos de uma criança.

Desenvolvimento: A OMS recomenda aos países políticas e estratégias para um atendimento de qualidade aos pacientes, por meio de medidas nas quais os serviços de saúde aumentam a probabilidade de obter os resultados de saúde desejados e correspondam aos conhecimentos profissionais atuais de modo que o atendimento seja eficaz, eficiente, acessível, aceitável, centrado no paciente, equitativo e seguro. Isso requer que a fisioterapia considere todos os fatores funcionais da pessoa e o contexto. A WCPT recomenda um processo que requer raciocínio sobre a resposta funcional do paciente considerando o contexto (Figura 1) e tem incorporado gradualmente o modelo biopsicossocial e a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) como padrão para avançar em uma estrutura conceitual universal. A diversidade de benefícios da nossa profissão, desde processos agudos em pacientes hospitalizados, subagudos em fases de reabilitação e crônicos associados aos diferentes níveis de incapacidade na comunidade, com suas subsequentes ações de inclusão ao longo do ciclo de vida requer a identificação das diferentes abordagens sistêmicas de acordo com as interfaces interprofissionais envolvidas (Figura 1).

Figura 1 – Avaliação contextual – biopsicossocial.

Considerações finais: A relevância do registro com o padrão internacional CIF nos permite organizar as informações do paciente para monitorar e mostrar padrões comparáveis entre os centros. Isso contribui para a geração de pesquisas, padrões, guias, protocolos e recursos alinhados com programas e políticas replicáveis em outros países devido ao uso de terminologia padronizada.

Leitura complementar: WCPT guideline for physical therapy records management: record keeping, storage, retrieval and disposa. 2011, viewed 08 march 2020, from http://www.wcpt.org

Handbook for national quality policy and strategy: a practical approach for developing policy and strategy to improve quality of care. Geneva: World Health Organization; 2018. Available from:
http://apps.who.int/iris/bitstream/handle
/10665/272357/9789241565561-eng.pdf?ua=1

World Health Organization. How to Use the ICF: A Practical Manual for Using the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF). Exposure Draft for Comment. Geneva: WHO; viewed 08 march 2020, from https://www.who.int

Oferecimento

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.