Fisioterapeuta e o irmão dele foram presos preventivamente

Duas pessoas foram presas preventivamente nesta terça-feira (11) durante operação do Ministério Público, em Teófilo Otoni. Segundo órgão, foi realizada a 2ª fase de uma investigação que apura desvios de recursos recursos públicos do núcleo de reabilitação órteses e próteses do hospital Bom Samaritano.

Um fisioterapeuta do hospital e o irmão dele foram presos. Investigado na primeira fase da operação, deflagrada em junho, o fisioterapeuta continuava trabalhavando no hospital sem ter sofrido nenhuma advertência ou suspensão. Para o MP, a ausência de punição deu ao suspeito sensação de ser imune à justiça.

Ele e o irmão também são suspeitos de tentarem influenciar duas testemunhas para desviar o curso da investigação, de tentarem controlar autoridades que investigam o caso e de fazerem uso de documentação falsa. Além das prisões, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão.

Segundo o MP, as investigações continuam. A assessoria da Prefeitura de Teófilo Otoni informou que o departamento jurídico do município e a direção do hospital Bom Samaritano estão analisando o caso. O G1 não conseguiu fazer contato com a defesa dos suspeitos.

Entenda o caso

No último mês o Ministério Público deflagrou operação para investigar desvios de recursos públicos no hospital Bom Samaritano. As investigações apontam que pelo menos 300 pacientes ficaram sem receber próteses e órteses por conta da suposta fraude, que começou em 2012. O prejuízo aos cofres públicos é estimado em cerca de R$ 400 mil.

Fonte: http://g1.globo.com/mg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.