FISIOTERAPIA NEUROFUNCIONAL

O CONCEITO FES-ASSISTED DEVICES NA PROMOÇÃO DO BEM-ESTAR DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NEUROFUNCIONAL

Autor

Dr. Emerson Fachin-Martins (DF)
Fisioterapeuta que promove bem-estar de pessoas, educador que forma fisioterapeutas biopsicossociais que decidem baseados em evidências, pesquisador que produz conhecimento de interfaces corpo-máquina para inovar dispositivos para assistência de longa permanência. Líder do Núcleo de Tecnologia Assistiva, Acessibilidade e Inovação e Professor Associado da Universidade de Brasília – UnB.
PALESTRANTE CONFIRMADO

Contextualização: O emprego das correntes elétricas por fisioterapeutas acompanha historicamente o surgimento da própria terapia física, sendo a aplicação analgésica sua prática assistencial mais popular. Entretanto, para além do que somente promover analgesia, as correntes elétricas contribuem com finalidades diagnósticas (eletroneuromiografias, eletro-oculografias, eletrocardiografias, eletroencefalografias e outras), profiláticas (contrações eletricamente evocadas para prevenir tromboembolismo venoso) e terapêuticas (contrações de músculos paralisados em contextos funcionais), ganhando notoriedade recente como dispositivos para assistência de longa permanência. Para quem trabalha com engenharia de produtos, é usual reconhecer que toda solução tecnológica é precedida por um conceito a ser provado, o que contribui para a prontidão/maturidade tecnológica de um produto. Contudo, os fisioterapeutas não se lançaram ainda nesse mercado. Assim, ensejo o conceito tecnológico FES-assisted devices (dispositivos assistidos pela eletroestimulação funcional) – um conceito com contribuições da fisioterapia – como exemplo de inovação também concebida por fisioterapeutas como alternativa para promover o bem-estar de pessoas com deficiência.

Desenvolvimento: As deficiências na estrutura e funcionamento do sistema nervoso que afetam o trato corticoespinal resultam em paralisia muscular caracterizada historicamente documentada síndrome piramidal. Não obstante os inconvenientes dessa síndrome, a preservação da inervação no músculo permite se divagar o conceito de que proposições terapêuticas poderiam explorar dispositivos que coordenassem os controles naturais (recrutamento voluntário preservado) com os artificiais (recrutamento eletricamente evocado) no cumprimento de tarefas específicas. Assim, ao mostrar que o controle artificial do recrutamento elétrico de quadríceps paralisados em uma pessoa com paraplegia no instante ideal de uma transferência da cadeira de rodas para outro assento poderia aliviar a sobrecarga de ombros nessa transferência que é por ele realizada mais de 15 vezes ao dia, provaria o conceito de que um dispositivo acionado por eletroestimulação (FES-assisted device) poderia configurar assistência de longa permanência para esse público. Tal conceito aplicado a transferências (FES-assisted transfer) poderia ajudar a permanecer em pé (FES-assisted standing), a caminhar (FES-assisted walking), a pedalar uma bicicleta (FES-assisted cycling), a remar (FESassisted rowing), ou até mesmo a aliviar pontos de pressão de usuários de cadeira de rodas (FESassisted relief). Todos os conceitos apresentados surgem a partir conceito FES-assisted devices que já foi tecnologicamente provado.

Considerações finais: Ao provar tal conceito, materializando-o em um dispositivo vestível (wearable) – outro conceito tecnológico bastante atual – poderíamos vislumbrar uma roupa que, diferente dos exoesqueletos, é esteticamente mais aceitável e promove a função neuromotora por acionamento ativo, ainda que de controle artificial, da musculatura paralisada. Algo bastante promissor que já não é mais ficção científica.

Leitura complementar: Azevedo Coste C, Popovic M, Mayr W. Functional Electrical Stimulation. Artif Organs. 2017 Nov;41(11):977-978. doi: 10.1111/aor.13052.

Michelle R, Jucá RVB de M, Oliveira LA, et al. Overview of FES-Assisted Cycling Approaches and Their Benefits on Functional Rehabilitation and Muscle Atrophy. In: Advances in Experimental Medicine and Biology. 2018.

NASA. Technology Readiness Level. NASA website. https://www.nasa.gov/directorates/heo/scan/engineering/technology/txt_accordion1.html. Published 2012. Accessed March 5, 2020

Oferecimento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.