Sua coluna está preparada para as férias?

Você se preparou o ano inteiro para este período. Regularizou o passaporte, tirou o visto e escolheu o pacote de viagem. O dinheiro para as compras está reservado e as malas foram arrumadas na véspera. Mas na hora do embarque: a surpresa. Você se abaixou pra pegar a mala sem flexionar os joelhos e quando se levantou sentiu uma dor insuportável. Pronto, o tão sonhado descanso pode ter se desfeito num simples movimento e você pode estar trocando os dias de lazer por uma temporada de trabalhos puxados na sala de fisioterapia. “Você pode, neste momento, estar pagando um preço muito alto pelos erros de postura que cometeu ao longo do ano. E não tem jeito, nesses casos o tratamento deve começar imediatamente”, afirma o Dr. Rogério Vidal de Lima, ortopedista, especialista em coluna pelo Hospital das Clinicas de SP. A boa notícia é que você pode evitar esse transtorno e seguir viagem, basta incluir na lista de preparativos alguns cuidados básicos de prevenção contra a dor nas costas.
Comece desde já a mudar hábitos simples. “É preciso fazer um trabalho em cima da postura, consertar hábitos errados, reforçar a musculatura e controlar o peso”, afirma o médico. Adote uma rotina de exercícios para fortalecer a musculatura do tronco. Fazer caminhadas e alongar o corpo ao longo do dia, são medidas simples que dão resultados rápidos quando os primeiros sintomas aparecem, afirma o Dr. Rogério. “Se você se conscientizar que o alongamento é parte da tarefa que você precisa realizar, já terá adotado uma importante medida para prevenir a dor nas costas. Lembrando que o alongamento deve ser feito antes, durante e depois da tarefa”. Na hora da viagem você deve prestar atenção com o peso das malas, bolsas e mochilas, “é fundamental que você flexione os joelhos e distribua o peso pelo corpo para não forçar a coluna”, ensina. Outro cuidado é com o uso de calçados inapropriados, como tênis errado para o tipo da pisada. E você deve estar atento até na hora de ouvir uma informação ou ler algum cartaz, “A pessoa nem percebe, mas é comum nesta hora adotar uma postura errada para ouvir ou ver melhor. A pessoa se entorta tanto que pode ocasionar o problema”.

A dor nas costas

É a partir dos 40 anos que você começa a perceber com mais frequência os efeitos de uma vida inteira de erros de postura, uma herança de maus hábitos na hora de usar o computador, segurar o telefone com o ombro ou até mesmo de se sentar para realizar uma tarefa ou descansar. As dores passam a ser diárias e você já não acha uma posição confortável, é hora de procurar um médico e buscar o tratamento adequado. A dor nas costas é a segunda causa mais frequente de visitas a consultórios médicos e de faltas no trabalho. Só perde para a enxaqueca. Oitenta por cento dos brasileiros vão se queixar de dor nas costas em algum momento da vida, de acordo com pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP). Na maioria das vezes, para resolver o problema não é preciso tomar medidas radicais. O sobrepeso é um fator agravante, que ajuda a piorar os sintomas e dificulta o tratamento, “É como se o indivíduo estivesse carregando uma carga desnecessária, excedente que, certamente, causa complicações e pode levar a problemas crônicos como a artrose, estenose e hérnia de disco”, acrescenta o Dr. Rogério Vidal de Lima. Nos casos mais graves, quando , a deformidade na coluna pressiona a medula e as terminações nervosas, é necessária até mesmo uma intervenção cirúrgica para minimizar as dores. “Coloca-se uma agulha dentro do disco, como se você queimasse aquele disco. Ele diminui de tamanho e para de comprimir a raiz do nervo”, explica o Dr. Rogério. As crianças que se queixam de dores nas costas devem ser levadas imediatamente ao médico para uma avaliação. No caso dos idosos, as dores podem ser indicações de pequenas fraturas na coluna, provocadas pela perda de cálcio. “Aí precisamos avaliar os tratamentos alternativos, como acupuntura e reeducação postural que podem ajudar. Mas, em qualquer caso, vale a regra: buscar orientação médica”, conclui o médico.

Inimigos da coluna

• Postura inadequada durante as atividades físicas.
• Sedentarismo.
• Ganho de peso
• Ergonomia inadequada, no trabalho (mesa e cadeira) e em casa (cozinha, colchão, sofá).
• Colchão e travesseiro inadequados.
• Uso de notebook no colo, mal acomodada na cama, etc.
• Sofás, poltronas e cadeiras com espuma gasta, pois provocam afundamento.
• Banco de carro fundo, embreagem ou pedais muito duros.
• Movimentos repetitivos ou posturas que se mantêm por longos períodos, assim como a sobrecarga da região lombar.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.