Fisioterapia respiratória: mais fôlego para quem tem asma

Durante a crise asmática, os brônquios ficam obstruídos, a inspiração se torna rápida e fraca, enquanto a expiração é longa e ineficaz. Procura-se, então, uma postura que facilite a ação dos músculos que ajudam na respiração. No entanto, isso feito inadequadamente, aumenta a tensão muscular e gasta muita energia, levando o asmático à exaustão¹.

Para melhorar essa condição, além da terapia medicamentosa existe a fisioterapia pulmonar, com técnicas que aumentam o desempenho físico e orientações para prevenir e controlar as crises².

O trabalho envolve, dentre outras ações, adoção de posturas corretas, relaxamento muscular, prática de exercício respiratório e reabilitação da musculatura abdominal³.

Para descobrir se o método funciona mesmo, um estudo avaliou pacientes submetidos a um programa de reabilitação respiratória e concluiu: 60% deles reduziram o número de crises e 40% não apresentaram mais crises diárias³.

Portanto, a fisioterapia, aliada à terapia medicamentosa, ajuda a lidar melhor com a asma. Converse com o seu médico sobre o assunto. Por meio do seu histórico, ele pode avaliar e indicar o melhor tratamento de reabilitação pulmonar para que você ganhe mais fôlego e qualidade de vida.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.