Fisioterapeuta dá dicas para mulheres que acabaram de ter bebê

A realização de alongamentos é importante para conseguir lidar, sem dores e desconfortos, com as tarefas relacionadas ao bebê e a casa. Além de mudanças hormonais e emocionais, a mãe fica exposta a situações como segurar o recém-nascido no colo, amamentar, trocar a fralda, entre outras atividades. Com isso, é importante prevenir dores musculares, cãibras, má circulação e má postura para que problemas maiores não sejam ocasionados.

“É muito importante que a mãe esteja informada e consciente das alterações que vão acontecer no corpo nos dias após o parto. Estas alterações ocorrem muito rapidamente – em apenas 6 semanas – e podem deixá-la insegura, cansada e vulnerável. Sentir-se apoiada e avisada sobre o que vai acontecer, ajudará a passar por esta fase muito mais tranquila e confiante”, alerta Dr. Rodrigo Peres, fisioterapeuta e coordenador da Central da Fisioterapia.

Confira algumas dicas para evitar lesões musculares pós-parto:

  1. Alongue os ombros antes e depois da amamentação. Relaxe-os e solte-os lentamente combinando com a respiração (faça três repetições);
  2. Empurre a cabeça para baixo com ajuda das mãos, mantendo flexionado por 10 segundos (faça duas repetições);
  3. Incline a cervical para o lado direito e depois para o esquerdo (faça duas repetições para cada lado);
  4. Durante a amamentação fique sentada, mantendo os pés apoiados no chão e os braços em uma almofada de amamentação ou travesseiro. A coluna deve ficar junto do encosto da poltrona ou cadeira e os braços confortáveis;
  5. Descanse enquanto o bebê dorme para evitar o estresse;
  6. Enquanto amamenta, faça movimentos circulares com as pernas para ativar o sistema linfático;
  7. Sente-se na hora de trocar a fralda ou mantenha a criança em algum lugar que esteja na altura da sua cintura;
  8. Alimente-se de três em três horas, isto trará benefícios para a sua saúde e do bebê;
  9. Assim que estiver liberada pelo médico, retome as atividades físicas ou inicie, caso nunca tenha feito;
  10. Trabalhar a musculatura do assoalho pélvico, estrutura que sustenta os órgãos reprodutores, assim como a bexiga e o reto, é muito importante, pois evita disfunções urinárias ou mesmo sexuais. Para isso, a fisioterapia auxilia com alongamentos musculares, eletroestimulação e biofeedback, aparelho que indica ao fisioterapeuta como está a evolução da paciente durante a realização dos exercícios.

Para saber mais acesse: www.centraldafisioterapia.com.br