RECRUTAMENTO ALVEOLAR

Fisioterapeuta, chegou o Fisio.app | Aplicativo para fisioterapeutas. Baixe agora mesmo em www.fisio.app

Dr. Pedro Leme Silva (RJ)
Professor Adjunto do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho – IBCCF, da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ

Contextualização: O Recrutamento alveolar se baseia no aumento dinâmico e transiente da pressão transpulmonar (a diferença entre as pressões de via aérea e esofágica) na tentativa de promover a abertura de unidades alveolares previamente não aeradas ou pouco aeradas com a finalidade de que as mesmas possam participar da troca gasosa de maneira efetiva (1). O procedimento em si passou por diversos aperfeiçoamentos ao longo dos anos, com critérios clínicos bem definidos para a sua utilização ou não. É papel do fisioterapeuta na terapia intensiva reconhecer tais critérios e uma vez tendo a indicação clínica para tal é também esperado que o fisioterapeuta saiba aplicar a manobra de recrutamento, assim como monitorar a sua evolução e as possíveis complicações que possam existir. Uma das formas de monitorar se a aplicação da manobra de recrutamento foi eficaz seria através da monitorização da mecânica respiratória, como a pressão de distensão (driving pressure) (2), além da própria oxigenação e níveis de dióxido de carbono. Portanto, o conhecimento de como aplicar a manobra de recrutamento alveolar está intimamente relacionado à capacidade de monitorar diversos parâmetros mecânicos, hemodinâmicos e gasométricos.

Desenvolvimento: Nesta aula, serão debatidos aspectos sobre a evolução dos procedimentos de manobra de recrutamento alveolar, quais são os critérios para sua aplicação, possíveis complicações. O procedimento de manobra de recrutamento alveolar evoluiu desde 1990 até os presentes dias, onde passou a ser aplicada de forma progressiva e gradual ao invés de ser de forma abrupta. Os critérios para a sua aplicação estão mais rígidos cuja indicação tem que estar consonância com a clínica apresentada pelo paciente como estabilidade hemodinâmica, se a lesão pulmonar é de origem pulmonar ou extrapulmonar, história de doença pulmonar pregressa, dentre outros. As complicações mais relatadas estão relacionadas à queda da saturação de oxigênio, hipotensão refratária e pneumotórax. De posse disto, vamos relatar os estudos clínicos mais recentes que empregaram a manobra de recrutamento em diferentes situações clínicas, como: pós-operatório imediato na tentativa de reduzir complicações do pós-operatório (3), obesidade (4) e síndrome do desconforto respiratório agudo de origem pulmonar e extrapulmonar (5). Além disso, vamos comentar sobre o seu emprego em casos recentes de COVID-19.


Considerações finais: O emprego da manobra de recrutamento é um recurso no cenário de terapia intensiva que deve ser discutido com o corpo clínico. O momento de sua aplicação, assim como o tipo de paciente e o grau de lesão pulmonar são ponto críticos para o seu sucesso sem causar eventos adversos. Nesta palestra, vamos comentar sobre esses aspectos em um ambiente de cordialidade a luz das últimas evidências científicas sobre o assunto. Espero encontrá-los nessa interessante e intrigante sessão no Congresso Brasileiro de Fisioterapia! Até lá!

Referências:
⦁ Santos RS, Silva PL, Pelosi P, Rocco PR. Recruitment maneuvers in acute respiratory distress syndrome: The safe way is the best way. World J Crit Care Med. 2015 Nov 4;4(4):278-86. doi: 10.5492/wjccm.v4.i4.278. PMID: 26557478; PMCID: PMC4631873.

⦁ Amato MB, Meade MO, Slutsky AS, Brochard L, Costa EL, Schoenfeld DA, Stewart TE, Briel M, Talmor D, Mercat A, Richard JC, Carvalho CR, Brower RG. Driving pressure and survival in the acute respiratory distress syndrome. N Engl J Med. 2015 Feb 19;372(8):747-55. doi: 10.1056/NEJMsa1410639. PMID: 25693014.

⦁ Lagier D, Fischer F, Fornier W, Huynh TM, Cholley B, Guinard B, Heger B, Quintana G, Villacorta J, Gaillat F, Gomert R, Degirmenci S, Colson P, Lalande M, Benkouiten S, Minh TH, Pozzi M, Collart F, Latremouille C, Vidal Melo MF, Velly LJ, Jaber S, Fellahi JL, Baumstarck K, Guidon C; PROVECS Study Group. Effect of open-lung vs conventional perioperative ventilation strategies on postoperative pulmonary complications after on-pump cardiac surgery: the PROVECS randomized clinical trial. Intensive Care Med. 2019 Oct;45(10):1401-1412. doi: 10.1007/s00134-019-05741-8. Epub 2019 Oct 1. PMID: 31576435.

⦁ Fumagalli J, Santiago RRS, Teggia Droghi M, Zhang C, Fintelmann FJ, Troschel FM, Morais CCA, Amato MBP, Kacmarek RM, Berra L; Lung Rescue Team Investigators. Lung Recruitment in Obese Patients with Acute Respiratory Distress Syndrome. Anesthesiology. 2019 May;130(5):791-803. doi: 10.1097/ALN.0000000000002638. PMID: 30844949.

⦁ Writing Group for the Alveolar Recruitment for Acute Respiratory Distress Syndrome Trial (ART) Investigators, Cavalcanti AB, Suzumura ÉA, Laranjeira LN, Paisani DM, Damiani LP, Guimarães HP, Romano ER, Regenga MM, Taniguchi LNT, Teixeira C, Pinheiro de Oliveira R, Machado FR, Diaz-Quijano FA, Filho MSA, Maia IS, Caser EB, Filho WO, Borges MC, Martins PA, Matsui M, Ospina-Tascón GA, Giancursi TS, Giraldo-Ramirez ND, Vieira SRR, Assef MDGPL, Hasan MS, Szczeklik W, Rios F, Amato MBP, Berwanger O, Ribeiro de Carvalho CR. Effect of Lung Recruitment and Titrated Positive End-Expiratory Pressure (PEEP) vs Low PEEP on Mortality in Patients With Acute Respiratory Distress Syndrome: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2017 Oct 10;318(14):1335-1345. doi: 10.1001/jama.2017.14171. PMID: 28973363; PMCID: PMC5710484.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.