Estudo mostra importância de respiração na queima de gordura

Continua após anúncios...
Manter uma boa respiração durante a prática de exercícios físicos pode ser mais importante do que se pensa. Segundo a pesquisa “When somebody loses weight, where does the fat go?”, publicado na BMJ, uma das mais influentes e conceituadas publicações sobre medicina no mundo, e assinada pelos pesquisadores Ruben Meerman e Andrew J Brown, da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, a cada 10 quilos de gordura eliminados,  8,4 quilos são excretados pelos pulmões em forma de dióxido de carbono (CO2), e apenas 1,6 quilos em forma de água pelo suor, urina e fezes.

Os pesquisadores alegaram descobrir que, no processo de perda de peso, grande parte da gordura é transformada em dióxido de carbono (CO2), eliminado pelos pulmões. A explicação seria a de que as células de gordura armazenam triglicérides, um composto formado por três átomos: carbono, hidrogênio e oxigênio. Para perder gordura, é necessário liberar esses átomos da molécula de triglicérides num processo de oxidação.
“Perder peso requer liberar o carbono armazenado nas células de gordura. Isso reforça a recomendação de comer menos e se mover mais”, concluíram.

O fisioterapeuta Rêncio Bento, da Clínica Médica Saúde de Todos, explica melhor: “A respiração é um dos processos fisiológicos mais importantes do corpo humano. Durante os exercícios, em especial nos de moderada a alta intensidade, é através da respiração que o corpo libera dióxido de carbono, produto resultante da produção de energia, que uma vez acumulado provoca as famosas fadigas musculares. Falhas no processo respiratório podem levar a sensações de falta de ar, aumento da percepção de esforço e fadiga muscular prematura”.

Durante o exercício, a frequência e a profundidade da respiração são aumentadas, exigindo que os músculos respiratórios se contraiam de maneira mais forte e rápida, daí a importância de se trabalhar com treinamento muscular respiratório. Estudos já mostraram que a fisioterapia respiratória e cardiovascular, em diversas práticas esportivas, chega a aumentar a performance do praticante em média de 30%.

Segundo o fisioterapeuta, não existe uma forma exata para saber se estamos respirando de forma adequada. Mas alguns sintomas podem ser percebidos, como sensação de falta de ar ao caminhar, ao praticar atividade física e em alguns casos até mesmo ao falar. Essa avaliação pode ser realizada por um pneumologista ou fisioterapeuta respiratório, com auxílio de alguns testes e exames específicos.

Quem pratica atividades físicas no dia a dia, nem sempre dá atenção devida à respiração. Planos de saúde em geral limitam acesso à fisioterapia. “Sabendo disso, apostamos num serviço de fisioterapia completo a preço popular. E pretendemos chamar a atenção para o ponto mais importante e básico da Fisioterapia Respiratória, que é a aprendizagem de voltar a conectar-se com o diafragma. Pois, assim como os demais músculos esqueléticos são trabalhados em academias, por exemplo, os músculos respiratórios também precisam ser treinados”, alerta.

Continua após anúncios...

O fisioterapeuta dá uma dica de exercício simples para respirar de forma correta: “Para a realização da respiração diafragmática fique sentado ou, preferencialmente, de pé apoiando as duas mãos sob o abdome. Para iniciar a técnica inspire lentamente pelo nariz, projetando todo o conteúdo abdominal para frente (enchendo a barriga), e depois solte todo o ar pela boca, como se estivesse soprando uma vela. Durante essa fase seque a barriga o máximo que puder (na prática clínica costuma-se orientar secar a barriga como se estivesse vestindo uma calça apertada, os pacientes compreendem melhor) e, em seguida, inicie um novo ciclo”.

Fonte: http://www.tribunadonorte.com.br
Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.