HAMMERSMITH INFANT NEUROLOGICAL EXAMINATION – HINE

Dra. Tathiana Ghisi de Souza (SP)

Fisioterapeuta, Mestre em Saúde da Criança e do Adolescente e Especialista em Fisioterapia Neonatal – UNICAMP, HINE Trainer Certificada pelo National Wild Children’s.

CONTEXTUALIZAÇÃO:

O objetivo da detecção precoce de alterações neurológicas é muito parecido em todas as partes do mundo: identificar precocemente as alterações de recém nascidos de risco e encaminhá-los para um tratamento precoce para maximizar o aprendizado e ajudar a planejar uma intervenção específica e apropriada baseada no aspectos das funções neurológicas alteradas e não só em uma intervenção geral baseada na presença de lesão (2).

DESENVOLVIMENTO:

A Avaliação Neurológica Infantil de Hammersmith (HINE) é um instrumento simples, desenvolvido para avaliação de bebês de 2 a 24 meses de idade cronológica ou corrigida (no caso de RNPT) e tem sido proposta como uma das principais ferramentas de diagnóstico precoce das alterações neurológicas da Paralisia Cerebral (PC). Consiste em 37 itens divididos em 3 seções: a primeira seção inclui 26 itens neurológicos, a segunda inclui 8 itens que avaliam o desenvolvimento das funções motoras e a terceira seção avalia o estado comportamental com 3 itens. Os dados obtidos nas seções 2 e 3 não são pontuados, mas servem como informação adicional na interpretação dos achados, pois, a habilidade de adquirir novos marcos motores é uma parte crucial do desenvolvimento neurológico das crianças e sua ausência é um importante sinal de uma maturação neurológica atípica (1,2).

Um dos benefícios do HINE em comparação com as outras ferramentas de avaliação é que o protocolo não só identifica a criança com risco de Paralisia Cerebral mas também promove uma informação adicional sobre o tipo e a gravidade da sequela motora, além de identificar também alterações relacionadas a outros aspectos das funções neurológicas, como as alterações auditivas, visuais e alimentares e isso é particularmente importante, pois o comprometimento da Paralisia Cerebral não se limita à sequela motora e tais achados podem aumentar a precisão do diagnóstico (3).

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

A Avaliação Neurológica de Hammersmith (HINE) é um exame padronizado, classificável e pode ser usado tanto na prática clínica quanto para fins de pesquisa. É uma avaliação de fácil execução e relativamente rápida e acessível, com boa confiabilidade interobservador mesmo se feita por profissionais com pouca experiência (1,2).

REFERÊNCIAS:

  1. Souza TG. Hammersmith Infant Neurological Examination: instrument para identificação precoce de recém-nascidos com alto risco de paralisia cerebral. In Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional; Faria CDCM, Leite HR, organizadores. PROFISIO Programa de Atualização em Fisioterapia Neurofuncional: Ciclo 7. Porto Alegre: Artmed Panamericana; 2020.p.137-68. (Sistema de Educação Continuada a Distância, v.3).
  2. Maitre NL, Chorna O, Romeo DM, Guzzetta A. Implementation of the Hammersmith Infant Neurological Examination in a High-Risk Infant Follow-Up Program. Pediatr Neurol. 2016 Dec;65:31-38. doi: 10.1016/j.pediatrneurol.2016.09.010.
  3. Romeo DM, Ricci D, Brogna C, Mercuri E. Use of the Hammersmith Infant Neurological Examination in infants with cerebral palsy: a critical review of the literature. Dev Med Child Neurol. 2016 Mar;58(3):240-5. doi: 10.1111/dmcn.12876.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.