“Sempre acreditei na educação”, afirma aluna de fisioterapia da UNIARP

Continua após anúncios...

Como vem de uma família humilde, Zelinda sempre batalhou muito e sempre acreditou na educação, por entender que isso abre portas

Zelinda Dias Prestes, tem 47 anos e é natural de Santa Cecília-SC. É mãe de quatro filhos. O mais novo tem nove anos e é adotado. Ela ficou viúva. Seus três filhos mais velhos são egressos da UNIARP, dos cursos de Pedagogia, Engenharia Civil e Administração.

Por isso, decidiu fazer uma graduação e escolheu Fisioterapia. Ela é bolsista de Assistência Social da UNIARP e muito grata pela oportunidade e pelos conhecimentos que vem adquirindo todos os dias.

Antes de ser contemplada com a bolsa de estudos, Zelinda se dedicou ao artesanato para conseguir pagar as primeiras mensalidades. Apesar das dificuldades, ela nunca pensou em desistir. Pelo contrário, está cada vez mais motivada.

Angela Cardoso /Divulgação

“Gosto muito da área da saúde e gosto do serviço voluntário. Sou bombeira voluntária. Enfrentei também alguns problemas de saúde, tive que passar por várias cirurgias mas decidir voltar a estudar e estou aqui. Não posso esperar meus filhos, eu tenho que fazer algo por mim, eu mesma. Casei muito cedo, sempre cuidei da casa, da família e quando perdi meu marido, cai na realidade e quero recuperar o tempo que fiquei parada. Agora é a minha vez. Graças a chance que eu tive, graças a bolsa eu estou estudando”, relata.

Agora é uma nova realidade para Zelinda, que aproveita todo o tempo disponível para estudar, para fazer os trabalhos. “Penso em dar um conforto melhor para meu filho, para minha vida”.

Angela Cardoso /Divulgação

Continua após anúncios...

Fonte: http://jmais.com.br

Uma mensagem: “As pessoas precisam se atualizar, temos que acompanhar a evolução. Nunca é tarde para estudar, para procurar evoluir e crescer na vida. Além de ter uma profissão, isso vai melhorar a autoestima, é uma superação diária. Eu não reclamo de chegar tarde, de estar cansada, eu aproveito muito esta oportunidade. Vejo jovens muito acomodados. Eu não me imagino parada. Quero ser uma grande profissional, na área da Fisioterapia. Quero trabalhar com idosos e tenho planos: quero trabalhar remunerada e meio período quero ser voluntária, quero ajudar pessoas que precisam. É uma forma de retribuir o que recebo hoje, ajudando outras pessoas”.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.