Parabéns ao colega Dr. Luís Felipe Barboza

O vencedor da corrida Wings For Life do ano passado em Brasília quase alcançou o bicampeonato da prova na Áustria. O fisioterapeuta Luís Felipe Barboza superou o recorde pessoal e alcançou 60,90km na prova realizada no último domingo (06/5), em Viena. O treinador de corrida perdeu para o austríaco Wolfgang Wallner, que venceu a corrida ao percorrer 64,18km.

Com a vitória na prova de 2017, o fisioterapeuta Luís Felipe pôde escolher onde iria correr este ano. A prova é disputada simultaneamente em 66 países. “Escolhi a Áustria porque vi que os resultados dos corredores eram bons aqui em Viena. O clima é favorável e o percurso é plano”, explica Luís. Outro ponto que pensou na hora de selecionar onde iria correr foi o idioma falado no país. Luís fala alemão, língua falada na Áustria, e gostaria de voltar a praticar a língua.
Luís participou pela segunda vez da corrida com o formato diferente de outras provas tradicionais. Sem linha de chegada fixa, quem determina quem ganha a Wings For Life é um carro conhecido como catcher car, que larga 30 minutos depois dos competidores e aumenta a velocidade gradativamente para alcançá-los. O último corredor alcançado pelo carro é o vencedor.

Mesmo sem vencer, Luís bateu algumas metas que propôs a si mesmo. “A primeira delas era bater meu recorde pessoal que fiz na prova da corrida em Brasília”, afirma. Em 2017, o fisioterapeuta percorreu 58,88 e bateu o recorde do país. No entanto, a intenção de vencer a prova novamente ficou para ano que vem. “Por questões de logística, eu cheguei perto da data da prova e não consegui me adaptar ao fuso horário. Isso foi um fator determinante no meu resultado”, analisa.

Nascido em Taguatinga, o fisioterapeuta fez treinos específicos para a prova. “Me dediquei para a prova e cheguei a percorrer mil quilômetros no mês de março com os treinamentos”, conta o corredor, que não esconde a frustação de ter ficado em segundo lugar. “Me dediquei muito e era para ter corrido muito melhor do que eu corri”. Ano que vem, o treinador pretende voltar a Viena ou disputar a prova na Alemanha.

Quinta edição

No Brasil, a quinta edição da corrida, que arrecada fundos para as pesquisas da cura da lesão medular, aconteceu no Rio de Janeiro. O paranaense José Eraldo Lima foi o campeão e quebrou o recorde de Luís ao correr 63,70km.

O campeão global foi o sueco Aron Anderson. Ele venceu pelo segundo ano consecutivo ao percorrer 89.85 km na Flórida. Em 2017, ele fez 92 km. Entre as mulheres, a campeã global foi a portuguesa Vera Nunes, que correu 53,78km, na Alemanha.

Fonte: https://www.df.superesportes.com.br

 

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.