Hospital Geral de Tailândia inova com projeto de ‘Hortaterapia’ na recuperação clínica de seus usuários

Internado no Hospital Geral de Tailândia (HGT), na mesorregião do nordeste paraense, o lavrador Francisco dos Santos Magalhães, de 49 anos, aprovou o projeto “Hortaterapia”, que associa atividades da fisioterapia e nutrição junto aos usuários, com a finalidade de assimilar novos conteúdos e conceitos ambientais, por meio de vivências inclusivas, melhorando a saúde mental, física, motora e também nutricional.

O usuário deu entrada no HGT dia 1º deste mês para realização de uma laparotomia exploratória (cirurgia para fins de diagnóstico), e seu pós-cirúrgico foi na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), de onde passou a fazer atividades de fisioterapia no projeto “Hortaterapia”.

Residente no Distrito de Palmares (distante cerca de 60 Km de Tailândia), Francisco Magalhães não poupa elogios às novas atividades. “Pra mim está sendo muito bom. Gostei da atividade de molhar as plantas e sentir o cheirinho da terra. É uma motivação pra gente e que faz bem pra saúde. E a atenção das fisioterapeutas é muito boa também”, destacou o usuário, que na manhã do dia 6, teve alta da UCI.  

De acordo com a coordenadora da Fisioterapia do HGT, Fernanda de Paula Cordeiro, o projeto estimula o consumo consciente e hábitos ecológicos, além de trabalhar a parte motora e ganho de autonomia nos usuários em tratamento. “Há ainda a valorização do consumo de hortifruti natural e isento de agrotóxicos”.

Já a nutricionista Clínica, Patrícia Manfredi, do Serviço de Nutrição e Dietética (SND), há necessidade de se levar em consideração aos aspectos nutricionais que têm se mostrado cada vez mais importantes para a alimentação e o desenvolvimento saudável dos usuários. “Há uma conexão entre a horta e as artes. Eles aprendem a observar as cores, sentem as texturas, contemplam a natureza”.

Fernanda de Paula destaca ainda o desenvolvimento psicomotor, tendo em vista que a horta do HGT é um grande canteiro de aprendizagem, por meio daquilo que veem ou sentem. “Tocar, sentir, cheirar, olhar, são fundamentais para o crescimento e fazem parte do aprendizado. Essa é a função da nossa horta sensorial’, ressalta, Fernanda de Paula.

A profissional afirma que a horta contribui para o fortalecimento de vínculos entre os usuários e o HGT. “São os valores do trabalho em equipe, do respeito, da colaboração que andam lado a lado para um interesse comum”, observou a fisioterapeuta ao informar que a equipe de Fisioterapia da unidade é composta também pelas colegas Zilma Sousa Magalhães e Valeria Rios da Silva e, que hoje, festejam o Dia do Fisioterapeuta.

A usuária Maria Dalrilene, moradora de Tailândia, há 16 dias internada no HGT após operar de laparotomia exploratória, não esconde sua gratidão pela equipe do HGT.  “Não tenho como agradecer, quando cheguei aqui estava muito debilitada, com as pernas fracas. As fisioterapeutas começaram a me trazer para a horta e comecei a me sentir melhor. Só ficar só deitada é incômodo, mas com a horta a gente se sente melhor. Aqui eu fui bem cuidada, não tenho o que falar, mas não vejo a hora de ir para casa”, destacou a dona de casa de 35 anos, que teve alta no sábado, 10.

O projeto da horta suspensa do HGT nasceu em 2019 e a gestão da unidade dará continuidade com a futura ampliação da horta e a criação de compostagem orgânica.

Estrutura – Com 52 leitos, o HGT dispõe de assistência de média complexidade garantida por uma equipe multidisciplinar que oferece as especialidades de Clínica Médica, Cirurgia Geral, Pediatria, Ginecologia/Obstetrícia, Ortopedia/Traumatologia, Radiologia, Anestesiologia e Cardiologia.

Serviço: O HGT é um órgão do governo do estado que está localizado na Av. Florianópolis, s/n, Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-3121.

Fonte: https://www.agenciapara.com.br/noticia/22787

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.