Dr. Rodrigo Ribeiro de Oliveira

Quem é, o que faz |
Presidente da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva – Regional Alagoas no período de 2005-2009, atual Vice-Presidente da SONAFE/BR e diretor administrativo da Associação Brasileira de Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional – ABFITO.
Fez mestrado em Fisioterapia UFPE é estudante de doutorado em ciências morfológicas UFRJ/UFC.
Presidente do V Congresso Brasileiro e III Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva – V Jornada Brasil – Argentina de Fisioterapia Esportiva.


Qual ano e em qual faculdade se formou?
Universidade Estácio de Sá – 2002 em Nova Friburgo-RJ

Qual foi a melhor coisa que fez na vida?
A melhor coisa que fiz em minha vida profissional foi me dedicar a fisioterapia esportiva, visto que, é uma especialidade encantadora e apaixonante. Tenho tentando me dedicar cada vez mais aos estudos que envolvem a Fisioterapia esportiva na promoção de saúde de grupos especiais, hoje, a minha linha de pesquisa está direcionada nas alterações de tendões dos portadores de Diabetes Mellitus. Tenho uma dívida eterna com a fisioterapia esportiva, pois consegui realizar boa parte dos meus sonhos através desta especialidade, inclusive casei com uma fisioterapeuta especialista em Fisioterapia Esportiva.

Qual foi a pior coisa que fez na vida?
Cometi vário erros em minha vida, no entanto, todas as experiências que tive com a fisioterapia foram positivas e me ensinaram muito.

O que você mais gosta na profissão?
As diversas possibilidades terapêuticas que podemos ofertar aos nossos pacientes, o que faz um fisioterapeuta ter um “leque” de atuação quase que inesgotável.

O que você odeia na profissão?
A profissão é perfeita, nós profissionais é que temos nossas limitações e defeitos.

Que qualidade mais admira nos profissionais que te cercam?
A vontade de aprender e ensinar, ética, moral e amor pela fisioterapia, esses são profissionais que tenho como modelo a serem seguidos.

Que qualidade você mais detesta nos profissionais que te cercam?
Profissionais que se acham soberanos e mais importantes que a própria fisioterapia. Estes não gostam da fisioterapia, gostam do que podem tirar proveito dela. Estes eu tenho me afastado.

Qual sua maior virtude?
Dedicação

Qual seu pior defeito?
Ansiedade

Se pudesse mudar algo, o que seria?
Gostaria de ter mais tempo para me dedicar as coisas que gosto e ficar mais perto da família.

Qual maior mentira já contou?
Eu 2003, sai do Rio de Janeiro e fui trabalhar em Maceió/AL dizendo para minha família que voltaria em 15 dias, no entanto, estou morando no Nordeste até hoje.

Qual fato foi mais inusitado em sua carreira?
Enquanto acadêmico, atendi uma senhora de 70 anos que procedeu com ações insistentes e importunas, com pretensões não profissionais. Comuniquei minha superior e deixei de atende-lá.

Qual fato foi o mais cômico?
Trabalhava em um clube de futebol profissional e nele tinha um treinador que era muito supersticioso, então determinou algumas novas normas em nossa rotina, como:
O motorista não podia dar marcha à ré com os atletas dentro do ônibus, não podíamos (incluindo a Comissão técnica) comer frango no dia do jogo e não podíamos gritar “GOL” antes da bola estar definitivamente entre as traves. Segundo ele podíamos mudar o curso da bola. Acho que não deu certo, pois ele foi demitido em pouco tempo.

Qual seu maior arrependimento?
Idolatrei pessoas que não merecem, no entanto, a verdadeira devoção é para a profissão.

Qual dica daria aos colegas?
Acho que vivemos em uma nova época e os profissionais têm que se dedicar a diversas outras coisas para tentarem ser mais completos e diferenciados. Então, leiam tudo, façam amigos verdadeiros, sejam politizados e estudem a história da Fisioterapia e melhorem a relação profissional com seus pacientes.

Qual objeto de desejo?
Meu objeto de desejo é o V Congresso Brasileiro e III Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva – V Jornada Brasil – Argentina de Fisioterapia Esportiva.

Qual sua aquisição mais recente?
Fui no VI fórum de pesquisa e pós graduação da ABRAPG-Ft em Ribeirão Preto, adquiri muito conhecimento e diversos amigos.

Qual seu maior sonho?
Que o governo desenvolva um programa de Saúde Funcional para população brasileira.

Qual seu maior pesadelo?
Ficar longe da minha esposa. Ela faz mestrado no Rio e eu moro em Fortaleza.

Que talento mais gostaria de ter?
Gostaria de ter vocação para música.

Se não fosse fisioterapeuta gostaria de ser o que?
Um Ultrasson, brincadeira. Acho que gostaria de ser biólogo.

E qual profissão jamais queria ter?
Médico Veterinário

Diga um desafio?
No memento será receber todos vocês em Maceió no Congresso da SONAFE 2011.

Um livro?
FISIOTERAPIA NA UFPE – Uma história em três tempos. Livro do Professor Alberto Galvão de Moura Filho, lançado em dezembro de 2010 pela Editora Universitária UFPE na série VOZES DA UFPE.

Quer fazer alguma divulgação?
Maceió 11 a 14 de novembro de 2011, o maior evento da fisioterapia esportiva da América Latina, V Congresso Brasileiro e III Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva – V Jornada Brasil – Argentina

Dr. Rodrigo Ribeiro de Oliveira
rodrigo@ufc.br

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.