Fisioterapeutas questionam vídeo com tratamento para hidrocefalia infantil

A gravação já teve mais de 225 mil visualizações no Facebook e a discussão sobre o método levanta dúvidas.

O vídeo de uma criança com hidrocefalia durante uma sessão de reabilitação em Goiânia gera discussões desde a última quarta-feira (25/3). As imagens mostram o menino chorando durante exercícios de alongamento feitos por um professor de educação física do Centro Brasileiro de Reabilitação e Apoio ao Deficiente Visual (Cebrav).

As imagens foram gravadas pela avó da criança e mostram o profissional fazendo movimentos bruscos para puxar a perna da criança, que está sobre uma bola. Em um trecho, ele joga o paciente, que chora compulsivamente.

A gravação já teve mais de 225 mil visualizações no Facebook e a discussão sobre o método levanta questionamentos. Em grupos de debate na rede social, alguns fisioterapeutas relatam que o procedimento adotado não é alongamento ou fisioterapia.

A diretora do Cebrav, Marisa Eugênia Teixeira da Silva, alega que o procedimento mostrado no vídeo é comum e todos os professores do local o fazem. “As pessoas ficam chocacadas porque a criança está chorando, mas isso já foi esclarecido. Não existe denúncia”, considera. O professor da Cebrav não quis falar sobre o caso.

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional de 11ª Região (Crefito 11) afirmou, em nota, que as imagens serão analisadas e que o tratamento feito pelo educador físico é incompatível.

A Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional (Abrafin) repudia os procedimentos executados e reforça que os exercícios aplicados na criança não são reconhecidos pela Abrafin.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.