INTERVENÇÕES FISIOTERAPEUTICAS UTILIZADAS NA PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

Julia Maria Freire Duarte1, Roberta Abreu de Oliveira Balieiro2 Laís Milena Gomes Rocha3 Sabrina Glins Pereira4 Anna Marly de Castro Izel5 Douglas da Silva Ataíde6

1 Discente finalista do Curso de Bacharel em Fisioterapia no Ceuni-FAMETRO
2 Discente finalista do Curso de Bacharel em Fisioterapia no Ceuni-FAMETRO
3 Discente finalista do Curso de Bacharel em Fisioterapia no Ceuni-FAMETRO
4 Discente finalista do Curso de Bacharel em Fisioterapia no Ceuni-FAMETRO
5 Discente finalista do Curso de Bacharel em Fisioterapia no Ceuni-FAMETRO
6 Discente finalista do Curso de Bacharel em Fisioterapia no Ceuni-FAMETRO

Docente e orientador do TCC, docente do curso de fisioterapia no Ceuni-FAMETRO


RESUMO

Os idosos constituem um grupo com características bastante variáveis, com freqüentes alterações fisiológicas e patológicas. A queda pode ser definida como um evento não intencional que tem como resultado a mudança de posição do indivíduo para um nível mais baixo em relação a sua posição inicial. Pessoas de todas as idades apresentam risco de sofrer queda, porém, para os idosos, elas possuem um significado muito relevante, pois podem levá-los à incapacidade, injúria e morte Objetivo: Descrever os protocolos fisioterapêuticos utilizados na prevenção de quedas em idosos. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, onde foram incluídos artigos publicados a partir do ano de 2003, tratamentos em idosos e apenas indexados em revista e os artigos selecionados para os critérios de exclusão foram: artigos de revisão literária, tratamento realizado por outros profissionais, artigos com tratamentos em criança. Resultados: Após a busca dos artigos, observou-se que, houve melhora de equilíbrio. Através das intervenções como exercícios sensório-motor e treinos cognitivos. Conclusão: Os resultados deste estudo deixam evidente a importância dos exercícios fisioterápicos na prevenção de quedas.

Palavras-chave: Queda em idosos, Fisioterapia, prevenção e tratamento funcional.

ABSTRACT

The elderly are a group with very variable characteristics, with frequent physiological and pathological changes. The fall can be defined as an unintended event that results in the individual’s position changing to a lower level in relation to his initial position. People of all ages are at risk of falling, however, for the elderly, they have a very relevant meaning, as they can lead to disability, injury and death. Objective: To describe the physical therapy protocols used to prevent falls in the elderly. Methodology: This is an integrative literature review, which included articles published from 2003 onwards, treatments for the elderly and only indexed in a magazine and the articles selected for the exclusion criteria were: literary review articles, treatment performed by other professionals, articles with treatments for children. Results: After searching for the articles, it was observed that there was an improvement in balance. Through interventions such as sensorio motor exercises and cognitive training. Conclusion: The results of this study make evident the importance of physical therapy exercises in preventing falls.

Keywords: Fall in the elderly, Physiotherapy, prevention and functional treatment.

INTRODUÇÃO

O envelhecimento da população é um fenômeno de amplitude mundial. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que, em 2025, existirão 1,2 bilhões de pessoas com mais de 60 anos, sendo que as pessoas com 80 anos ou mais constituem o segmento populacional que mais cresce. No Brasil, a previsão é de que, em 2020, existirão 30,8 milhões de idosos, ou seja, 14,2% de todos os brasileiros. O Brasil já é considerado o sexto país do mundo em taxa de envelhecimento populacional (BRASIL, 2009).

De acordo com Secoli (2010), as quedas podem ser definidas como eventos não intencionais que resultam na mudança de posição inesperada do indivíduo para um nível inferior à posição inicial, com incapacidade de correção em tempo hábil, esses eventos resultam da interação de diversos fatores de risco e múltiplas causas, sendo, por isso, considerados eventos multifatoriais e heterogêneos. As quedas são problemas frequentes na população idosa. No Brasil, cerca de 2% dos idosos caem ao menos uma vez ao ano e 13% caem de forma recorrente. Estes eventos têm impacto importante na mortalidade de idosos.

As quedas em idosos é um destaque que se configuram como um problema de saúde pública devido à alta frequência de como ocorre Karuka, Silva e Navega (2011),, diz que a morbidade e a mortalidade são advindas desse evento por seu elevado custo social econômico decorrente as lesões provocadas e por serem eventos que necessitam de uma prevenção , pois são responsáveis pelo declínio da capacidade funcional e da qualidade de vida dos idosos e pelo aumento do risco de institucionalização, esses fatores podem repercutir nos cuidadores e familiares, que irão assumir a nova rotina de cuidados em função a reabilitação ou adaptação do indivíduo após a queda.

Gontijo e Leão (2011), cita que as quedas têm um impacto importante na mortalidade de idosos. Segundo dados preliminares do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), no ano de 2009 ocorreram 5.142 mortes de pessoas com 60 anos ou mais, no país, em decorrência de quedas, ocupando o segundo lugar na mortalidade por causas externas, com 25,3%.

Segundo Souza et, al (2019) , a capacidade funcional do idoso é avaliada por meio das atividades de vida diária (ABVDS), onde pode ser utilizado a Escala de Independência de vida diária (Escala de Katz), ela é adaptada à realidade do idoso, essa escala tem seis itens que são eles: tomar banho, se vestir, ir ao banheiro, transferências, controle dos esfíncteres de alimentação que medem o desempenho da pessoa nas atividades de autocuidado.

Segundo Leiva-Caro et al., (2015), o campo de atuação do fisioterapeuta vem crescendo gradativamente. Além do enfoque na reabilitação, ele atua também na prevenção de doenças e promoção de saúde, em nível individual e coletivo. Considerando se a participação do fisioterapeuta na atenção primária, é importante que este desenvolva atividades com intuito de estimular hábitos saudáveis de vida, como a prática de atividades físicas, incentive uma alimentação saudável, proporcione orientações domiciliares e intervenha na organização do ambiente com objetivo de reduzir riscos de quedas.

Conforme Aveiro (2011), o fisioterapeuta apresenta um papel de suma importância na prevenção de quedas em idosos através da orientação para a realização de atividades físicas, alongamentos, fortalecimento muscular, treino de marcha e equilíbrio, buscando a manutenção ou melhoria da capacidade funcional, redução das incapacidades e limitações e proporcionando maior independência.

A abordagem fisioterapêutica no idoso deve ser encarada como uma tarefa multidisciplinar Dias et al., (2014), diz que a fisioterapia é parte dessa equipe tendo uma grande importância no que diz respeito a manutenção e recuperação da funcionalidade do idoso, protocolos direcionados de tratamento físico nos efeitos do envelhecimento sobre a função da musculatura, diminuindo as limitações funcionais do idoso e, consequentemente melhorando a qualidade de vida do mesmo. O presente estudo tem como objetivo relatar as intervenções fisioterapêuticas na prevenção de quedas em idosos.

METODOLOGIA

Foi realizada uma pesquisa de revisão bibliográfica com método hipotético-dedutivo e objetivo descritivo explicativo, sendo feita uma busca eletrônica nas bases de dados online da Scielo, PubMed e PEDro, publicados nos anos 2003 a 2020 e em idiomas português e inglês. Foi realizada a seleção de revistas, como: Saúde pública, Revista brasileira de geriatria e gerontologia, revista da associação médica brasileira nas quais os artigos forma selecionados.

Para os critérios de inclusão foram selecionados: artigos publicados a partir do ano de 2003, tratamentos em idosos e apenas indexados em revista e os artigos selecionados para os critérios de exclusão foram: artigos de revisão literária, tratamento realizado por outros profissionais, artigos com tratamentos em crianças.

Para o levantamento de dados, será utilizado o programa Word, no qual será abordado o assunto. Os descritores utilizados na busca foram: Queda em idosos, Fisioterapia, prevenção e tratamento funcional. Foi realizada uma análise de caráter qualitativa e quantitativa não

experimental do levantamento bibliográfico, considerando os critérios acima mencionados, selecionando artigos e livros de maior relevância para os resultados deste estudo.

A pesquisa está dentro dos termos éticos de acordo com a lei 196/12, trata-se de uma revisão bibliográfica, da qual utilizaremos literaturas atualizadas respeitando sempre os direitos autorais dos seus respectivos autores, mediante as citações realizadas seguindo as normas da ABNT.

Quadro 1. Fluxograma da seleção dos artigos

RESULTADOS

Após a análise crítica dos dados encontrados, foi possível elaborar a tabela 01 contendo os resultados desta pesquisa, relacionando os autores com os protocolos fisioterapêuticos utilizados na prevenção de quedas em idosos, onde os autores foram organizados em ordem cronológica de publicação dos seus respectivos trabalhos.

Tabela 01: Protocolos fisioterapêuticos na prevenção de quedas em idosos.

AUTOR/ANOMETODOLOGIARESULTADO
Brouwer et al., 2003Nesse ensaio clinico randomizado foi elaborado 2 programas de intervenção para reduzir o medo de cair em idosos, onde foram ministrados semanalmente a grupos de três a cinco idosos por 8 semanas, cada sessão com duração de 1 hora. O programa A de atividades incluiu exercícios de baixa resistência e atividades de deslocamento de peso e o Grupo B educação com foco na identificação e redução dos fatores de risco para quedasAmbos os programas reduziram o medo de cair, consequentemente melhora do equilíbrio.
Granacher et al.,2012Os objetivos deste estudo foram investigar os efeitos da dança de salsa sobre as medidas de controle postural estático / dinâmico e potência extensora de perna em idosos, onde vinte e oito idosos saudáveis foram aleatoriamente designados para um grupo de intervenção para conduzir um programa de dança de salsa progressiva de 8 semanas ou um grupo de controle n = 14 com idade média de idade 68 anos.Aumento significativo na velocidade e diminuições concomitantes no tempo da passada, além de efeitos significativos em várias medidas de variabilidade da marcha e força extensora da perna.
Franco et al; 2012Este estudo comparou o efeito doNintendo Wii Fit com o programa Matterof Balance, um programa válido e confiável, na melhora doequilíbrio e do bem-estar para diminuir o risco de quedas em uma população idosa trinta e dois residentes com idades entre 63 a 90 participaram. Os participantes foram separados em três grupos: (1) grupo Wii Fit (n = 11) completou jogos de equilíbrio no Wii Fit em sessões individuais duas vezes por semana e exercícios domésticos suplementares; (2) Grupo Questão de Equilíbrio (n=11) exercícios concluídos do Programa de Equilíbrioem grupo duas vezes por semana; (3) Grupo controle (n = 10) não recebeu intervenção. A intervenção durou três semanas.Os escores das avaliações não foram estatisticamente significantes na melhora de Equilíbrio e da marcha.
Kendrick et al., 2012Nessa revisão sistemática, foi avaliado os efeitos (benefícios, danos e custos) de intervenções de exercícios para reduzir o medo de cair em idosos que vivem na comunidade, foram incluídos 30 estudos, que avaliaram exercícios 3D (Tai Chi e ioga), treinamento de equilíbrio ou treinamento de força e resistência.Redução no medo de cair , logo se teve redução do risco e frequência das quedas.
Granacher et al., 2013A revisão sistemática em questão teve como objetivo avaliar possíveis associações entre fortalecimento muscular de core/equilíbrio dos músculos do tronco, desempenho funcional e quedas em adultos idosos.O treino de fortalecimento muscular de core e/ou exercícios de Pilates se mostraram eficaz, consequentemente se teve ganho de equilíbrio.
Hagovská et al., 2015O ensaio clinico randomizado realizou uma amostra de pesquisa que foi composta por 80 idosos com déficit cognitivo leve, com objetivo de investigar o efeito do treinamento cognitivo específico com CogniPlus e do treinamento de equilíbrio, divididos em grupo experimental (n = 40) e grupo controle (n = 40).Melhores resultados no equilíbrio.
Franco et al., 2016Este ensaio clínico randomizado simples-cego envolveu 82 idosos com 60 anos ou mais que estão cognitivamente intactos. Os participantes alocados para o grupo de intervenção assistirão a uma única aula educacional sobre estratégias para prevenir quedas, e participarão de um programa de dança sênior em grupo de 12 semanas, duas vezes por semana, o grupo controle assistirão à mesma aula educacional que os participantes do grupo de intervenção, e foram instruídos a não participar de nenhum programa regular de exercícios.Melhores resultados em força muscular.
Kurz et al.,
2016
Em um ensaio clínico duplo-cego randomizado e controlado, 53 idosos residentes na comunidade com idade média de 80 anos foram recrutados e alocados aleatoriamente em um grupo de intervenção (n=27) e no grupo controle (n=26). O grupo de intervenção recebeu 24 sessões de treinamento durante 3 meses que incluíram perturbação inesperada dos exercícios de equilíbrio durante a caminhada na esteira. O grupo controle realizou caminhada em esteira rolante sem perturbações.Melhora do equilíbrio durante a caminhada.
Papa et al., 2017sem perturbações. Papa et al., 2017 O objetivo desta revisão sistemática foi apresentar os efeitos do treinamento de resistência nos resultados de mobilidade funcional para adultos mais velhos com déficits de função muscular esquelética.Melhorias na velocidade da marcha, equilíbrio estático e dinâmico e redução do risco de queda.
Langeard 2017O objetivo desta revisão sistemática, é mostrar o efeito do uso de Estimulação elétrica neuromuscular de membros inferiores como uma técnica de treinamento para a reabilitação de idosos saudáveis.A EENM melhorou com eficiência a fisiologia muscular funcional e molecular e, dependendo dos estudos, poderia levar a melhores desempenhos de marcha e equilíbrio, especialmente entre idosos menos ativos.
Zhao et al., 2017Este ensaio clinico randomizado examinou a eficácia de um programa de treinamento focado no equilíbrio, na melhoria da aptidão funcional de idosos que não caíram em risco de queda. Sessenta e um participantes foram aleatoriamente designados para receber 16 semanas de treinamento focado no equilíbrio ou Tai Chi, e o grupo controle nenhum tratamento com um acompanhamento de 8 semanas.Os resultados revelaram melhorias significativas no equilíbrio, melhorias na força muscular dos membros inferiores, agilidade, equilíbrio e resistência aeróbia.

DISCUSSÃO

A qualidade de vida trata-se de um conceito multidimensional, que abrange aspectos físicos, emocionais e sociais. No presente estudo foram analisados, artigos que abordassem a temática: Intervenções fisioterapêuticas na prevenção de quedas em idosos.

Segundo Browser et al., (2003), foi realizado um ensaio clinico randomizado onde foi elaborado 2 programas de intervenção para reduzir o medo de cair em idosos, onde foram ministrados semanalmente a grupos de três a cinco idosos por 8 semanas, cada sessão com duração de 1 hora. Ambos os programas reduziram o medo de cair, conforme verificado a partir dos escores de confiança de equilíbrio, os efeitos diferenciais que foram observados mostrou que melhorou o equilíbrio, enquanto a educação levou a diminuições modestas. Os ganhos na percepção do estado de saúde limitaram-se à saúde física para o grupo de atividades e à saúde mental para o grupo de educação.

Entretanto Granacheret al., (2012), em seu estudo onde relatou os efeitos da dança de salsa sobre as medidas de controle postural estático / dinâmico e potência extensora de perna em idosos, onde vinte e oito idosos saudáveis foram aleatoriamente designados para um grupo de intervenção para conduzir um programa de dança de salsa progressiva de 8 semanas ou um grupo de controle n = 14 com idade média de idade 68 anos. Pode-se observar que aadesão ao programa foi excelente com os participantes do grupo intervenção tendo como resultado as análises post hoc, onde revelaram aumentos significativos na velocidade e diminuições concomitantes no tempo da passada, no entanto, a dança de salsa não teve efeitos significativos em várias medidas de variabilidade da marcha e força extensora da perna.

Franco et al., (2012), na sua pesquisa comparou o efeito do Nintendo Wii Fit com o programa Matterof Balance, um programa válido e confiável, na melhora do equilíbrio e do bem-estar para diminuir o risco de quedas em uma população idosa trinta e dois residentes com idades entre 63 a 90 participaram. Os participantes foram separados em três grupos: (1) grupo Wii Fit (n = 11) completou jogos de equilíbrio no Wii Fit em sessões individuais duas vezes por semana e exercícios domésticos suplementares; (2) Grupo Questão de Equilíbrio (n=11) exercícios concluídos do Programa de Equilíbrio. Os escores das avaliações não foram estatisticamente significantes na Escala de Equilíbrio de Berg pós-teste, além da avaliação da marcha e equilíbrio de Tinetti.

Já no trabalho de Kendricket al., (2012), foi realizada uma pesquisa do tipo revisão sistemática, onde foram avaliados os efeitos (benefícios, danos e custos) de intervenções de exercícios para reduzir o medo de cair em idosos que vivem na comunidade, foram incluídos 30 estudos, que avaliaram exercícios 3D (Tai Chi e ioga), treinamento de equilíbrio ou treinamento de força e resistência. Os resultados encontrados foram intervenções de exercícios em idosos residentes na comunidade, onde reduzem o medo de cair em uma extensão limitada imediatamente após a intervenção, sem aumentar o risco ou a frequência das quedas.

Conforme Granacher et al., (2013), em seu estudo de revisão sistemática onde teve como objetivo avaliar possíveis associações entre fortalecimento muscular de core/equilíbrio dos músculos do tronco, desempenho funcional e quedas em adultos idosos. O treino de fortalecimento muscular de core e/ou exercícios de Pilates se mostraram eficaz, podendo assim, está presente como um adjunto ou mesmo alternativa para ganho equilíbrio e/ou programas de treinamento de resistência para idosos.

De acordo com Hagovskáet al., (2015), em seu estudo, onde realizou uma amostra de pesquisa que foi composta por 80 idosos com déficit cognitivo leve, com objetivo de investigar o efeito do treinamento cognitivo específico com CogniPlus e do treinamento de equilíbrio, divididos em grupo experimental (n = 40) e grupo controle (n = 40).A combinação de exercícios selecionados do programa CogniPlus com o treinamento de equilíbrio contribuiu para obter melhores resultados do que o treinamento de equilíbrio isolado para idosos com comprometimento cognitivo leve.

Franco et al., (2016), em seu ensaio clínico randomizado simples-cego envolveu 82 idosos com 60 anos ou mais que estão cognitivamente intactos. Os participantes alocados para o grupo de intervenção assistirão a uma única aula educacional sobre estratégias para prevenir quedas, e participarão de um programa de dança sênior em grupo de 12 semanas, duas vezes por semana, o grupo controle assistirão à mesma aula educacional que os participantes do grupo de intervenção, e foram instruídos a não participar de nenhum programa regular de exercícios.

De acordo com Kruz et al., (2016 ), em sua pesquisa 53 idosos residentes na comunidade com idade média de 80 anos foram recrutados e alocados aleatoriamente em um grupo de intervenção (n=27) e no grupo controle (n=26). O grupo de intervenção recebeu 24 sessões de treinamento durante 3 meses que incluíram perturbação inesperada dos exercícios de equilíbrio durante a caminhada na esteira. O grupo controle realizou caminhada em esteira rolante sem perturbações. Em comparação com o controle, à participação no programa de intervenção que inclui perda inesperada de equilíbrio durante a caminhada levou a tempos de execução de etapa voluntária mais rápida em tarefa única. Já os indivíduos do grupo de intervenção mostraram melhora nos coeficientes de difusão efetiva de curto prazo na direção médio-lateral da Análise de Difusão do Estabilograma sob condições de olhos fechados.

Entretanto Papa et al., (2017), onde realizou uma pesquisa, tendo como objetivo apresentar os efeitos do treinamento de resistência nos resultados de mobilidade funcional para adultos mais velhos com déficits de função muscular esquelética. O treinamento de resistência pode atenuar as mudanças relacionadas à idade na mobilidade funcional, incluindo melhorias na velocidade da marcha, equilíbrio estático e dinâmico e redução do risco de queda.

Segundo Langeard (2017) ,realizou um estudo onde tinha por objetivo mostrar o efeito do uso de Estimulação elétrica neuromuscular de membros inferiores como uma técnica de treinamento para a reabilitação de idosos saudáveis. A EENM melhorou com eficiência a fisiologia muscular funcional e molecular e, dependendo dos estudos, poderia levar a melhores desempenhos de marcha e equilíbrio, especialmente entre idosos menos ativos.

De acordo com Zhao et al., (2017), examinou a eficácia de um programa de treinamento focado no equilíbrio, na melhoria da aptidão funcional de idosos que não caíram em risco de queda. Sessenta e um participantes foram aleatoriamente designados para receber 16 semanas de treinamento focado no equilíbrio ou Tai Chi, e o grupo controle nenhum tratamento com um acompanhamento de 8 semanas. Os resultados revelaram melhorias significativas em todos os componentes de fitness no grupo treinamento focado no equilíbrio em comparação com o grupo controle, o grupo treinamento focado no equilíbrio demonstrou melhorias na força muscular dos membros inferiores, agilidade, equilíbrio e resistência aeróbia.

CONCLUSÃO

Em virtude desse quadro atual, o presente estudo buscou elencar as principais medidas utilizadas pelo fisioterapeuta na prevenção de quedas em idosos, além de relacionar os mais comuns fatores de risco para esses eventos, apresentar técnicas fisioterapêuticas que previnam as quedas e reduzam sua incidência por meio da modificação dos fatores relacionados às alterações fisiológicas típicas do envelhecimento, bem como, também o gerenciamento dos fatores de risco ambientais, comprovando a eficácia desses recursos por meio dos achados descritos ao longo da revisão.

Os resultados deste estudo deixam evidente a importância dos exercícios fisioterápicos na prevenção de quedas. Todos os exercícios propostos, de caráter proprioceptivo, ou seja, sensório-motor, ajudaram a alcançar, diminuição no risco de quedas promovendo melhora no equilíbrio, levando, assim, para esta população, uma melhor qualidade de vida, diminuindo as morbidades e os gastos com internações. Entretanto é importante mais estudos científicos sobre a temática em questão.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AREEUDOMWONG, Balance and functional fitness benefits of a Thai boxing dance programamongcommunity-dwellingolderadultsatriskoffalling: A randomized controlled study, ArchivesofGerontologyandGeriatrics. 2019.

AVEIRO, M. S. et al. Perspectivas da participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família na atenção à saúde do idoso. Ciência & SaúdeColetiva, v.16, supl.1, p.1467-78, 2011.

BROUWER, Reducing fear of falling in seniors. Reducing Fear of Falling in Seniors Through Education and Activity Programs: A Randomized Trial, 2003.

BRASIL. Portaria nº 2.979, de 12 de novembro de 2019. Institui o Programa Previne Brasil, que estabelece novo modelo de financiamento de custeio da Atenção Primária à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde, por meio da alteração da Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017. Diário Official da União, 13 nov. 2009.

DIAS BB, MOTA RS, GÊNOVA TC, TAMBORELLI V, PEREIRA VV, PUCCINI PT. Aplicação da Escala de Equilíbrio de Berg para verificação do equilíbrio de idosos em diferentes fases do envelhecimento. RBCEH. 2014; 6(2):213-24

FRANCO, Effect of Senior Dance on Fall Risk Factors in Older Adults: A Randomized Controlled Trial, 2020.

FRANCO, Brazilian medical journal. Effect of Senior Dance (Dan SE) on Fall Risk Factors in Older Adults: A Randomized Controlled Trial, 2016.

GRANACHER, Gerontology. Effect of a Salsa Dance Training on Balance and Strength Performance in Older Adults, 2012.

GRANACHER, The Importance of Trunk Muscle Strength for Balance, Functional Performance, and Fall Prevention in Seniors: A Systematic Review, 2013.

GONTIJO RW, LEÃO MRC. Eficácia de um Programa de Fisioterapia Preventiva para Idosos. Rev Med Minas Gerais. 2013; 23(2):173-180

HAGOVSKÁ, Japan Geriatrics Society. Impact of the combination of cognitive and balance training on gait, fear an disk off allingand quality of life in senior switch mild cognitive impairment, 2015.

KARUKA AH, SILVA JAMG, NAVEGA MT. Análise da Concordância entre Instrumentos de Avaliação de Equilíbrio Corporal em Idosos. Rev Bras Fisioter. 2011 Nov/Dez; 15(6):15-20.

KENDRICK, Pub med. Collaboration. Exercise for reducing fear of falling in older people living in the Community, 2012.

KURZ, BMC Geriatrics. Unix pected perturbations training improves balance control and voluntary stepping times in older adults – a double blind randomized control trial, 2016.

LANGEARD, Experimental Gerontology. Does neuromuscular electrical stimulation training ofthelowerlimbhavefunctionaleffectsontheelderly: A systematic review, 2017.

LEIVA-CARO, J. A. L.; SALAZAR-GONZÁLEZ, B. C. S.; GALLEGOS-CABRIALES, E. C. G. et al. Relação entre competência, usabilidade, ambiente e risco de quedas em idosos. 2015.

PAPA, Clinical Interventions in Aging. Resistance training for activity limitations in olderadultswithskeletalmusclefunctiondeficits: a systematic review, 2017.

SECOLI SR. Polifarmácia: interações e reações adversas no uso de medicamentos por idosos. Rev Bras Enferm 2010; 63(1): 136-40.

SOUZA, R.; MORSCH, P. A manutenção da capacidade funcional no idoso através da cinesioterapia. Rev Cient FAEMA, v. 9, n. edição especial, p. 620– 625, 2019.

ZHAO, Geriatric Nursing. Effectiveness of a balance-focusedexerciseprogram for enhancing functional fitness ofolderadultsatriskoffalling: A randomized controlled trial, 2017.

ZIDÉN, Oxford University Press on behalf of The Gerontological Society of America. Physical Function and Fear of Falling 2 Years Af terthe Health-Promoting Randomized Controlled Trial: Elderly Persons in the Risk Zona, 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.