TRADUÇÃO DO CONHECIMENTO NA SAÚDE DA CRIANÇA – O PORTAL DE BOAS PRÁTICAS DO IFF/FIOCRUZ

Dra. Miriam Ribeiro Calheiros de Sá (RJ) Fisioterapeuta; Doutora em Ciências – Área Saúde da Criança pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira – IFF/Fiocruz; Docente do programa de pós- graduação em Saúde Coletiva IFF/Fiocruz; Pesquisadora – linhas de pesquisa: adoecimento crônico na infância e Doenças Desmielizantes na infância e adolescência – IFF/Fiocruz.

Contextualização: Reconhecemos o apoio à disseminação de conhecimento e aprimoramento do cuidado como importante elemento capaz de favorecer o auto desenvolvimento e o aperfeiçoamento contínuo, questões intimamente ligadas à aprendizagem.

As oportunidades ofertadas aos profissionais para o desenvolvimento de habilidades e competências devem ter foco em que todo conhecimento adquirido se reflita nas práticas profissionais, promova melhorias para os usuários do sistema de saúde, assim como transformações, de modo a possibilitar que o conhecimento se dissemine.

A Tradução do Conhecimento (TC) é definida como síntese, intercâmbio e aplicação de novos saberes por pessoas interessadas em acelerar os benefícios da inovação global e local, fortalecendo os sistemas de saúde e a melhoria da saúde da população, tendo como objetivo colocar em prática a melhor evidência disponível para os serviços de saúde, quer seja para planejar os serviços de saúde, averiguar o tratamento mais efetivo para as doenças ou orientar os profissionais de saúde na tomada de decisão no momento do atendimento.

Compreendemos ser importante o desenvolvimento de estruturas que permitam a disseminação do conhecimento, uma vez que diversos estudos apontam para o favorecimento de oportunidades de desenvolvimento, tanto no aspecto pessoal como profissional, quando se oferece acesso aos meios de disseminação do conhecimento. Particularmente aqui, abordamos a questão do conhecimento em saúde.

Baseado nessa premissa, o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, unidade da Fiocruz no Rio de Janeiro e referência para o Ministério da Saúde no que tange as questões de saúde da Mulher e da Criança, desenvolveu o Portal de Boas Práticas Clínicas, que se encontra integrado por instituições de ensino e pesquisa de todo o Brasil.

Desenvolvimento: O Portal está inserido no contexto do papel nacional do IFF: gerar e difundir conhecimento para a implantação de políticas e programas de saúde inerentes as suas atividades, com base no cenário demográfico e epidemiológico e na melhor evidência científica disponível, e tem como objetivos: Disseminar conhecimento visando à melhoria da prática clínica nas áreas da saúde da mulher, da criança e do adolescente; Proporcionar um espaço de debate sobre temas relevantes para prática clínica em uma perspectiva interdisciplinar.

Para tanto, apresenta os seguintes eixos principais: Atenção às Mulheres, Atenção ao Recém- Nascido, Atenção à Criança, que abordam as questões relativas à atenção à saúde da mulher, da criança, oferecendo conteúdo sistematizado por especialistas de todo o Brasil, disponível no formato de postagens; uma agenda de webconferências com especialistas; biblioteca com referências sistematizadas, organizadas e de fácil consulta. Essa biblioteca agrega todo o material do portal, dividido segundo os eixos e organizado conforme os temas dos esquemas síntese. A busca no acervo também poderá ser feita a partir de palavras-chave.

Considerações finais: A Tradução do Conhecimento (TC) é definida como síntese, intercâmbio e aplicação de novos saberes por pessoas interessadas em acelerar os benefícios da inovação global e local, fortalecendo os sistemas de saúde e a melhoria da saúde da população. No entanto, sabemos que existe um grande hiato entre a produção do conhecimento baseado em evidências e a divulgação e adoção dos mesmos na prática clínica. O grande desafio que temos é o de estabelecer pontes entre o que tem sido produzido, enquanto conhecimento, e as melhores práticas em saúde.

Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente – IFF/Fiocruz: Fácil acesso. Diferentes recursos. As melhores evidências. Um olhar multidisciplinar.

www.portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br

Leitura complementar:
SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e aprendizagem. Tradução: Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da Mente. 4. ed. São Paulo, Martins Fontes, 1984

SENGE, P. M. Quinta disciplina: arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. 14. ed. São Paulo, Editora Best Seller, 1990.

FERRAZ, L.; PEREIRA, R. P. G.; PEREIRA, A. M. R. C. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 43, n. spe2, p. 200-216, Nov. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 11042019000600200&lng=en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042019s215.

COSTA, F. A. O. Translação do conhecimento: as evidências científicas como estratégia de aprimoramento da formação continuada dos docentes. 2019. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual de Campinas- Faculdade de Tecnologia, Limeira, SP. 288 p.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.