SPIRAL TAPING

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A crescente especialização de tarefas seja na fábrica ou escritório, associada à necessidade de aumento de produtividade no contexto de uma economia globalizada, tem aumentado a incidência de doenças ocupacionais, destacadamente os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).
A ocorrência dessas doenças e o aumento da variedade de tarefas nos vários ramos profissionais vêm ocasionando o afastamento do trabalho, sendo prejudicado tanto o trabalhador quanto à empresa.
Inúmeras terapias têm sido aplicadas ao combate dos DORT (tendinites, tenossinovites, cervicalgias, lombalgias , lombociatalgias, entre outras), porém nenhuma 100% eficiente.
A fim de amenizar tais problemas está sendo introduzida nas empresas uma técnica oriental, conhecida por SPIRAL TAPING (ou acupuntura com fitas). A fixação desses adesivos gera estímulos cutâneos sobre os transmissores que são enviados ao cérebro pelas vias sensitivas eferentes. Lá são decodificados e retornam pelas vias motoras aferentes e pelo sistema nervoso autônomo simpático e para-simpático, levando à melhora da circulação energética, linfática e sangüínea e regularização do metabolismo e tônus muscular. Dessa forma, obtem-se o alívio das dores, o relaxamento das tensões musculares, diminuição do edema, e melhora da mobilidade e desempenho nas atividades. Assim, as fitas, de natureza não elástica, são coladas sobre a pele na forma de SPIRAL (fitas estreitas) ou CROSS TAPE (fitas em formas de retículos). Não é utilizado qualquer tipo de medicamento, apenas utiliza-se o esparadrapo comum, aplicado criteriosamente no sentido e local adequado, após uma análise individual.

O Spiral Taping foi inventada pelo Engenheiro e Acumpunturista Nobutaka Tanaka, que ao inaugurar sua clínica de recuperação, logo após sua graduação, Ele observou que atletas com lesões musculares, depois de já tratados, ou não, apresentavam melhora dos sintomas de acordo com a direção que era dada ao enfaixamento da região atingida. Ou melhor, as dores do paciente diminuíam, ou não, se as faixas eram giradas no sentido horário ou anti-horário. Acompanhando o caso de um rapaz com o tornozelo torcido, viu que havia uma diferença na intensidade da dor e da inflamação, dependendo da direção que seu pé era enfaixado. Com a repetição da experiência com outros pacientes, viu que na maioria dos casos, quando a atadura era enrolada a partir da extremidade do membro para o centro do corpo, e girada no sentido à esquerda, além das dores diminuírem, a força muscular aumentava; e se fosse aplicada uma fita adesiva estreita, seguindo o sentido e a direção das faixas, a sensação de mal estar e a tensão muscular eram reduzidas. Depois que compreendeu as regras de equilíbrio muscular do corpo humano, (por exemplo, se o músculo da panturrilha da perna direita estiver contraído, o mesmo músculo do membro esquerdo deverá estar relaxado), passou a estudar a relação entre músculos e articulações e descobriu que existe um ponto na articulação mais próxima, no lado inverso à área da dor, que mantém o equilíbrio da região a ser tratada. Cinco anos mais tarde, o professor Tanaka chegou à conclusão que os mesmos resultados poderiam ser atingidos com a utilização apenas, das fitas adesivas, dispensando-se as ataduras. Assim nascia a Esparadrapoterapia.
A Esparadrapoterapia oferece quatro tipos de efeito: Anti-inflamatório: através da normalização da temperatura local; Analgésico: aliviando a dor pela ação sobre a circulação sangüínea e o sistema nervoso autônomo; Sinergismo muscular regulariza e equilibra o tônus dos grupos agonista, antagonista e sinergista; Equilíbrio energético através da estimulação de pontos de acupuntura com a colagem de fitas.
As suas vantagens em relação às outras terapias consistem nos seguintes itens:
1. Efeito rápido ou imediato (no caso da dor, a mesma é completamente aliviada em 90% dos casos);
2. possibilidade de tratamento curativo de lesões, alívio de sintomas e tensões musculares, sem afastar o paciente do seu posto de trabalho;
3. é uma terapia indolor;
4. não há utilização de medicamentos;
5. pequena possibilidade de efeitos colaterais;
6. duração da terapia rápida: de 15 a 30 minutos, sendo que o paciente fica, no máximo, 3 dias com a fita;
7. número reduzido de sessões até a recuperação completa (observa-se casos de alívio completo da dor aguda após 3 sessões em média, além de resultados positivos em dores crônicas).
A técnica de SPIRAL TAPING é um revolucionário método para tratamento de sintomas, porém não dispensa o tratamento da causa, que consiste em fortalecimento e alongamento, alcançado eficazmente através da ginástica laboral.
Os resultados vêm sendo significativos em empresas e clínicas que adotaram este tratamento, podendo-se destacar: Parmalat, Coca-Cola, Faber Castell e Intelbras.

André de Souza Torres
Acadêmico 2º período de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá

Bibliografia:

Spiral Taping – Basic; Traduzido por Dr. Tadamassa – Spiral Taping do Brasil.

http://www.spiraltape.co.jp/welcome.htm – Spiral Taping do Japão

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.