Ministério da Saúde convoca fisioterapeutas que atendem home care e podem deixar pacientes de alto risco em casa sem atendimento

Grande maioria dos pacientes de home care é de idosos e de pessoas com deficiência grave que estão no grupo de risco para o Covid-19

Em meio a uma pandemia nunca vivida, algumas ações para lidar com a situação podem comprometer a vida de muitas pessoas que sequer saem de casa. Na tentativa de dar maior suporte aos atendimentos das pessoas com o Covid-19, o Ministério da Saúde pode criar outro problema: a falta de atendimento de pacientes com quadros respiratórios graves em casa que dependem de fisioterapia respiratória diária. Isso porque o Ministério está convocando fisioterapeutas e todos os demais profissionais que atuam na área de saúde, inclusive os que trabalham na modalidade de home care (quando atendem os pacientes que não podem se deslocar ou que precisam de tratamento diário no próprio domicílio) para combaterem a pandemia do Covid-19. “Vou fazer o curso e se for convocada eu vou”, diz fisioterapeuta Joana de Oliveira Reis, mas se preocupa com os pacientes que atende atualmente: “A maioria é de idosos que atendo e eles vão ficar sem atendimento se eu for convocada. São também do grupo de risco e sem atendimento terão grande chance de terem seus quadros agravados e de irem para o hospital, que não terá vaga, além de correrem ainda mais risco de contrair o coronavírus”.

Não há dados estatísticos oficiais sobre o número de pacientes que usam o home care, mas um artigo publicado em 2014 dava conta de que o número de empresas teve um grande salto: “Atualmente, o setor de Atendimento Domiciliar no Brasil tem crescido muito no setor privado, que passou de cinco [empresas] em 1995 para um número superior a 180 no ano de 1999″, relata  o fisioterapeura e professor Renato Saldanha Feitas Garcia em um artigo publicado sobre a história do home care no Brasil.

Segundo a fisioterapeuta, que atende pacientes com problemas respiratórios diariamente na modalidade home care, o e-mail chegou na quinta-feira (2/4). “Eu não sei se estou capacitada para esse tipo de atendimento. Eles vão dar um curso de capacitação a distância. Será teoria e a prática é bem diferente”, diz apreensiva. “Profissionais sem experiência podem mais atrapalhar do que ajudar”, completa.

Ainda de acordo com Joana, “esses pacientes com coronavírus são muito difíceis de serem ventilados por conta do quadro pulmonar e nós não estamos capacitados para isso. Querem colocar alunos do últino ano de fisioterapia que nunca ouviram falar em recrutamento alveolar (manobra que se faz com ventilação mecãnica). Eu mesma que tenho pós em fisioterapia respiratória não sei fazer.  É um procedimento complexo, que tem com o objetivo expandir os alvéolos que estão colapssados e, assim, melhorar o sistema pulmonar”.

No e-mail, o Ministério usa o tema Brasil Conta Comigo  – Profissionais de Saúde – Ação Estratégia de Controle do Coronavírus e  orienta os profissionais a fazerem um cadastro. Na mensagem, o Minitério diz: “Nos próximos dias o Ministério da Saúde enviará para seu e-mail o acesso a capacitação obrigatória. “O profissional que não que não finalizar o cadastro e o curso de capacitação será reportado ao Conselho Federal de categoria”, alerta o Ministério.

No site do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, regional São Paulo, há também uma orientação sobre a convocação do Ministério.

Além de fisioterapeutas, outros profissionais foram convocados: 

– serviço social
– biologia;
– biomedicina;
– educação física;
– enfermagem;
– farmácia;
– terapia ocupacional;
– fonoaudiologia;
– medicina;
– medicina veterinária;
– nutrição;
– odontologia;
– psicologia;
– técnicos em radiologia

Fonte: https://casavogue.globo.com/Curiosidades/noticia/2020/04/ministerio-da-saude-convoca-fisioterapeutas-que-atendem-home-care-e-podem-deixar-pacientes-de-alto-risco-em-casa-sem-atendimento.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.