INTERVENÇÃO DA FISIOTERAPIA EM PACIENTES GERIÁTRICOS ACOMETIDOS POR IMOBILISMOS E DORES

Tarcísio Viana**
Polianna Andrade**
Flávio Ávila**
Ruth Caracas**
Nathália Carvalho**
Igor Oliveira*
RESUMO

No momento contemporâneo já se sabe que as ciências da saúde são de essencial importância para a manutenção da vida e saúde do paciente geriátrico. Os cursos e até mesmo a área de Fisioterapia estão cada vez mais complexos e abrangentes, assim o Fisioterapeuta, como profissional de saúde de ampla formação, deve estar apto para o tratamento dos pacientes geriátricos acometidos por imobilismos e dores. Além disso a Fisioterapia deve oferecer prevenção , promoção e tratamento de todos os pacientes, inclusive aqueles que são acometidos por patologias relacionadas ás incapacidades osteomioarticulares, isso de maneira igualitária, humanizada, multidisciplinar e especializada. A dor é uma manifestação subjetiva, variante e complexa, assim o fenômeno doloroso deve ser estudado e correlacionado frequentemente com o componente afetivo-emocional e outros fatores influenciadores. Todos os seres humanos estão susceptíveis a passar por processos dolorosos, porém, o idoso tem determinadas predisposições, sejam estas genéticas, fisiológicas ou até mesmo congênitas, assim os distúrbios osteomioarticulares tornam-se muito prevalentes nessa fase. Este artigo objetiva identificar o perfil de tratamento destes pacientes, estudando a possibilidade de um serviço especializado em Geriatria no município. Deste modo apresenta grande relevância acadêmica, pois auxilia na construção da ciência e alta relevância social, por haver a possibilidade de uma melhora da qualidade de vida dos indivíduos tratados. Esta pesquisa foi realizada na cidade de Vitória da Conquista, mais especificamente no Albergue Nosso Lar, onde foram aplicados 30 questionários entre os idosos moradores da instituição, sendo que 96,6% dos entrevistados aprovam o atendimento.As análises confirmam a necessidade da ampliação do tratamento fisioterápico tanto na instituição quanto na cidade e reforçam a importância da implementação de um centro especializado em Saúde do Idoso com tratamento fisioterápico e multidisciplinar.

Palavras-chave: Fisioterapia, incapacidades osteomioarticulares, imobilismo, paciente geriátrico, dores.

**Graduandos do 4º semestre de Fisioterapia
Faculdade de Tecnologia e Ciências-FTC
Vitória da Conquista-BA
e-mail: tarcisiofisioterapia@hotmail.com

* Educador Físico
Docente da Faculdade de Tecnologia e Ciências-FTC
Vitória da Conquista – Ba

INTRODUÇÃO
A OMS (Organização Mundial da Saúde) vem alertando a sociedade cada vem mais e com maior freqüência, sobre as doenças que podem vir a ser de alto acometimento, devemos ainda saber que muitas dessas doenças relacionam-se peculiarmente com os acometimentos álgicos e osteomioarticulares.
Zimerman (2000) confirma que o aumento de idosos no nosso país, até há pouco considerado um país jovem, e que aumenta a cada dia uma realidade diferente da que estamos acostumados , além disso a autora conscientiza a questão da velhice como sendo uma questão social necessitada de grande traz a consciência de que a velhice existe e é uma questão social que pede uma atenção especializada.
Conforme Carvalho (1999) “As intervenções analgésicas (farmacológicas, fisioterápicas, psicoterápicas e educacionais, entre outras) objetivam reduzir a oferta de substâncias álgicas na periferia, interferir nos processos de transmissão e interpretação da dor e estimular o sistema de modulação da dor”. Com a citação acima confirma, existem algumas áreas, dentre estas a Fisioterapia, que diminuem as dores e traz bom condicionamento físico.
O problema que pretendemos responder ao longo do artigo é : “O trabalho oferecido aos pacientes acometidos por incapacidades osteomioarticulares, imobilismos e dores está sendo eficaz e multidisciplinar?”.
Este artigo tem como objetivo geral identificar o perfil de tratamento destes pacientes, estudando a possibilidade de um serviço especializado em Geriatria no município de Vitória da Conquista, já os específicos, resumem-se em Observar a visão dos pacientes geriátricos sobre a Fisioterapia, analisar as necessidades de tratamento e obter dados concisos para possível implementação de programas específicos, com a atuação do Fisioterapeuta e dos outros profissionais de saúde, consolidando a multidisplinaridade aplicada à geriatria.
Assim torna-se necessário relatar a importância de trabalhos preventivos e de programas de intervenções coerentes para oferecer bases teóricas e práticas visando assim diminuir os acometimentos supracitados oferecendo maior qualidade de vida aos pacientes tratados.

Pesquisas veiculadas constantemente confirmam que a expectativa de vida no Brasil é cada dia maior, pesquisas confirmam que no ano de 2025 o Brasil terá uma população de aproximadamente 32 milhões de habitantes com 60 anos ou mais (geriátricos).A OMS (Organização Mundial da Saúde) faz alertas no que diz respeito ás doenças que acometerão com maior freqüência, e muitas destas doenças estão relacionadas com as peculiaridades osteomioarticulares e de mobilidade, que comprovadamente são diminuídas com o passar do tempo.
É conveniente citar que o estatuto do idoso através do parágrafo 04 do artigo 15 ressalta: “Os idosos portadores de deficiência ou com limitação incapacitante terão atendimento especializado, nos termos da lei”. Essas descrições devem ser seguidas e de forma legalizada, deste modo os profissionais da saúde devem atuar visando o melhoramento fisiológico e funcional do paciente geriátrico, procurando atende-lo de forma igualitária, especializada e humanitária.
Até o presente são poucas as pesquisas que tratam sobre esse assunto, que é de grande importância, deste modo esse projeto vêm á abordar este tema com o intuito de buscar a ampliação e melhoramento dos bancos de dados relacionados ao assunto.
A área de saúde tem muito a oferecer, pois de acordo com o avanço tecnológico, as técnicas se aprimoram e qualificam a qualidade de vida dos indivíduos expostos ao s tratamentos especializados. Comprovadamente a Fisioterapia oferece bons resultados que são ainda maiores quando trabalhados de maneira multidisciplinar.
A intervenção fisioterápica nesses casos é de alta relevância social, isso pelo fato de realizar papel fundamental no que diz respeito ao tratamento desde indivíduo.
Podendo agir nas áreas de prevenção, promoção, tratamento e reabilitação, oferecendo ao paciente uma maior funcionalidade osteomioarticular o que irá oferecer maior qualidade de vida para o indivíduo. Um serviço de Fisioterapia com profissionais especializados na área de Geriatria tem importância de mesmo cunho e vem a ser muito benéfica tanto para o cuidado quatro para o desenvolvimento da sociedade.

REFERENCIAL TEÓRICO

A pesquisa mais atual publicada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística) confirma que a esperança de vida do brasileiro ao nascer é um indicador que cresceu 32,4% em 46 anos. Passando de 54,6 anos em 1960 para 72,3 anos no ano de 2006.A esperança de vida das mulheres teve maior alta chegando até à 76,1 anos, contra 68,5 dos homens.A Bahia possui média (71,72) menor que a do Brasil, supondo assim uma melhoria da Saúde e de outros indicadores sociais.
Segundo o instituto os fatores que influenciaram na melhoria deste indicador foram: melhoria no acesso à saúde, campanhas de vacinação, aumento da escolaridade, prevenção de doenças e avanços da medicina.
O IASP (Association Internacional for the Study of Pain) conceitua dor como “uma experiência sensorial e emocional desagradável, que é decorrente ou descrita em termos de lesões teciduais”.
Estudos sobre a dor costumam classificar-la como um fenômeno subjetivo e complexo que sempre deve ser avaliada com muito critério e especificidades.A dor é um sinal de que algo no corpo humano não está em pleno funcionamento fisiológico estável.
De maneira simples, costuma-se classificar a dor em crônica (existente a meses) ou aguda (pouco tempo), sendo que a dor crônica oferece maior probabilidade do indivíduo produzir depressão, alterações de sono, constipação e outros sinais.
CARVALHO (1999) relata que a dor resulta, geralmente de doenças com cunho acidental ou natural.Pode resultar-se ainda de ativação das unidades periféricas e centrais ou a falta de aferências de unidade supressoras.A autora conclui que a avaliação de dor é um procedimento complexo, onde aspectos como: queixa principal, padrão de instalação e intensidade devem ser levados em conta.
VILELA & MENDES (2003) consideram a área de saúde como interdisciplinar, e quanto a interdisciplinaridade eles consideram, através de revisão bibliográfica, uma grande alternativa para o alcance do desenvolvimento de um pensamento complexo que vise minimizar os problemas de saúde.

NETTO (1997) alerta que o meio social, que está espantado com o avanço da expectativa de vida, reconhece que a tarefa deve ser repartida e transferida para o estado que é o órgão responsável pela solução dos problemas. O mesmo autor confirma que além da classe médica, outros profissionais, como enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, entre outros se voltam mais constantemente o atendimento dos idosos, desenvolvendo teorias e técnicas para a melhoria dos problemas e conseqüências do envelhecimento.
Valendo-se de várias hipóteses Carvalho (1999) destaca que “ O tratamento multiprofissional deve adaptar-se à natureza complexa da dor e implica a individualização de planos terapêuticos que frequentemente exigem a adoção de várias modalidades de intervenções”.
ZIMERMAN (2000) cita que o avanço farmacológico, uma melhor condição de vida e a preocupação em prevenir doenças influenciam no amento da expectativa de vida.O processo de envelhecimento causa alterações sociais, físicas e psicológicas que são naturais e gradativas.As transformações são de cunho generalizado verificando em fase precoce ou avançada.

METODOLOGIA

A presente pesquisa baseia-se em método de abordagem quantitativa.
Turato (2005) discorre sobre essa abordagem, que segundo ele , tem amostragem randomizadas (aleatórias) e sua análise de dados se dá pelo uso de técnicas bioestatísticas, e temas comuns com ocorrência mais freqüentes, gerais e universais.
Oliveira(2000) destaca “A abordagem quantitativa significa quantificar opiniões, dados, formas de coleta de informações, assim como também com o emprego de recursos e técnicas estatísticas desde as mais simples, como porcentagem, média, moda, mediana e desvio padrão, até as de usos mais complexos.”
Soares(2003) relaciona o método de abordagem quantitativa com a quantificação de dados obtidos por meio de pesquisa, o mesmo autor aconselha o uso desta abordagem para a descoberta e classificação de variáveis e nas investigações que visem determinar relações de casualidade entre os fenômenos estudados.
A formalização da coleta de dados deverá se dá após a obtenção de dados no que diz respeito ao número de idosos usuários da Fisioterapia no Albergue Nosso Lar, as estatísticas globais deverão ser passadas pelos órgãos competentes da saúde, isso á nível municipal e estadual.
A coleta de dados propriamente dita deverá ser feita no mês de novembro do ano 2007.O campo de pesquisa oferece boa amostra, isso por ter idosos de hábitos diferentes, acometimentos com diferentes sintomas e até mesmo diferenças sociais e econômicas.
O instrumento a ser utilizado no desenvolvimento da pesquisa é a aplicação de questionários.Após coletados, os dados deverão ser analisados e apresentados em formas de tabelas(geradas no Microsoft Office Word 2003) e gráficos (gerados no Microsoft Office Excel 2003).
O objetivo geral que visa identificar o perfil de tratamento destes pacientes, estudando a possibilidade de um serviço especializado em Geriatria no município, é assim debatido e intrinsecamente ligado à metodologia utilizada, onde a construção teórica inicial é verificada e testada.
Busca-se, desde o início da pesquisa, respeitar todos os direitos dos indivíduos envolvidos no processo e basear-se nas diretrizes da resolução nº 196 de 1996 do Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Análise estatística dos dados

Foram analisados 30 questionários (10 homens e 20 mulheres), sendo que estes dados são capazes de oferecer fidedignidade estatística para tal artigo. Essa amostra exprime 50% do número de idoso total no albergue.


Esses dados vêm a confirmar a importância do atendimento da Fisioterapia Geriátrica. Dos entrevistados 90%(27 idosos) aprovam a fisioterapia e dizem que gostam de realiza-la e apenas 10%(3 idosos) não aprovam.Essas afirmações são vetores indicadores do crescente aprimoramento desta área e de suas especificidades.


Os dados supracitados esclarecem a visão dos idosos tratados sobre a Fisioterapia, no que diz respeito ao auxílio do profissional na reabilitação, diminuindo os acometimentos vindouros do imobilismo e aumentando a capacidade de realização de atividades que anteriormente não praticavam.O mesmo percentual de aprovação está presente neste gráfico, desse modo observa-se que as mesmas pessoas que aprovam o serviço acham que este auxilia diretamente na melhora da deambulação e de outras atividades da vida diária (AVD’s).


Este gráfico expressa o quanto a fisioterapia é importante para estes idosos. 86,6%
(26 idosos) afirmam que a Fisioterapia é ágil e melhora suas dores. Apenas 13,3% dos pacientes (4 idosos) relatam que fazem a Fisioterapia e esta não oferece melhora significativa de suas situações álgicas.


Estes dados são muito importantes, isso pelo fato de comprovar o que a bibliografia utilizada sugere. Esta diz que o tratamento fisioterápico oferece muitos resultados benéficos á saúde do paciente geriátrico, e a comprovação vem dessa experiência real neste local.
Dos 30 entrevistados, 28 comprovam que com a prática da Fisioterapia sua vida melhora qualitativamente e as atividades se tornam menos dolorosas e mais alegres.Assim chegamos a porcentagem de 96,6%(29 entrevistados) de aprovação da Fisioterapia no que diz respeito à qualidade de vida destes indivíduos.Apenas 3,6% (apenas um dos entrevistados)relatou que a Fisioterapia não auxilia na melhora da sua vida.
Essa discussão vem a argumentar um dos objetivos específicos deste, que é a implementação de um programa fisioterápico e multidisciplinar voltado para a população idosa da sociedade.Assim é necessário alertar a necessidade da melhora do atendimento fisioterápico no município, sendo que este processo deve ser realizado de maneira inter e multidisciplinar.


CONSIDERAÇÕES FINAIS

As bibliografias consultadas e os resultados veiculados confirmam que a população tende a ser cada dia mais idosa, pois o próprio brasileiro vem tendo a sua vida aumentada progressivamente. Segundo informações do Censo 2000, o índice de envelhecimento que era de 13.91% no ano de 1991 aumentou para 19.77% em 2000, e outros dados confirmam que este crescimento é cada dia maior.
A ação consciente e o “pesquisar consciente” é uma necessidade clara da população, principalmente na população geriátrica que é carente de políticas concisas que visem a melhoria e manutenção da sua saúde.
Parte da sociedade de maneira ilícita, “excluem” estes seres da sociedade, os direitos não são respeitados e leis não são plenamente postas em prática.
Os atuais e até mesmo futuros profissionais de saúde, devem agir de maneira consciente e cidadã, buscando desenvolver conhecimentos complexos que venham a melhorar a qualidade de vida dos indivíduos envolvidos no processo.é fácil perceber que quanto melhor for tratado o cidadão, independente de sua idade, melhor será a sociedade e mais prosperidades alcançaremos.Esse assunto deve ser discutido de maneira mais ampla e concisa para posterior desenvolvimento.
Assim este artigo vem comprovar a importância do tratamento fisioterápico na melhora da qualidade de vida dos pacientes cuidados, é conveniente sabermos este perfil de tratamento e amplia-lo. A implementação de um serviço fisioterápico e multidisciplinar, voltado apenas ao paciente geriátrico acometido por imobilismos e dores, pode se tornar realidade e esse artigo conclui tanto a necessidade quanto a importância do tratamento.
Concluímos, entretanto, que a Fisioterapia vem a ser aprovada pela maioria de usuários, onde estes relatam melhora de deambulação e maior facilidade na realização das AVD’s (Atividades da Vida Diária), além disso a qualidade de vida dos pacientes usuários do serviço é cada dia maior , sendo primariamente viável implementar um programa especializado em Saúde do idoso, sendo que este deve ser baseado na multi e interdisciplinaridade.

REFERÊNCIAS

CARVALHO, Margarida M.J. de. Dor: Um estudo multidisiplinar.São Paulo: Summus, 1999.

OLIVEIRA, Silvio Luiz. Tratado de metodologia científica:projetos de pesquisa, monografis, dissertação e teses. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 2000.

ZIMERMAN, Guite I. Velhice:aspectos biopsicossociais.Porto Alegre:Artmed, 2000.

SOARES, Edvaldo. Metodologia científica: lógica, epistemiologia e normas.São Paulo:Atlas, 2003.

NETTO, Antônio Jordão.Gerontologia básica.São Paulo: Lemos Editorial, 1997.

VILELA, Elaine Morelato. MENDES, Iranildes José Messias. Interdisciplinaridade e Saúde: estudo bibliográfico. Revista Latino-Americana de Enfermagem. V.11 N.4. Ribeirão Preto jul./ago. 2003.

TURATO, Egberto R. Métodos Qualitativos e quantitativos na área de saúde:definições, diferenças e seus objetivos de pesquisa.Rev.Saúde Pública. 2005;39(3):507-14.
Disponível em:www.fsp.usp.br/rsp. Acesso em 31 ago. 2007.

A dor na terceira idade. Disponível em: http://boa saúde.uol.com.br/lib.Acesso em 07 set. 2007.

Fisioterapia tem papel fundamental no atendimento ao idoso. Disponível em: http://samaritano.com.br/?id_pasta1=0&id_pasta2=5&id)pagina=460.Acesso em 08 set. 2007.

Instituto de Geografia e Estatística. Disponível em http://www.IBGE.gov.com.br. Acesso em 08 set. 2007.

Instituto de Geografia e Estatística. Disponível em http://www.IBGE.gov.com.br. Acesso em 04 dez. 2007.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.