O envelhecimento da população – um desafio para a fisioterapia.

OMS divulga pesquisa que revela que até 2030 o número de lesões ocasionadas por quedas será 100% maior.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), em média 30% das pessoas com mais de 65 anos de idade sofrem quedas ao longo do ano, chegando a 42% em pessoas com mais de 70 anos. Um dado alarmante para a população da terceira idade e seus familiares, visto que em alguns casos, estas quedas podem manter os idosos acamados pelo resto das suas vidas.

Além disso, a síndrome pós-queda (muito comum nestes casos) inclui dependência, perda de autonomia, confusão, imobilização e depressão, que levarão a restrições ainda maiores nas atividades diárias.

Só nas últimas décadas, fraturas e lesões de medula aumentaram 131%. Por isso, é importante estar atento as condições em que vivem estes idosos, e embora existam diversos fatores que contribuam para as quedas, é importante mudar alguns hábitos na rotina da casa.

A estatística da OMS ainda prevê que caso não sejam tomadas medidas preventivas no futuro imediato, os números de lesões causadas por quedas será 100% mais alto no ano de 2030.

De acordo com estes dados, o Dr. Rodrigo Peres, Diretor da Central da Fisioterapia, revela que modificar comportamentos de risco contribuirá para que o número de fraturas e lesões em decorrência das quedas diminua. Degraus estreitos, escada escorregadias, tapetes soltos e iluminação insuficiente são os principais vilões dos idosos, que também precisam de atenção redobrado no banheiro, que tem sido o campeão de queda, em virtude do piso molhado.

Deixar o ambiente mais espaçoso, facilitando a locomoção do idoso é um grande passo. Mas, é importante destacar que exercícios que unem força e equilíbrio são grandes aliados na luta contra as quedas. Pensando na prevenção e na diminuição do número de quedas em idosos, Peres indica treinamento especifico através da fisioterapia, uma vez que o fortalecimento muscular adequado favorece a postura e mantem as articulações estáveis, diminuindo o risco de desequilíbrio.

Sobre Dr. Rodrigo Peres – Fisioterapeuta com experiência de mais de 12 anos na área, atuou em clínicas, grandes centros de saúde e especializou-se no atendimento home-care. Com pós-graduação em “Intervenção Fisioterapêutica nas doenças neuromusculares” e “Fisioterapia e bio-mecânica da atividade motora com avaliação e reabilitação”; tornou-se empreendedor e atualmente está na Direção da Central da Fisioterapia, a maior empresa de fisioterapia particular do Brasil, coordenando aproximadamente 300 profissionais, espalhados por cinco capitais e que atuam em diferentes áreas da fisioterapia.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.