Me formei em Fisioterapia, e agora?

Como já me disse uma vez meu eterno e saudoso professor da PUCCAMP José Américo da Silva: ” – Luis, não se preocupe, você dorme estudante e acorda profissional”. O medo no “ultimoanista” do curso de Fisioterapia é típico, pois sabe que em breve estará sendo totalmente responsável por seus atos como profissional recém formado. A primeira constatação que observamos é que o “conhecimento técnico” não será suficiente para que consigamos a credibilidade que merecemos. Minha orientação é que esse aluno procure realizar um processo de “desmame” progressivo de sua amada Faculdade, ou, pelo menos, da forma de se relacionar com os estudos realizados até aquele momento. Isso poderá ser feito através de cursos de especialização, residências, formação ou até, para quem gosta mesmo da parte acadêmica um mestrado. A definição desse caminho estará guiando no aluno rumo aquilo que ele pretende ser.

Hoje surgem muitas oportunidades de concursos públicos. É bem verdade que o salário não é aquele que gostaríamos que fosse, mas no mínimo adquirimos experiência para algo que seja melhor. Vale ressaltar que os Crefitos estão ai para salvaguardar o direito desses concursados quando a remuneração está abaixo de valores vis.

Alguns mais impetuosos e/ou afortunados desejam abrir logo seus negócios e ver o que vai dá. Nesse caso recomendo cautela, pois não é comum observarmos o desenvolvimento empresarial ao longo da formação fisioterapêutica. O Sebrae pode ser um bom caminho para responder tais questionamentos. Recomendo a leitura de outro texto por nós publicados: Fisioterapeuta empresário, eu? e ainda “Pequenos Conselhos para Empreender em Fisioterapia

Não podemos deixar de mencionar também aqueles colegas que desejam trabalhar em clínicas privadas, muitas vezes, recebendo produtividade paga de acordo com os valores repassados pelas Operadoras de Planos de Saúde, veja os textos: “Fisioterapeuta é explorado ou não conhece o seu valor?” e também “Conheça o RNHF – Referencial Nacional de Honorários Fisioterapêuticos

Um caminho muito seguido também é o Atendimento domiciliar: “Fisioterapia domiciliar pode ser uma ótima oportunidade de negócio.

Enfim, ao longo de todo o nosso blog temos posts, colocações, comentários e dicas que podem guiar o Fisioterapeuta na busca de sua autonomia.

Um abraço

Luis Henrique Cintra
Fisioterapeuta Consultor

Luis-Henrique-Cintra

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

4 comentários em “Me formei em Fisioterapia, e agora?”

  1. bom dia,meu nome é welson de oliveira recem formado no curso de fisioterapia, gostaraia de receber a tabela de valores por email pois estou tendo dificuldade em saber qual o valor correto a ser cobrados para meus pacientes, uma vez que as oportunidades que estão aparecendo são no interior do estado com preços bem abaixo dos valores cobrados aqui em natal/RN é para não ser injusto com aqueles pacientes mediantes a suas condições financeiras se possivel mandassem valores por cada especialidade, desde ja agradeço a oportunidade de me ouvirem.

  2. Ola Welson, inicialmente peço desculpas por não lhe responder quando vc fez essa pergunta. Estive afastado das publicações, porém nosso amigo Oston me recolocou como colunista, então vamos lá.

    Você poderá ver nosso referencial no site do COFFITO – https://www.coffito.gov.br/nsite/?s=rnpf

    Caso tenha dificuldade em cobrar os valores que lá estão, veja como calcular o preço da hora em nosso post: https://www.novafisio.com.br/honorarios-fisioterapeuta/

  3. Mais uma vez aqui, apenas no segundo período… Mas vou enriquecendo minha mente com esses textos e também compartilho com minha turma, obrigado Dr. Henrique. São ótimos para reflexão, de fato nós estudantes temos um pouco desse medo, normal. Mas estamos sendo preparados e buscando estar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.