PESQUISAS ATUAIS APONTAM INDICADORES POSITIVOS DA AÇÃO DA FISIOTERAPIA NA DOENÇA DE ALZHEIMER

Fisioterapeuta, chegou o Fisio.app | Aplicativo para fisioterapeutas. Baixe agora mesmo em www.fisio.app,

Dr. Gustavo Christofoletti (MS) Fisioterapeuta, professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, orientador pelo Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento e líder do grupo de pesquisa UFMS/CNPq “Avaliação e intervenção em Fisioterapia Neurofuncional”. https://orcid.org/0000-0002-7879-239X

Dra. Tayla Borges Lino (MS) Fisioterapeuta, mestranda do curso de Ciências do Movimento da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, pesquisadora do grupo de pesquisa UFMS/CNPq “Avaliação e intervenção em Fisioterapia Neurofuncional”. https://orcid.org/0000- 0002-6188-2639

Contextualização: A visão clássica define a Fisioterapia como a ciência que estuda, diagnostica, previne e recupera pacientes com distúrbios do movimento. Sobre essa definição, na área neurofuncional, uma série de afecções com características eminentemente cognitivas era historicamente pouco abordada por fisioterapeutas. Atualmente esse cenário vem mudando por se reconhecer o impacto de afecções cognitivas sobre o movimento humano. Nesse texto iremos fazer uma busca por artigos de revisões sistemáticas que abordam a temática da ação da Fisioterapia na doença de Alzheimer.

Desenvolvimento: A busca ativa envolveu artigos publicados em revistas científicas indexadas na base de dados PubMed, no período compreendido de 2010 a 2020. Utilizando os termos “physical therapy”, “physiotherapy”, “systematic review” e “Alzheimer’s disease”, os pesquisadores encontraram um total de 32 artigos. Análises individualizadas apontaram para indicadores positivos promovidos pela Fisioterapia nas funções motoras e cognitivas em idosos com doença de Alzheimer. No entanto, as revisões salientam as fragilidades dos ensaios clínicos abordados, por boa parte apresentar amostras pequenas.

Considerações finais: A Fisioterapia deve investir cada vez mais na sua ação como recurso terapêutico essencial no tratamento do idoso com doença de Alzheimer. Estudos atuais comprovam benefícios sobre aspectos motores e cognitivos de idosos.

Leitura complementar:

  1. Zhu XC, Yu Y, Wang HF, Jiang T, Cao L, Wang C et al. Physiotherapy intervention in Alzheimer’s disease: systematic review and meta-analysis. J Alzheimers Dis. 2015;44(1):163-74. doi: 10.3233/JAD-141377.
  2. Perez-Cabezas V, Ruiz-Molinero C, Jimenez-Rejano JJ, Gonzalez-Medina G, Galan-Mercant A, Martin-Valero R. Continuous positive airway pressure treatment in patients with Alzheimer’s disease: A systematic review. J Clin Med. 2020;9(1):181. doi: 10.3390/jcm9010181.
  3. Ströhle A, Schmidt DK, Schultz F, Fricke N, Staden T, Hellweg R et al. Drug and exercise treatment of Alzheimer disease and mild cognitive impairment: A systematic review and meta- analysis of effects on cognition in randomized controlled trials. Am J Geriatr Psychiatry. 2015;23(12):1234-1249. doi: 10.1016/j.jagp.2015.07.007.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.