Já fui avaliado pelo médico e agora tenho que ser avaliado pelo fisioterapeuta?

Muitos pacientes quando procuram os serviços de Fisioterapia, trazem consigo esta questão.

Não sabem que cada profissional de saúde tem sua própria avaliação ou anamnese.

Para cada profissional há uma avaliação específica.

Para o médico é uma, quando precisamos deles vamos logo sendo avaliados e se possível encaminhados para exames específicos.

Para nutricionistas é uma avaliação, específica.

Para fonoaudiólogos é outra.

Para psicólogos é outra.

Até quando vamos começar uma atividade física em uma academia precisamos ser submetidos a uma avaliação específica que segundo David Barros, professor da Academia Hotsport, esta é individualizada e de acordo com cada pessoa.

Se para todas essas áreas há uma avaliação específica, por que não para a Fisioterapia?

Todos nós Fisioterapeutas, temos o conhecimento pleno da importância da anamnese, pois a partir dela determinaremos a continuidade de nosso trabalho ou não.

No entanto, antes da existência da Fisioterapia como profissão de nível superior e até a regulamentação da Fisioterapia, os pacientes que se dirigiam para fazer seus tratamentos já estavam avaliados por outro profissional que não era o Fisioterapeuta.

Só de alguns anos para cá foi que os profissionais tomaram para si a importância de assumirem seus postos e conduzir todo o trabalho.

Lógico, isso gerou desconforto entre médicos e fisioterapeutas, visto que eram eles quem determinavam tudo: anamnese, sessões, determinação de procedimentos, alta da Fisioterapia, embora estes atos sejam competências exclusivas do Fisioterapeuta.

Hoje esta mentalidade está mudando, embora existam algumas resistências.

Só que mudar a mentalidade das pessoas leigas para importância de ser submetido a avaliação da Fisioterapia não é fácil e nem será porque muitos chegam a nós com aquela história: ‘mas já fui avaliado pelo médico’ ou ‘outra avaliação, pensei que a do médico servisse’, sempre assim.

Quem de nós Fisioterapeutas, já não ouviu estas frases?

Cabe a nós Fisioterapeutas estarmos prontos para explicar ao paciente da importância da anamnese para ele e que seu tratamento só será determinado após esta conversa inicial.

Aos que estão estudando Fisioterapia, ou pretendem estudar e leigos que acessam o site, precisam saber que é na avaliação cinético-funcional, avaliação específica do Fisioterapeuta, que será desenvolvido todo o tratamento do paciente ou simplesmente não fazê-lo.

Sim, existirão ocasiões que impedirão o paciente de ser submetido a Fisioterapia.

Caberá ao Fisioterapeuta definir o que o paciente precisa.

Saberá se realmente a Fisioterapia pode ajudar o paciente ou se o problema do paciente exigirá encaminhamento para outro profissional.

A Fisioterapia é uma área que exige altíssima responsabilidade e o profissional saberá o que fazer.

Será esta avaliação que ditará os rumos do tratamento.

Nela o profissional irá analisar através de questionários, exame físico (aquele em que o paciente poderá ser observado, tocado, testado em suas sensibilidades dolorosas e de temperatura, existem outros itens também) e também exames como o bom e velho raio x, ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia e quando muito, uma cintilografia óssea (este último é raro, mas pode vir a nós).

Então, é através desse arsenal de componentes que um programa de tratamento será preparado.

A nós profissionais cabe orientar e mostrar ao paciente a necessidade deste ser submetido a avaliação cinético-funcional, uma vez que este é o item mais importante do tratamento fisioterápico.

300Amanda-damasceno

Dra. Amanda Damasceno Soares

Fisioterapeuta Acupunturista

Consultora em Ergonomia

Colunista da Revista NovaFisio

Blogueira e editora do blog: Coisas de Fisioterapia

Fanpage: Coisas de Fisioterapia Dra. Amanda Fisioterapeuta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.