Fisioterapia prepara alunos para atender pacientes cardíacos

Desde 2002, quando foi instalada, a Clínica Escola de Fisioterapia (Fisioclínica) do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) vem prestando um excelente serviço à comunidade de Adamantina e região, totalmente gratuito, nas áreas de Fisioterapia em ortopedia, traumatologia, reumatologia, neurologia, gerontologia, uroginecologia, cardiologia, respiratória, preventiva e hidroterapia.

Os atendimentos são realizados pelos alunos do 4º e do 5º anos do curso, sob a supervisão de professores e orientação e acompanhamento de fisioterapeutas orientadores de estágio. “Seguimos as exigências da Diretriz Nacional para o curso de Graduação em Fisioterapia, oferecendo ao nosso aluno mais de 1 mil horas de estágio supervisionado e obrigatório”, destacou a supervisora da Fisioclínica, Prof.ª Ma. Leandra Navarro Benatti.

Nesta publicação, destacamos a prática da Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória, no ambiente de estágio da UniFAI, as quais consistem em áreas de atuação da profissão e especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito).
Atualmente, as doenças cardiovasculares e respiratórias são responsáveis por cerca de 30% e 20%, respectivamente, de todos os óbitos ocorridos no Brasil, sendo o infarto agudo do miocárdio sua principal causa entre as cardiovasculares.

O Ministério da Saúde reconhece que essas doenças crônicas afetam a qualidade de vida e podem provocar incapacidade nos indivíduos acometidos, causando grande impacto econômico. As limitações físicas, emocionais e intelectuais que surgem com a doença, com consequências na vida do paciente e de sua família, geram sofrimento humano.

A fisioterapia utiliza várias estratégias para prevenir, tratar e amenizar as consequências dessas doenças, assim, a reabilitação cardiopulmonar é definida o conjunto das intervenções multidisciplinares necessárias para fornecer ao doente cardíaco ou pneumopata, uma melhora da condição física, psicológica e social tão elevada quanto possível, de forma que os doentes com patologia crônica ou pós-aguda possam, pelos seus próprios meios, preservar ou retomar o seu lugar na sociedade.

As doenças tratadas, bem como suas consequências e sequelas são: doença arterial coronariana (consequência importante da aterosclerose), angina, infarto agudo do miocárdio, bem como os fatores de risco modificáveis para estas doenças (hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias), insuficiência cardíaca, arritmias, problemas circulatórios; asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), fibrose pulmonar, bronquiectasia. Destacando-se o atendimento pré e pós-operatório de cirurgias cardíaca e pulmonar.

A condição física pode ser tratada utilizando-se como principais recursos terapêuticos os exercícios aeróbicos e resistidos (de força muscular), os quais são prescritos de forma associada, de acordo com as evidências científicas atuais e respeitando-se a individualidade biológica do indivíduo e a estratificação do seu risco, a partir de uma avaliação fisioterapêutica em repouso e esforço (submáximo). A partir disso, é definida a intensidade que o esforço será realizado, bem como as outras técnicas de tratamento, em que o paciente é monitorado em toda a sessão pela frequência cardíaca, pressão arterial e saturação periférica de oxigênio. Para iniciar o atendimento é importante que o paciente realize previamente e tenha em mãos o Teste Ergométrico (de esforço).

Em um trabalho feito no Setor, observamos, por exemplo, uma melhora de 22% da capacidade funcional de dez pacientes hipertensos e diabéticos, vista pelo aumento da distância percorrida do Teste de Caminhada de Seis Minutos, além de um importante controle dos níveis glicêmicos e pressóricos, quando comparados aos indivíduos do grupo controle. A melhora na capacidade funcional é um reflexo do aumento da força de contração do músculo cardíaco, o que resulta no melhor do fornecimento de oxigênio para o corpo, com isso temos a redução da fadiga e da dispneia dos pacientes, os quais consistem nas queixas mais frequentes dos mesmos.

Atualmente, 50 pacientes estão em atendimento no Setor de Prática Supervisionada de Fisioterapia Cardiorrespiratória, orientados diariamente pela fisioterapeuta Ana Carolina de Almeida Guiselini, e sob a supervisão da Prof.ª Ma. Leandra Navarro Benatti, que também ministra as disciplinas teóricas específicas de Fisioterapia em Cardiologia e Preventiva. A Fisioclínica está localizada no Câmpus III da UniFAI, na avenida Marechal Castelo Branco, 660. O telefone é (18) 3522-1000 e os atendimentos são realizados de segunda a sexta-feira, no período da manhã.

Fotos
Fisioterapia prepara alunos para atendimento de pacientes cardíacos e com problemas respiratórios (Foto: Unifai). Fisioterapia prepara alunos para atendimento de pacientes cardíacos e com problemas respiratórios (Foto: Unifai). Fisioterapia prepara alunos para atendimento de pacientes cardíacos e com problemas respiratórios (Foto: Unifai).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.