Fisioterapeutas podem passar atestado

RESOLUÇÃO Nº. 381/2010

RESOLUÇÃO nº. 381, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2010.
DOU nº. 225, Seção 1, em 25/11/2010, página 80

[adrotate banner=”60″][adrotate banner=”59″]

Dispõe sobre a elaboração e emissão pelo Fisioterapeuta
de atestados, pareceres e laudos periciais.

O Plenário do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, em sua 208ª Reunião Plenária Ordinária, realizada no dia 03 de novembro de 2010, em sua subsede, situada na Rua Napoleão de Barros, nº. 471, Vila Clementino, São Paulo-SP:

CONSIDERANDO suas prerrogativas legais dispostas na Lei Federal 6.316 de 17/12/1975;
CONSIDERANDO o disposto na norma do parágrafo 1º do artigo 145, da Lei 5.869/73 e suas alterações;
CONSIDERANDO o disposto na norma da Resolução COFFITO nº 80, de 09 de maio de 1987;
CONSIDERANDO o disposto na norma do artigo 5º da Resolução COFFITO nº 123 de 19 de março de 1991;
CONSIDERANDO o disposto na norma da Resolução COFFITO nº 259, de 18 de dezembro de 2003;
CONSIDERANDO o disposto na norma da Resolução do Conselho Nacional de Educação/CES nº 4 de 19/02/2002, que estabelece as diretrizes curriculares para a formação profissional do Fisioterapeuta;
Resolve:

Artigo 1º – O Fisioterapeuta no âmbito da sua atuação profissional é competente para elaborar e emitir parecer, atestado ou laudo pericial indicando o grau de capacidade ou incapacidade funcional, com vistas a apontar competências ou incompetências laborais (transitórias ou definitivas), mudanças ou adaptações nas funcionalidades (transitórias ou definitivas) e seus efeitos no desempenho laboral em razão das seguintes solicitações:
a) demanda judicial;
b) readaptação no ambiente de trabalho;
c) afastamento do ambiente de trabalho para a eficácia do tratamento fisioterapêutico;
d) instrução de pedido administrativo ou judicial de aposentadoria por invalidez (incompetência laboral definitiva);
e) instrução de processos administrativos ou sindicâncias no setor público (em conformidade com a Lei 9.784/99) ou no setor privado e
f) e onde mais se fizerem necessários os instrumentos referidos neste artigo.

Artigo 2º – Atestado trata-se de documento qualificado, afirmando a veracidade sobre as condições do paciente, declarando, certificando o grau de capacidade ou incapacidade funcional com vistas a apontar as competências ou incompetências (transitórias ou definitivas), habilidades ou inabilidades do cliente em acompanhamento terapêutico.

Artigo 3º – Parecer trata-se de documento contendo opinião do fisioterapeuta acompanhada de documento firmado por este sobre determinada situação que exija conhecimentos técnicos/científicos no âmbito de sua atuação profissional decorrente de controvérsia submetida a alguma espécie de demanda, que não trata necessariamente de um indivíduo em especial. Portanto, significa emitir opinião, fundamentada, sobre aspectos gerais ou específicos da respectiva disciplina (Fisioterapia) em face do grau de capacidade ou incapacidade funcional, com vistas a apontar competências ou incompetências (transitórias ou definitivas), mudanças ou adaptações nas funcionalidades (transitórias ou definitivas) e seus efeitos no desempenho laboral objeto desta Resolução.

Artigo 4º – Laudo Pericial trata-se de documento contendo opinião/parecer técnico em resposta a uma consulta, decorrente de controvérsia submetida a alguma espécie de demanda. É um documento redigido de forma clara, objetiva, fundamentado e conclusivo. É o relatório da perícia realizada pelo autor do documento, ou seja, é a tradução das impressões captadas por este, em torno do fato litigioso, por meio dos conhecimentos especiais que detém em face do grau de capacidade ou incapacidade funcional, com vistas a apontar as competências ou incompetências (transitórias ou definitivas) de um indivíduo ou de uma coletividade e mudanças ou adaptações nas funcionalidades (transitórias ou definitivas) e seus efeitos no desempenho laboral.

Artigo 6° – Os casos omissos serão deliberados pelo Plenário do COFFITO.

Artigo 7° – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação

ELINETH DA CONCEIÇÃO DA SILVA BRAGA
Diretora-Secretária

ROBERTO MATTAR CEPEDA
Presidente do Conselho

Leia também: Fisioterapeuta, ganhe dinheiro com espirometria. Laudos e exames.

5 comentários em “Fisioterapeutas podem passar atestado”

  1. Geovani Mattos

    Boa tarde!

    Sou Fisioterapeuta e trabalho no estado de SC, em uma empresa madeireira.
    Ta mais do que esclarecido e comprovado de que o fisioterapeuta tem capacidade para diagnósticos cinesiológicos e para passar atestados é indiscutível.
    Mas isto não está inserido nas normas do Ministério do Trabalho, na empresa já tivemos algumas discussões referente ao assunto, tanto com RH como com o médico, mas o fisioterapeuta não esta inserido nas normas regulamentadoras como NR7, fazendo então que o médico ignore os atestado que passamos, como podemos passar por isso sem constrangimentos e novas discussões???

  2. Caro Colega,

    Como você bem disse, não há respaldo em normas do Ministério do Trabalho quanto à validade para fins burocráticos. Para evitar constrangimento não devemos debater isso com os médicos e sim batalhar para coordenarmos as ações dos profissionais, já que possuir duas categorias emitindo atestado para o mesmo fim provavelmente causaria transtornos administrativos…

  3. Dr. Marcio Barbosa - Crefito 109498/3 - Perito Judicial

    Caros Colegas,

    O atestado Fisioterapêutico tem força jurídica e judicial, ou seja o Fisioterapeuta ao emitir o documento deve ser analisado pelo Médico da empresa, e caso este Atestado emita opinião conclusiva em afastamento do posto de trabalho devido lesão, o Médico ao entender o contrário e o colaborador da empresa chegar a ter esta moléstia agravada, ou se lesionar, causará transtornos jurídicos enormes ao empregador, a empresa e ao próprio Médico do Trabalho. Analisando concretamente a situação seja Médico particular ou do SUS, e/ou sendo Fisioterapeuta particular e/ou do SUS, todo atestado deve ser considerado.

  4. Renato Sanches

    Uma duvida!!

    É necessário que o Fisioterapeuta tenha o curso de perito?
    Não sou fisioterapeuta, mas tenho vários amigos que são da área. Apenas para fins de conhecimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.