O TREINAMENTO DA MUSCULATURA DO ASSOALHO PÉLVICO FACILITA O PARTO?

Dra. Cristine Homsi Jorge Ferreira (SP)

Professora Associada do Departamento de Ciências da Saúde da FMRP-USP, Editora Associada do “Brazilian Journal of Physical Therapy – BJPT”, Diretora científica ABRAFISM, Delegada chefe representante do Brasil na IOPTPWH-WCPT.

Presidente do 5º COBRAFISM

Contextualização: O treinamento dos músculos do assoalho pélvico (TMAP) é o tratamento de primeira linha da incontinência urinária (IU) não neurogênica em mulheres, mas não há consenso na literatura sobre seu efeito nos resultados do trabalho de parto. Existes hipóteses de que o TMAP poderia facilitar o parto, reduzir o tempo do trabalho de parto, as taxas de laceração perineal e partos instrumentalizados.

Desenvolvimento: Há duas revisões sistemáticas de litratura sobre o tema, uma conduzida por Du et al (2015), com o objetivo de investigar o efeito do TMAP nos resultados do trabalho de parto e parto, e uma revisão sistemática Cochrane conduzida por Woodley et al (2017), que investigou o efeito do TMAP pré e pós-natal na IU e incontinência fecal. Entretanto, os resultados relacionados ao trabalho de parto e parto foram analisados como desfechos secundários na revisão sistemática Cochrane. A revisão de Du et al (2015) concluiu que o TMAP proporcionou uma uma redução de 28 minutos na duração do primeiro estágio e de 10 minutos na duração do segundo estágio do trabalho de parto. Entretanto, segundo a revisão Cochrane apesar de existir a possibilidade do TMAP influenciar os resultados do trabalho de parto e do parto, os estudos disponíveis não respaldam isso.

Considerações finais: Os resultados de revisões sistemáticas precisam ser adequadamente interpretados para permitir uma prática baseada em evidências. Esta apresentação fará uma análise de aspectos relacionados a qualidade metodológica dos ECRC incluídos nas revisões sistemáticas de literatura sobre o tema, e da qualidade das próprias revisões sistemáticas. Há a necessidade de ECRC de alta qualidade metodológica e especificamente delineados para investigar o real efeito do TMAP nas variáveis do trabalho de parto e do parto.

Leitura complementar:
Du Y, Xu L, Ding L, Wang Y, Wang Z. The effect of antenatal pelvic floor muscle training on labor and delivery outcomes: a systematic review with meta-analysis. Int Urogynecol J. 2015 Oct;26(10):1415-27. doi: 10.1007/s00192-015-2654-4.

Woodley SJ, Boyle R, Cody JD, Mørkved S, Hay-Smith EJC. Pelvic floor muscle training for prevention and treatment of urinary and faecal incontinence in antenatal and postnatal women. Cochrane Database Syst Rev. 2017 Dec 22;12:CD007471. doi: 10.1002/14651858.CD007471.pub3.

Dias LA, Driusso P, Aita DL, Quintana SM, Bø K, Ferreira CH. Effect of pelvic floor muscle training on labour and newborn outcomes: a randomized controlled trial. Rev Bras Fisioter. 2011 Nov-Dec;15(6):487-93.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.