Fisioterapeuta cria adaptador para aparelhos de nebulização

O fisioterapeuta Adomar Machado uniu o olhar atento, a experiência profissional e a criatividade e desenvolveu um produto que promete melhorar a efetividade da nebulização. Aos 35 anos de profissão, Machado protocolou no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) o projeto de um adaptador para aparelhos de nebulização. O invento é inédito no país.

Fisioterapeuta mostra que, com o adaptador, copo onde é colocado o medicamento permanece sempre em pé, garantindo que todo o líquido seja vaporizado

A peça, em formato de ‘L’, faz a ligação entre o copo, onde é colocado o líquido a ser valorizado, e a máscara utilizada pelo paciente. Com isso, independentemente da posição que o pessoa estiver, o copo sempre ficará em pé, permitindo que todo o líquido (medicamento) seja vaporizado pela máscara.

Estudei bastante para chegar ao tamanho certo, com o encaixe exato. Não queria morrer sem fazer isso, porque sei que ninguém faria. É algo inédito, Adomar Machado, fisioterapeuta.

Sem o adaptador, o copo fica ligado diretamente à máscara. O fisioterapeuta explica que o modelo tradicional foi feito para o paciente utilizar sentado e, por isso, quando a pessoa está deitada ou mesmo reclinada – posições muito comuns quando o paciente está debilitado – , o tubo também ficava deitado e boa parte do medicamento líquido acabava não sendo transferida para a máscara.

“Dependendo da posição do paciente, até 50% da medicação vai fora. Com o adaptador, o copo permanece sempre em pé, até mesmo se o paciente estiver deitado de bruços, e com isso é utilizado todo o medicamento”, explica o inventor.

Mais eficiência

Para Ado, como é conhecido, a criação do adaptador de nebulização resolve um problema comum a muitas pessoas, mas que passa despercebido, até mesmo, para profissionais da saúde. “O hospital paga a medicação, o médico receita, a enfermeira aplica, mas sobra medicação e acaba indo fora. Isso acontece tanto em Venâncio Aires quanto no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre”, observa o fisioterapeuta, ao citar que, principalmente, crianças, que não conseguem ficar sentadas, podem ser beneficiadas com o invento.

>> O protótipo do adaptador foi confeccionado com um cano de PVC. Entretanto, a ideia é que seja produzido no mesmo material plástico do restante do aparelho.

Sobre o invento

– A ideia de patentear o adaptador já existe há 20 anos, mas ficou guardada até o início deste ano. A criação, inclusive, já foi utilizada por Ademar Machado no tratamento de pacientes.

– Há duas décadas, o profissional publicou um artigo sobre o projeto na revista do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Rio Grande do Sul (Crefito).

– Em 9 de janeiro deste ano, o próprio conselho aprovou cientificamente a invenção, encaminhada para registro no Instituto Nacional de Propriedade Industrial em 21 de março.

– A patente foi protocolada pelo escritório Signific, de Porto Alegre, da também venâncio-airense Claci Falkembach.

– A ideia é que, a partir de agora, por meio de parcerias, os equipamentos de nebulização com o adaptador sejam produzidos e comercializados.

Fonte: http://www.folhadomate.com
Foto: Juliana Bencke / Folha do Mate

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.