REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO: POSSIBILIDADE VERSUS REALIDADE

Fisioterapeuta, chegou o Fisio.app | Aplicativo para fisioterapeutas. Baixe agora mesmo em www.fisio.app,

Dra. Ângela Kemel Zanella (RS)
Fisioterapeuta e Educadora Física; Professora Adjunta do curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Pampa – Unipampa, campus Uruguaiana; Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM; Doutora em Gerontologia Biomédica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS.
PALESTRANTE CONFIRMADA

Contextualização: O papel essencial dos diferentes serviços de saúde na promoção do envelhecimento saudável, diz respeito ao cuidado integral aos idosos na oferta de estruturas com diferentes níveis de complexidade, visando o acesso e o acolhimento adequado de acordo com as limitações individuais e proporcionais inerentes a esta população, envolvendo saúde, assistência, cidadania e garantia de direitos (1).

Desenvolvimento: As prioridades relacionadas à atenção à saúde da população idosa representam um desafio para a construção de novas práticas voltadas à prevenção das complicações relacionadas às Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs), bem como práticas educativas que envolvam o indivíduo no processo de tratamento e manutenção de boas condutas em saúde. Para contemplar essas condutas faz-se necessário conhecer as particularidades e consequências naturais do envelhecimento, a fim de organizar os serviços com estratégias que foquem no acompanhamento do idoso e interliguem a baixa, média e alta complexidade, de forma a dinamizar o cuidado (2). Mais do que prestar o atendimento, o acompanhamento desta população é essencial para prevenir e tratar precocemente possíveis condições crônicas, pois interferem negativamente na independência e autonomia do idoso. Para a elaboração e execução de estratégias eficazes nos três níveis de atenção à saúde que visem à prevenção, a promoção e a educação em saúde, além da reabilitação, sugere mudanças na abordagem de atenção à pessoa idosa, especialmente da equipe multiprofissional (3).

Considerações finais: O envelhecimento, embora estudado de forma mais abrangente, ainda apresenta dificuldades na execução efetiva da assistência. O cuidado a saúde do idoso só atenderá as necessidades desta população de forma adequada, quando houver a inserção dos conhecimentos da equipe multiprofissional nos três níveis de atenção à saúde, gerando fluxo organizativo que poderá proporcionar intervenções diversificadas e pautadas na integralidade do indivíduo. Visando prestar uma assistência mais resolutiva, qualificada, humanizada e que promova a independência, a autonomia e a qualidade de vida. Salienta-se que os serviços de saúde já estão instituídos, contudo o fluxo organizacional e a dinâmica operacional ainda precisam ser aperfeiçoados pelas equipes de saúde e gestores competentes.

Referências:

  1. BRITO, Maria da Conceição Coelho Brito et al. Atenção à saúde do idoso: o sistema de referência e contrarreferência nos serviços de saúde. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online [Internet], v. 6, n. 3, p. 1128-1138, 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=505750623025
  2. MITCHELL, Geoffrey K. et al. Factors affecting the embedding of integrated primary-secondary care into a health district. Aust J Prim Health., v. 26, n. 3, p. 216-221, 2020. doi:10.1071/PY18177.
  3. COELHO, Lívia Pereira; MOTTA, Luciana Branco da; CALDAS, Célia Pereira. Rede de atenção ao idoso: fatores facilitadores e barreiras para implementação. Physis., Rio de Janeiro, v. 28, n. 4, e280404, 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312018000400603&lng=pt&nrm=iso>. https://doi.org/10.1590/s0103-73312018280404.

Leitura complementar:

  1. HOFFMANN, Maria Cristina Correa Lopes et al. Diretrizes para o cuidado das pessoas idosas no SUS: proposta de modelo de atenção integral. XXX congresso nacional de secretarias municipais de saúde. Ministério da Saúde. Secretaria de Saúde, p. 25. Maio/2014.
  2. ROCHA, Francisca Cecília Viana et al. Elderly welcoming in primary health care: The user perspective. Revista de Pesquisa: Cuidado é fundamental online, v. 10, n. 3, p. 669-674, 2018. doi: 10.9789/2175-5361.2018.v10i3.669-674

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.