Síndrome de burnout tende a aumentar no segundo semestre; veja 10 dicas

Novas pesquisas e tecnologias buscam a solução para o problema. Confira abaixo algumas dicas para reduzir a tensão emocional no mundo corporativo

Com a chegada do segundo semestre do ano, a pressão no trabalho tende a aumentar: cobrança sobre as metas, relatórios finais, balanço do semestre, reestruturações e cansaço acumulado dos meses anteriores. A sobrecarga de tarefas neste período pode levar a uma síndrome conhecida como burnout, uma reação ao estresse crônico provocado pela vida profissional, que causa esgotamento emocional e físico e pode levar a depressão, baixa autoestima, agressividade e a uma série de doenças. Segundo estudos da ISMA-BR – International Stress Management Association – a síndrome de burnout afeta 30% da população economicamente ativa no Brasil.

Mesmo quem não desenvolve um quadro clínico de esgotamento, não escapa de sofrer com estresse relacionado à vida profissional. De acordo com pesquisa recente do site CareerBuilder, 77% dos profissionais dizem estar às vezes ou quase sempre à beira de uma ataque de nervos em seus empregos. Com o período mais intenso de trabalho se aproximando, especialista indica alternativas para lidar com a situação.

10 dicas para reduzir o estresse no trabalho

Dica 1. Gerenciamento de tempo

Organizar o tempo ajuda a aliviar as tensões do dia a dia. Planeje tarefas e horários, mas deixe espaço para urgências e pausas durante o expediente. Há uma série de ferramentas de gerenciamento de tempo disponíveis que podem ajudar, como a técnica Pomodoro.

Dica 2. Tenha momentos de prazer

Saia com amigos, vá ao cinema e invista em atividades prazerosas, como um passeio, um curso, um hobby.

Dica 3. A tecnologia pode te ajudar

Uma tecnologia desenvolvida por pesquisadores brasileiros demonstra resultados comprovados na redução do estresse. Apresentado no Congresso ISMA – em 2013, o equipamento de biofeedback cardiovascular chamado cardioEmotion – que utiliza jogos de computador para medir e regular o estresse – foi testado em profissionais de uma mesma empresa em São Paulo. Após três meses de estudo, com treinos diários de 10 a 20 minutos, a prática demonstrou aumento na estabilidade emocional entre os profissionais em 96%, redução de estresse emocional de 44%, melhora nos relacionamentos pessoais e profissionais em 40%. “Estudos mostram que o uso do cardioEmotion é um valioso instrumento complementar-integrativo para redução de estresse e da ansiedade, melhorando a vida profissional e tornando o ambiente corporativo mais agradável”, explica Marco Coghi, pesquisador do NPT – incubada do CIETC – Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia da USP e desenvolvedor da tecnologia.

Dica 4. Exercitar é preciso

A prática regular de atividade física é fundamental para manter uma vida em equilíbrio.

Dica 5. Alguns alimentos ajudam

Alguns nutrientes auxiliam a busca por equilíbrio, como as frutas vermelhas, que protegem o cérebro de radicais livres; cereais integrais, que deixam o sistema nervoso mais saudável, nozes, linhaça, sementes de chia e folhas verdes, que melhoram as atividades cognitivas.

Dica 6. Trabalhe com o que você gosta

Busque áreas em que você tenha mais satisfação em trabalhar, mas não se iluda: todo trabalho possui tarefas enfadonhas. O importante é dar o melhor de si e saber seus limites.

Dica 7. Relaxe

Atividades como yoga e meditação ajudam a ter uma vida mais equilibrada.

Dica 8. Durma bem

Dormir pouco prejudica o aprendizado, a memória, o julgamento e a resolução de problemas. O corpo precisa de sono suficiente para manter a mente saudável.

Dica 9. Saia de casa

Praticar atividades ao ar livre e ter mais contato com a natureza são ótimos aliados para uma vida mais feliz.

Dica 10. Procure ajuda profissional

Se o estresse está crônico e afetando sua vida, não hesite em buscar uma ajuda profissional.

Sobre o cardioEmotion

Pioneiro no Brasil no uso de biofeedback cardiovascular, o cardioEmotion é um programa de computador que mede as respostas fisiológicas do coração e, por meio delas, propõe jogos interativos simples controlados pelos estados mental e emocional. O equipamento é plugado no computador pessoal e um sensor é colocado no dedo ou na orelha para avaliar a variabilidade da frequência cardíaca, medida que representa o intervalo entre duas pulsações consecutivas, chamado de intervalo RR. Estudos mostram que, quando o intervalo RR é sinusal, em forma de uma onda, entra-se em coerência cardíaca, estado em que respiração, frequência cardíaca e pressão arterial estão em sincronia, aumentando a imunidade e regulando alguns hormônios, como o cortisol, conhecido como o hormônio do stress. Utilizando o cardioEmotion, o usuário consegue medir sua coerência cardíaca e realizar treinamentos para alcançá-la. Pesquisadores recomendam a prática diária de 20 minutos como ferramenta complementar-integrativa para ajudar na redução do stress, insônia, ansiedade, hipertensão e depressão.

Como Adquirir

O aparelho funciona em PCs Windows e pode ser adquirido online no (cardioemotion.com.br) ou no televendas pelo número (11) 3039-8314, de seg. a sex., das 8h às 15h. Ele custa 600 Reais à vista e pode ser parcelado em até 12x de 54,80.

O uso do cardioEmotion por Fisioterapeutas

Cardiorrespiratória

Com o treino em coerência cardíaca o fisioterapeuta auxilia na recuperação da capacidade pulmonar de seu paciente, fazendo com que ele chegue ao ponto de melhor oxigenação sanguínea, melhorando as funções do córtex pré-frontal, como raciocínio, clareza mental, redução de estresse e ansiedade do paciente. Treino do músculo do diafragma. O desequilíbrio simpático-vagal leva a várias síndromes relacionadas Asma, fibromialgia, hipertensão, e outros desequilíbrios do SNA, dor. Relaxamento.

Cardiovascular:

O treino em coerência cardíaca é mediado pelo barorreflexo, aumentando a saúde cardiovascular. Treinamento para o aumento do HRV. Redução da hipertensão arterial.

Terapia manual:

Redução de ansiedade, relaxamento (pré e pós sessão), benefícios para massoterapia, desequilíbrios de funções do SNA.

Hospitalar:

Redução de ansiedade, estresse, tensão muscular, aumento da saturação do oxigênio, melhora na resposta do sistema imunológico.

Hidroterapia:

Antes ou após a sessão de hidroterapia, no auxílio do relaxamento.

Geriátrica:

Aplicação na fisioterapia respiratória, cardiovascular, quadros ansiosos e depressivos.

Infantil:

Quadros de asma, melhora na saturação de oxigênio.

Mais informações

http://cardioemotion.com.br

1 comentário em “Síndrome de burnout tende a aumentar no segundo semestre; veja 10 dicas”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.