Fisioterapeuta, escritora, contadora e pintora.

Livro infantil une escrita, pintura e contação de história

Fisioterapeuta une técnicas para promover o convívio entre as diferenças acaba de lançar seu 1º livro

A escrita, a pintura e a contação de histórias têm uma relação muito próxima com a fisioterapia no trabalho desenvolvido por Stella Corrêa, de Rio Preto. Especialista no atendimento de bebês e crianças com algum tipo de deficiência física ou mental, ela recorre à arte para promover a integração e exercitar o convívio com as diferenças.

Nas contações que faz por Rio Preto, Stella consegue colocar na mesma plateia crianças com os mais variados perfis, que aprendem sobre temas como diversidade, convivência e tolerância por meio de suas histórias.

E são essas histórias que dão vida a uma série de livros infantis que Stella pretende lançar até o próximo ano. O primeiro deles, Os Amigos Diferentes de Mim, foi lançado na última sexta-feira, 8, na livraria Leitura, no Shopping Iguatemi, oportunidade em que a autora reuniu os pequenos para contar essa e outras histórias.

“Sempre gostei de contar histórias e entrei nas aulas de pintura justamente para poder ilustrá-las durante minhas contações. Comecei a contar histórias justamente para levar meus pacientes para o ambiente da livraria. É um momento de identificação importante tanto para eles como para as outras crianças”, comenta Stella, que atuou por quase dez anos na UTI neonatal e na oncologia pediátrica do Hospital de Base (HB).

Voltado para as crianças com até 6 anos, Os Amigos Diferentes de Mim, assim como as outras publicações que Stella pretende lançar, tem uma formato diferenciado, inspirado no kamishibai, que significa ‘teatro de papel’ em japonês. Trata-se de uma forma de contar histórias que recorre a um emakimono (rolo de pintura), em que cada parte ilustrada da trama é apresentada em quadros.

“Já utilizo esse tipo de recurso nas minhas contações de histórias, e me inspirei nele ao lançar o livro”, conta ela, que criou todas as ilustrações da publicação. Ao final da leitura, o livro de Stella vira um quadro de parede, com todas as aquelas produzidas para ilustrar a história.

Essa técnica de publicação também é usada por escritoras como Eva Furnari e Lúcia Hiratsuka, premiadas autoras e ilustradoras brasileiras. No lançamento de seu livro, Stella usou as aquarelas originais de obra para contar a história para as crianças.

O primeiro livro infantil de Stella apresenta três amigos da floresta, o leão Léo, a girafa Gigi e o hipopótamo Alceu. Na beira do rio, cada um deles reflete sobre suas semelhanças e diferenças.

“O livro é uma reflexão de quanto somos diferentes, mesmo sendo considerados ‘normais’. Isso não deve nos afastar das pessoas, e, sim, facilitar um maior convívio, pois assim aprendemos mais sobre o amor, o respeito e a solidariedade”, reflete.

A fisioterapeuta e escritora já conta com mais seis histórias para publicar, o que ela faz de forma independente. “Algumas são fábulas como essa do primeiro livro, outras trazem personagens humanos. Trabalho temas como a inclusão, o bullying e até mesmo os novos formatos de família”, conta a fisioterapeuta e escritora.

Fonte: http://www.diariodaregiao.com.br/

 

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.