Projeto de fisioterapia ‘Eu Mobilizo’ ajuda a reduzir tempo de internação

Ação propõe atividades terapêuticas progressivas com exercícios de mobilidade para os pacientes

Melhorar a força muscular do paciente, reduzir do tempo de internação na UTI e melhorar a qualidade de vida são alguns dos objetivos do “Eu Mobilizo”, projeto desenvolvido pela equipe de fisioterapeutas da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV).

O projeto tem a função de fazer o paciente se movimentar de forma orientada para diminuir o tempo de internação. Pretende ainda manter e/ou aumentar a força muscular e a função física, incluindo atividades terapêuticas progressivas com exercícios de mobilidade. A evolução de cada um é mostrada em uma placa instalada no leito.

A fisioterapeuta Priscila Cavalcante explica que esse projeto também estimula a equipe a progredir na evolução funcional do paciente. “Após a visita da equipe, traçamos metas para serem alcançadas diariamente, determinando o que cada um necessita naquele momento. Depois, colocamos todos os nossos objetivos no quadro de monitoramento do plano terapêutico e, assim, conseguimos progredir na funcionalidade do paciente durante a sua internação e essa progressão fica marcada na placa ‘Eu Mobilizo’”, diz.

Foto: Ascom / HCGVInternado com insuficiência cardíaca, desde o dia 15 de janeiro, na UTI do Hospital das Clínicas, Divaldo Modesto, diz que o trabalho dos fisioterapeutas é muito importante para o desenvolvimento de sua condição física. “Eu não tinha condições de ficar sentado ou em pé, mas com a ajuda dos fisioterapeutas estou conseguindo fazer as coisas da minha rotina. Sinto-me bem e acolhido pela equipe. Eles realmente estão de parabéns.”, disse o paciente.

A equipe de fisioterapeutas da UTI Adulto da FHCGV é formada por sete fisioterapeutas, que atuam nos turnos da manhã, tarde e noite. Eles executam métodos e técnicas fisioterápicas com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física desses pacientes. Atuam ainda na promoção e recuperação da saúde, desde o pré-operatório cirúrgico, desenvolvendo a educação e conscientização no pós-operatório, até pessoas com o quadro de complexidade mais grave.

“Nós, fisioterapeutas, elaboramos métodos para tornar o tratamento dos pacientes de uma forma eficaz e humanizada, assim, ajudando-o a retornar a sociedade com uma melhora de capacidade funcional, para realizar todas as suas atividades de vida diária” destaca a Priscila.

Fonte: https://agenciapara.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.