Fisioterapeutas poderão prescrever medicamentos

 

Fisioterapeutas podem prescrever medicamentos

Os fisioterapeutas espanhóis não ficaram excluídos da chamada “Lei do Medicamento”, sendo assim autorizados a indicar de forma autónoma medicamentos não sujeitos a prescrição médica e produtos sanitários relacionados com a sua profissão (Lei 29/2006, de 26 de Julho: parágrafo 1 do artigo77).

Esta era uma das principais demandas do Conselho Geral dos Colégios de Fisioterapeutas da Espanha (CGCFE) e que com a petição do Ministério da Saúde de Serviços Sociais e Igualdade, foi definitivamente aprovada pelo Governo.

A partir de agora, o Ministério da Saúde e os Colégios de Fisioterapia, de maneira conjunta trabalham para fazer efetiva essa lei em todo país. Para isso, os diplomados com plano de estudo antigo que não tenham a matéria de farmacologia em sua grade curricular, poderão formasse em cursos realizados para este fim.

O Colégio Profissional de Fisioterapia da Comunidade de Madri (CPFCM) já está trabalhando em pró desse avanço, com projetos para realização de ações formativas e continuadas, que iniciarão no mês de Outubro. Serão realizados cursos de introdução à ortopedia técnica (produtos sanitários e ortopédicos) além de cursos de farmacologia.

“Desde o ano de 2006, os profissionais da fisioterapia estavam excluídos da possibilidade de recomendar o uso de medicamentos não sujeitos a receita médica e de produtos sanitários como próteses, joelheiras, etc. Afortunadamente esta lei foi aceita pelo Ministério da Saúde, Governo e por todos os grupos parlamentários; reconhecendo que os fisioterapeutas possuem formação universitária para poder prescrever estes produtos”, palavras do presidente da CGCFE, Miguel Villafaina.

A Espanha conseguiu mais um avanço importante para nossa profissão, e há exatamente um ano os fisioterapeutas do Reino Unido foram os primeiros a terem autonomia para prescrever medicamentos de forma independente. Se tratando do Brasil, o código de ética profissional, Resolução Coffito nº 10/78, proíbe ao fisioterapeuta e ao terapeuta ocupacional a prescrição de medicamentos.

Un fuerte abrazo, ¡hasta pronto!

[button type=”small” color=”black” rounded=”1″ link=”https://www.novafisio.com.br/wp-content/uploads/2013/08/noticia_706-1.pdf” ]Baixe aqui a lei na íntegra[/button]

 

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

8 comentários em “Fisioterapeutas poderão prescrever medicamentos”

  1. josemar blures

    Um avanço com base no reconhecimento da profissão! Mais um exemplo a ser seguido aqui no Brasil.

  2. Jose Vitorino

    Parabenizo a Espanha e a Inglaterra, pelo exemplo de excelencia no saber e na sua aplicacao, em prol do coletivo populacional. Nao devemos esquecer que saude e vida, nao cabendo assim o mercantilismo em detrimento da vida; fato lamentavel e atual em nosso Brasil. A luta entre “MEDICOS E NAO-MEDICOS”, ATRAVES DO “ATO MEDICO”.

  3. Marcio Alexandre

    FCPAS
    FRENTE DOS CONSELHOS DAS PROFISSÕES DA ÁREA DA SAUDE

    CHAMAMENTO AOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE, ACADÊMICOS E POPULAÇÃO EM GERAL

    Prezado Colega:

    No último dia 10 de Julho, a Presidente Dilma vetou parcialmente o PL do “Ato Médico”. O Conselho Federal de Medicina e as demais representações médicas, já se manifestaram CONTRA os vetos da Presidente e, desde então estão trabalhando para derrubar os vetos no Congresso Nacional.
    Para que isto não ocorra é necessária e fundamental a sua participação política.
    Encaminhe um e-mail aos Senadores e Deputados Federais, solicitando a MANUTENÇÃO dos vetos no referido Projeto de Lei, em prol da saúde pública brasileira e do Sistema Único de Saúde – SUS.
    Participe!
    A Saúde é responsabilidade de todos!
    Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – COFFITO
    Conselho Federal de Enfermagem – COFEN
    Conselho Federal de Psicologia – CFP
    Conselho Federal de Fonoaudiologia – CFFa
    Conselho Federal de Biomedicina – CFBM
    Conselho Federal de Biologia – CFBio
    Conselho Federal de Serviço Social – CFESS
    Conselho Brasileiro de Óptica e Optometria – CBOO
    Conselho Federal de Farmácia – CFF
    Conselho Federal de Nutrição – CFN

    Clique aqui para enviar o e-mail aos Parlamentares.
    http://www.coffito.org.br/conteudo/con_view.asp?secao=19

    visite também: http://www2.pol.org.br/main/manifesto_veta_dilma.cfm

  4. Concordo parcialmente. Uma conquista não quer dizer que todos serão aptos a prescreverem. Como será feita essa formação? As aulas de farmacologia da graduação não é voltada para isso. Quem irá fiscalizar? Poderá virar um comercio perigoso com os laboratórios, como ocorrem com vários médicos. Os colegas serão tão éticos assim para não entrarem nesse mercantilismo? Em caso de efeitos colaterais vão mandar para um médico resolver ou poderá resolver com outro remédio? Temos que estar preparados para lutar para termos diferenciais.

  5. Andrei Augusto

    Diogo, pelo que tenho visto como paciente, em relação a esses efeitos colaterais de medicamentos, os médicos não resolvem porcaria nenhuma, seja medico ou fisioterapeuta os efeitos colaterais continuarão lá!!!

  6. Acredito que uma atuação limitada quanto a prescrição de medicamentos seja suficiente (antiinflamatórios, analgésicos, relaxantes musculares, antireumáticos talvez, e outros coadjuvantes à prática fisioterapeutica), visto que não somos médicos, mas fisioterapêutas. Quanto aos efeitos colaterais, os próprios médicos são negligentes quanto a isso. Não quero dizer que também sejamos negligentes, porém com formação, reciclagem adequada e realista, isso supra integralmente essa lacuna quanto à atuação existente. Não esqueçamos que também precisamos de autonomia para PEDIR EXAMES! Visto que tal prática TÃO NECESSÁRIA à prática ótima da profissão é ajuda incontestável aos pacientes, nos é negada por puro preconceito e reserva de mercado por parte dos conselhos, inclusive o nosso, e também pelos convênios. Não vejo nenhum conselho regional ou federal de fisioterapia se mobilizando quanto à isso. Em tempo: Isenção de rodízio para o Fisioterapêuta em São Paulo também precisa de mobilização dos conselhos, mas parece que isso dá trabalho e atrapalha as reuniões e publicações de discussão dos “rumos da fisioterapia” nas revistas…

  7. André Evaristo G Gomes

    excelente conquista dos nossos colegas Espanhol e Britânicos. Deveria ser aplicado em nosso país, pois o Brasil vive um momento de total falta de respeito com relação a comercialização de medicamentos, verdadeiros shopping de medicamentos vem crescendo, contribuindo para a “empurroterapia” nesse país. medicamento deveriam ser armazenados em salas restritas e fora dos olhos dos clientes para não estimular sua compra por impulso.
    obs. a diferença entre o veneno da cobra e a medicação esta apenas na dose. o Brasil precisa atentar para esse mau que vem crescendo com uso abusivo de medicamentos.
    Dr.André Evaristo
    Farmacêutico e Fisioterapeuta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.