Dra. Roberta Struzani

Dra. Roberta Struzani | fisioterapia.roberta@gmail com

Por estar numa área ainda bastante pioneira no Brasil que é a Fisioterapia Sexual eu escrevo artigos e palestro por todo Brasil a dez anos propagando e ensinando mulheres a se auto tratarem, ao mesmo tempo formo colegas fisioterapeutas, para que haja profissionais preparados para darem conta da demanda crescente de pacientes nessa área.

Qual ano e em qual faculdade que se formou?

Me formei em 2006 na Universidade Nove de Julho em São Paulo, minha primeira Pós Graduação na área de especialização foi a Faculdade de Ciências Medicas de Minas Gerais BH e em Sexualidade foi a Unyleya em Psicologia Sexual, entre outras extensões em outras Universidades.

Porque escolheu sua área de atuação?

A principio eu não queria atuar com doença, queria atuar com saúde, e a verdade é que quando você alcança a saúde você da alta. Então procurando encontrei a fisioterapia para gestantes e no parto, com bola suíça, exercícios, meditações, respirações, tudo bem “zen” o que é bem minha cara. Mas como escrevo para revistas, os editores começaram a sugerir pautas de sexualidade que tinha muita procura, e ai comecei a me apaixonar por esse mundo, as pacientes que iam surgindo tinham respostas rápidas e surpreendentes e se transformavam como mulher. Dai não teve jeito me entreguei pra área, mergulhei de cabeça e hoje sou Fisioterapeuta Sexual e Sexóloga alem de outras especialidades dentro da uroginecologia.

Qual foi a melhor coisa que fez na vida? 

Poxa vida são tantos relatos maravilhosos, nessa área o tempo todo transformamos vida. As mulheres que chegam com vaginismo, as vezes já casadas e ainda virgens, uma delas que tenho muito carinho logo em seguida do tratamento que foi um único dia, ficou gravida de um casal de gêmeos. Tem aquelas que param de sentir dor e pela primeira vez sentem prazer com seu parceiro, então passam a ficar mais apaixonadas por ele e por si. O último caso desses porrretas é bem bacana, a paciente que ainda esta comigo hoje, chegou com um quadro severo de endometriose, já fez retirada de um ovário, parte do intestino, não menstruava regular e um fluxo bem baixo, sentia dor todos os dias da vida por onze anos, toda menstruação chegava a desmaiar de cólicas, já não tinha vida e é medica não sabia mais a quem recorrer, na primeira sessão ela já teve hemorragia, menstruou com o uso o eletrodo vaginal, a partir dai menstruou por uma semana normalmente, desde então não sente mais dor nenhuma, nem mesmo cólicas menstruais ela tem, e semana passada nos exames já não apresentou nem mesmo a endometriose, e o seu endométrio já está ficando mais espesso para realizar seu sonho de ser mãe.

Qual foi a pior coisa que fez na vida?

Nunca fiz nada do qual me arrependesse, até mesmo minhas escolhas que hoje não atuo, me abriram portas que me trouxeram onde estou hoje. Sou grata a tudo que fiz e todos os caminhos que fui levada também sou grata, pois cada caminho que passei fui curando mulheres e casais, e digo curar porque quando tratamos corpos, também corrigimos as almas. A autoestima vem de bônus.

Que qualidade mais admira nos profissionais que te cercam?

Determinação e disciplina, excelentes profissionais me cercam e amo e admiro cada um deles. Elza Baracho minha mestra, Silvia Monteiro, Erico Hiroshi meu amigo de toda trajetória, Leandro Lopes, Rafael Santos, Vanessa Rafaela, Marilia Ariede, são amigos de carreira e fisioterapeutas que me ensinam muito.

Que qualidade mais detesta nos profissionais que te cercam?

Falta de companheirismo, e achar que existe concorrência. Somos aliados, unidos somos mais fortes. Embora eu dou muita sorte, só encontro fisioterapeutas que se amam e se ajudam. Não tenho ninguém que eu tenha o que reclamar.

O que você mais gosta na profissão?

O contato humano, calor, essa possibilidade que nossa profissão permite de transmitir colo, acolher, amar o próximo. Eu digo que cada mulher que vem à mim é mais uma filha, eu abraço a causa de cada uma e as transformo por inteira.

O que você odeia na profissão?

Falta de reconhecimento da área médica dentro da Fisioterapia Uro ginecológica e Sexual. Eles mal sabem o que fazemos. Uma paciente pós oncológica, por exemplo, com atrofia vaginal consequente a quimioterapia, eles já não deixam nós tratarmos. Não confiam, não conhecem o nosso trabalho e nem estão abertos a conhecer. É claro que não da pra generalizar, atualmente tenho cinco parceiros Médicos Ginecologistas que confiam muito no meu trabalho e atuamos juntos com as pacientes.

Qual seu maior arrependimento?

Eu sou muito ousada, até na minha profissão eu crio, eu mesclo, vou sempre alem dos meus limites, mas como disse anteriormente não me arrependo de nada. Cada escolha que fiz na vida, me direcionou para os melhores caminhos que eu poderia chegar.

Se pudesse mudar algo, o que seria?

Gostaria de atingir uma massa ainda maior de pessoas, ou conscientizar os profissionais, sobre a importância da sexualidade na qualidade de vida. Deve-se começar por nós fisioterapeutas a mudar o viés sobre sexo, que é muito mais belo e sagrado do que é visto por ai, e esta ai o começo das disfunções sexuais.

Qual seu pior defeito?

Sou teimosa, mas to mudando rs, e luto pra ter mais disciplina e foco, porque se deixar eu abraço o mundo inteiro com meus bracinhos.

Qual maior mentira já contou?

Que eu era perfeita, e que eu não mentia rs.

Qual fato foi mais inusitado em sua carreira?

Gosto muito de dar entrevista na Tv, cada vez que sou chamada para uma entrevista sinto que estou no caminho certo de propagar minhas mensagens pro mundo, e curar mulheres.

Que talento mais gostaria de ter?

De novo: disciplina e foco. Sonho com esse dia. rs

Qual dica daria aos colegas?

Ouse mais, não só acredite em artigos científicos, desconfie de verdades construídas por outros, vá mais além, busque novas verdades, teste novas técnicas, crie o novo. Lembre que não há limite o objetivo e ajudar aquele que confiou em você, portanto dentro desse objetivo, tudo é valido. Mas deixo a ressalva que precisamos sempre de respaldo, para que tudo seja seguro.

Qual seu maior sonho?

Meu sonho já esta sendo realizado, hoje eu vivo um sonho de tudo que construí, e o nome que hoje tenho na minha carreira. Preciso criar um novo sonho rs.

Qual seu maior pesadelo?

Fazer mau pra alguém. Não somos perfeitos, as vezes machucamos sem querer, e não gosto de fazer mau pra ninguém.

Qual objeto de desejo?

Formar um número considerável de Fisioterapeutas nessa mesma área e com o mesmo método e filosofia de vida que eu.

Qual sua aquisição mais recente?

Me formei já faz tempo, cursos sempre faço, e minha carreira esta em constante crescimento. Mas tem várias coisas no forno quase prontas, de fácil acesso para todas e isso é muito bom.

Se não fosse fisioterapeuta gostaria de ser o que?

Terapeuta alternativa, massoterapeuta ou médica ginecologista.

E qual profissão jamais queria ter?

Valorizo todas. Todas as profissões, se existem, é porque tem sua utilidade.

Diga um desafio?

Se superar a cada dia.

Um livro?

O meu rs.

Qual colega você gostaria de ver na próxima entrevista e porque?

Elza Baracho porque foi quem me iniciou nesse caminho, e é linda como ser humano também.

Quer fazer alguma divulgação?

Curso de Extensão Fisioterapia Sexual na FisioBúzios – Primeiro no Brasil, dias 16 e 17 de dezembro agora. Para mais informação clique aqui!

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

2 comentários em “Dra. Roberta Struzani”

  1. Gostei e me identifiquei com tudo que ela disse, desde a infância penso assim, fui amadurecendo isso em minha essência, com leituras, palestras, cursos, tbem amo as terapias alternativas, fisioterapia preventiva, pilates, tai chi, yoga, medicina holística

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.