Prática de squash fortalece os laços da fisioterapeuta Carolina com a família

Os encontros em família ficaram mais animados para Carolina Penna de Almeida, de 33 anos.
Além de conseguir abandonar os velhos hábitos de uma vida sedentária ao se identificar com o squash, ela começou a praticar o esporte com os irmãos e sobrinhos, que já eram adeptos.
Há cinco anos, a vida social da fisioterapeuta começou a mudar com a formação de novas amizades e o início de um namoro com um profissional da área.
“Meu irmão tem até uma quadra de squash na casa dele, é muito legal.
Une muito a família, meu irmão joga, os filhos dele, a mulher dele também, eu comecei a fazer”,conta Carolina, animada, que começou a namorar com Pedro há três anos. Ele é o atual professor dela de squash.
Eles se conheceram quando Pedro a procurou para cuidar de um problema no ombro.
Depois de um contato profissional, viraram amigos e, pouco mais de um ano depois, começaram a namorar.
Carolina ressalta a importância do companheirismo entre eles. “Um cobra do outro, é um bom incentivo para os dois. Ele não precisa correr, mas vai e me incentiva; me pergunta se vou malhar e eu do mesmo jeito me preocupo com ele.
Incentivo a saúde dele também”, diz ela, informando que Pedro emagreceu 13 quilos.
Logo depois de iniciar no squash em 2010, Carol começou a disputar competições amadoras.
Ela participa da classe 7 com homens e da 6 com mulheres. Para a fisioterapeuta, os torneios servem de estímulo.
“Foi uma empatia grande. Faço squash e participo das competições porque gosto e traz o benefício para minha saúde, não para ser campeã. O objetivo é ganhar de mim mesma. É a mesma coisa do tênis. Não viraria um Federer começando a praticar com quase 30 anos”.
Ela explica que agregou o treinamento funcional e a musculação para melhorar o desempenho no squash.
Além disso, destaca que adotou uma alimentação mais saudável e eliminou oito quilos.
E ao participar dos diversos campeonatos ao longo do ano, Carolina comemora o aumento das amizades.
“No squash não jogamos sozinhos, então cria esse vínculo social. Só no Whatsapp tenho cinco grupos de amigos. Participo de campeonatos, confraternizações, almoços, premiações, vira uma rede muito legal”, destaca.
Neste fim de semana, ela participa da terceira etapa, de um total de nove, do Circuito Mineiro de Squash.
Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.