“Jogador de grupo”: Andrey elogia o Botafogo e agradece fisioterapeuta após convocação

Por Bruno Barbato

Goleiro revelado pelo xará carioca do Pantera, Andrey falou com a imprensa após ter sido oficialmente anunciado como um dos convocados pelo técnico Rogério Micale para a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá pela seleção brasileira.

Além da felicidade, Andrey destacou o trabalho do fisioterapeuta Rogério Liporacci na ajuda para dar a volta por cima nesse período complicado que foi sua chegada, após meses sem receber no Botafogo-RJ e com uma contusão no joelho direito, além do próprio Régis Angeli, principal responsável por sua contratação, ainda na gestão Rogério Barizza.

“Tenho que agradecer o Régis Angeli, que depositou toda confiança em mim, e o Botafogo, por oferecer toda a estrutura.

O Rogério Liporacci, fisioterapeuta, e o Felipe, estagiário, deram todo o suporte para a minha volta.

Quando eu estava cabisbaixo no CT fazendo minha reabilitação, o Rogério, com excelente astral, me colocava para cima.

Certa vez ele falou: “levanta a cabeça porque eu quero você na seleção”, sendo que para mim era um pouco distante, difícil.

Ele sempre confiou em mim, pediu para não deixar cair.

Chegava para trabalhar triste e ele me botava para cima”, admitiu o jovem botafoguense.

E não parou por ai. Andrey admitiu trabalhos “extras” para se recuperar ainda antes do término do Paulistão.

“Fazíamos o trabalho de manhã, a tarde e a noite, ele me pegava de carro e levava na academia.

Os dias de luta passaram até chegar a minha vitória, a nossa vitória, a vitória do clube.

Fico emocionado para dar esse abraço mais do que verdadeiro”, afirmou enquanto abraçava o amigo e companheiro Rogério Liporacci.

Andrey é tido e conhecido como um atleta de grupo, sempre mostrando alegria e companheirismo com os jogadores.

Foi principal peça no vídeo motivacional em duelo contra o Palmeiras, além de demonstrar seu reconhecimento por aqueles que um dia ajudaram em momentos de sua carreira.

Mesmo assim, o goleiro ficou surpreso ao saber da convocação.

“Me pegou de surpresa. Meu plano era vir para cá, jogar e aparecer, e depois ser convocado. Essa convocação veio num momento muito bom, eu estava precisando. Foi importante para mim, para minha família, para o Botafogo. Eu estava passando por um momento complicado. Ano passado foi bom, pude jogar e representar a seleção. Quando vim ao Botafogo, estava com esse pensamento”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.