EQUOTERAPIA: UMA INTERVENÇÃO NO MUNICIPÍO DE VITÓRIA DA CONQUISTA- BA.

Dayane dos Santos Ribeiro acadêmica do V semestre do curso de Fisioterapia da Faculdade de Tecnologia e Ciências de Vitória da Consquista –BA, residente na Rua Laudiceia Gusmão, 497 centro cep 45000-000, tel. pra contato:(77) 3082 6510;e- mail: dayaneribeiro_fisio@yahoo.com.br

Jeane Santos Rodrigues acadêmica do V semestre do curso de Fisioterapia da Faculdade de Tecnologia e Ciências de Vitória da Consquista –BA, telefone para contato (077) 9968 3626;mail: jeo.fisioftc@hotmail.com

Igor Oliveira Macedo Graduado pela UESB. Professor espec. dos cursos de nutrição,efermagem,fisioterapia e educação física da Faculdade de Tecnologia e Ciências;telefone para contato:(073) 8818 5798; e-mail: igor.saude@hotmail.com

EQUOTERAPIA: UMA INTERVENÇÃO NO MUNICIPÍO DE VITÓRIA DA CONQUISTA- BA.

Dayane dos Santos Ribeiro1, Jeane Santos Rodrigues2, Igor Macêdo3. 1,2,3FTC- Vitória da Conquista/ Ba. Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinar em Atividade Física e Saúde – NEPIAFS.
E-mail:dayaneribeiro_fisio@yahoo.com.br

RESUMO

A Equoterapia é um método educacional e terapêutico que utiliza o cavalo como um instrumento cinesioterapêutico para a reabilitação humana.Através do seu movimento tridimensional é possível “ ativar” áreas do cérebro que não estão ativadas ou ativadas de modo deficiente. As principais áreas a serem ativadas são o sistema cerebelar, reticular e vestibular que por sua vez estimula os fusos musculares,articulares e tendíneos, e a partir daí proporciona uma série de benefícios para o paciente.Diante dos benefícios que a Equoterapia proporciona foi feito uma pesquisa de campo com médicos e fisioterapeutas para ver o nível de conhecimento deles sobre o que a Equoterapia para que a partir daí poderem indicar o tratamento; e com os pais de crianças portadoras de deficiências que já se beneficiaram do tratamento quando o mesmo existia na cidade de Vitória da Conquista –BA.Foi constatado com essa pesquisa a necessidade deste serviço na cidade.

Palavra- chave:Equoterapia,Reabilitação.

INTRODUÇÃO

A Equoteerapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiências e ou com necessidades especiais. ( ANDE-BRASIL,1999). O histórico da utilização do cavalo na área de saúde é tão antigo quanto a própria história da medicina.(MENDEIROS,2002)6
Em 458- 377 a.c Hopócrátes de Loo, aconselhava a equitação para o tratamento de insônias, e Asclepíades de Prusia ( 124- 40 a.c), que indicou para pacientes epiléticos e paraplégicos. Joseph C. Tossot em 1782, descreveu os efeitos positivos e as contra- indicações do uso do cavalo e ressaltou que o passo é o mais eficaz do ponto de vista terapêutico. Em 1954 na Noruega, aparecia a primeira equipe interdisciplinar e em 1956, foi criada a primeira estrutura associativa na Inglaterra; na França foi onde se viu a possibilidade de portadores de deficiências se recuperar e valorizar suas próprias potencialidades . Em 1990 aconteceu aqui no Brasil no centro da ANDE- BRASIL com o apoio da Hospital do Aparelho Locomotor –SARAH a primeira sessão de equoterapia, (SANTOS,2005)7 E em 09/04/1997 que ocorreu o reconhecimento as equoterapia pelo Conselho Federal de Medicina- parecer n° 06/ 97, como Método terapêutico de reabilitação Motora ( MEDEIROS,2002)6.
Somente pelo alinhamento gravitário homem/ cavalo, observando- se que estes são imóveis um em relação ao outro e móveis em relação ao solo, se consegue acionar o sistema nervoso, alcançando os objetivo neuromotores, tais como : melhora do equilíbrio, ajuste tônico, alinhamento corporal, consciência corporal, coordenação motora e força muscular.(MEDEIROS,2002)6. O cavalo possui três andaduras naturais: o passo, trote e o galope. O passo é a andadura mais utilizada na equoteapia( ANDE- BRASIL,1999),o passo se caracteriza por uma andadura credenciada, ritmada e em quatro tempos, com quatro batidas distintas e nítidas ( MEDEIROS,2002)6. O cavalo quando se movimenta ele desloca seu centro gravitacional em três dimensões similares ao movimento pélvico humano, por isso que uma pessoa com dificuldades motoras tem a possibilidade de vivenciar modelos normais de deambulação ( COIMBRA,2006)5. O cavalo através de seus movimentos sinusoidais oferece a cinética, propriocepção, estimulação sensorial e vestibular, facilitando o equilíbrio e a coordenação,isso já pode ser visto logo nas primeiras sessões de equoterapia ( COIMBRA,2002)5. O cavalo produz e transmite ao cavaleiro um movimento tridimensional, com movimentos no eixo vertical, com movimentos de cima para baixo, no plano frontal com movimentos da direita pra esquerda, no plano sagital em movimentos pra frente e pra trás, ocorre também uma pequena torção da bacia do cavaleiro que são provocadas pelas inflexões laterais do dorso do animal e a cabeça se moverá com uma suave flexão e os olhos tenderão a ficar na horizontal, fazendo o cavaleiro a se adaptar aos movimentos do cavalo ( que é parecido com o da macha humana) e a interagir com o meio ambiente. ( MEDEIROS,20026; SANTOS,2005)7
A andadura do cavalo não muda, a menos que haja alguma interferência do meio externo .Ao considerar o animal parado, é iniciado o seu deslocamento que começa pela pata posterior direita, depois a pata anterior esquerda que será seguido pelo deslocamento da pata posterior esquerda e logo após a pata anterior direita para finalmente chegar a pata posterior direita e novamente iniciar um novo passo em seu deslocamento.( MEDEIROS,2002)6 É dessa forma que o cavalo transmite todo seu estimulo que é recebido pelo cavaleiro, desencadeando assim seu mecanismo de resposta, apesar desses movimentos serem rápidos ( 50 a 60 passos por minutos) não impede o seu entendimento ao cérebro, devido a sua simetria,ritmo e cadência , 30 minutos de terapia equivalem a 1.800 passos, fazendo da terapia uma atividade bastante intensa.( SANTOS,2005)7
Na macha humana o ciclo normal se faz em duas fases: fase de acomodação de posição, quando o pé entra em contato com o solo, e uma fase de oscilação, quando o movimento é empreendido.O adulto em média deambula em um ritmo de aproximadamente 90- 120 passos por minuto (HOPPENFELD,1999)8 o que é análogo com o do cavalo, este subdivide- se em quatro fases: levantar, que corresponde ao menbro que se ergue, desligando- se do solo;suter,momento da oscilação; pôr, quando retorna o contato com o solo; e por fim apoiar, quando se firma. Essa semelhança favorece ao paciente a construção da percepção desse movimento, que, em inúmeros casos, nunca teve a possibilidade de vivenciar.( MEDEIROS,2002)6
Segundo Duran (2005)4 a equoterapia atua como um facilitador nos indivíduos com necessidades especiais, promovendo uma serie de estímulos integrados auxiliando na organização cerebral, tais como: na postura devido os movimentos tridimensionais, modificando a postura do cavaleiro que é fundamental para as nossas percepções e execultação de tarefas motoras de forma mais eficaz, associado ao ajuste tônico promovendo a organização de equilíbrio pela estimulação do sistema vestíbulo labiríntico; estímulo sensitivo táteis- cinestésicos gerando inúmeros estímulos aferentes ao córtex criando imagens somestésicas seguênciais, melhorando a consciência corporal e a organização espacial; estímulos sensitivo visual,auditivo,olfativo e tátil a interação cavalo-movimento- ambiente possibilita ao terapeuta infindáveis possibilidades reabilitadoras e pedagógicas, o cavaleiro em cima do cavalo ver o mundo de cima num ângulo de 180°; aspectos psicológicos a interação homem- ambiente –animal possibilita o desenvolvimento da afetividade, melhora da auto- estima pelo fato do cavalo transmitir força, poder, e por o cavaleiro ter a oportunidade de guia- lo além do prazer e a sensação de independência, características importantes para o aprendizado; ritmo através do ritmo seqüenciado do cavalo o praticante desenvolve sua organização cerebral. Até hoje nenhum aparelho foi inventado ou construído para replicar, com perfeição os movimentos tridimensionais e multidirecionais do cavalo sobre o cavaleiro. ( SANTOS,2005)7
A equoterapia pode ser feita em portadores de deficiência sensoriomotoras,tais como: Tipos clínicos de paralisias cerebrais diminuindo assim seus movimentos involuntários (NAHUM,2004)11, defict sensorial, atraso maturativo, síndromes neurológicas ( Down, West, Rett, Soto e outras), A.V.C, traumatismo cranioencefálico, seqüelas de processos inflamatórios do sistema nervoso central ( meningo- encefalite e encefalite), lesão raquiomedular. Nos distúrbios psicossociais podem ser tratados autistas, hiperativos, deficiência mental, dificuldade no aprendizado,alterações no comportamento,pisicoses infantis.
Existem algumas contra- indicações relativas e absolutas. As relativas são: alergia ao pêlo do animal, hiperlordose na qual mesmo com o coxins de adaptação não se consegue o alinhamento pélvico, hipertensão se a mesma não for controlada, medo excessivo do animal após tentativas sem sucesso, atividade reflexa intensa dificultando assim o posicionamento correto sobre o animal. E as contra- indicações absolutas são: instabilidade atlantoaxial normalmente encontradas em crianças com Síndrome de Down, escoliose estrutural acima de 40° acentuando ainda mais o grau de deformidade, osteoporose pelo risco de microfraturas, pelos mesmos motivos a osteogênese, hemofílicos, hérnia de disco devido a compressão discal, doenças de Schuerman devido a deformidade vertebral acentuando a patologia, cardiopatias graves devido a sobrecarga do coração, hidrocefalia,luxação e subluxação de quadril.(MEDEIROS,2002)6. Devemos ter sempre em mente dos riscos inerentes da equoterapia como quedas e contusões.( DURAN,2005)4, por isso deve- se fazer o uso de capacetes( BACKNELL,1999)3. Devido a todas estas eficácias que a equoterapia proporciona o objetivo deste artigo foi mostrar a importância desse serviço na cidade de Vitória da Conquista – BA, onde não dispõe do mesmo.

METODOLOGIA

A Equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde,educação e equitação,buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiências e/ou de necessidade especiais. A pesquisa é do tipo quantitativa, tendo como instrumento de coleta de dados um questionário semi-estruturado, o objeto de estudo fundamentou-se com médicos neurologistas, pediatras, ortopedistas e fisioterapeutas; em clínicas, consultórios, hospitais de Vitória da Conquista Bahia. Também foram entrevistados pais de crianças portadoras de deficiências, as quais fizeram o tratamento quando o mesmo existia na cidade. Todos os questionários preenchidos têm o termo de consentimento, sendo, portanto todos que preencheram cientes do seu anonimato e autorizando a publicação em livros, revistas, anais, congressos etc.

Após a pesquisa feita com médicos e fisioterapêutas foi observado que:


Os tipos de alterações clínicas mais indicadas ao tratamento, na opinião dos médicos e dos fisioterapêutas foram: Paralisia Cerebral; Síndrome de Down; Défict no Equilíbrio; Alterações neurológicas; Défict Motor e no Comportamento; Lesões Neurológicas e Diplegia.Segundo os profissionais entrevistados:


Os que não sentiram melhora foi porque não teve a continuidade do tratamento 50%; 50% tinha medo do animal.
Os motivos que levaram os pais a interromper o tratamento foram;
Por que o local não era apropriado; para alguns as crianças não gostava do animal; outros não tiveram condição financeira, achava o local distante e desorganizado, entretanto:


CONCLUSÃO

Essa pesquisa mostrou de forma generalizada porém objetiva os benefícios que a Equoterapia proporciona; vimos que através do movimento tridimensional do cavalo é possível estimular o cavaleiro em seus aspectos motores,sensitivos e sociais, trazendo a ele experiências jamais vivenciadas, como por exemplo o da deambulação, melhorando sua auto- estima e contribuindo de forma significativa para a evolução clínica dos portadores de algum tipo de deficiência.
Essa pesquisa foi mais uma constatação da eficácia do tratamento com a Equoterapia, reconhecendo através dos dados obtidos a necessidade desse serviço na cidade de Vitória da Conquista. Também foi mostrado que os profissionais entrevistados têm um razoável conhecimento sobre o assunto e interesse de encaminhar seus pacientes para tratamento na cidade.
Dessa forma o estudo mostrou de forma generalizada, porém objetiva os benefícios que a Equoterapia proporciona; vimos que através do movimento tridimensional do cavalo é possível estimular o cavaleiro em seus aspectos motores, sensitivos e sociais, trazendo a ele experiências jamais vivenciadas, como por exemplo o da deambulação, melhorando sua auto-estima e contribuindo de forma significativa para a evolução clínica dos portadores de algum tipo de deficiência.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1-BACKNELL,J et al. Guia para montaria para portadores de deficiência física ou mental. Associação Nacional de Equoterapia ANDE- BRASIL- Coletânea. 1° ed.Brasília,1999 pg.47.

2-CHIARAMONTE,L. et al. Avaliação do cavalo como instrumento cinesioterapêutico.I congresso IBERO- Americano de equoterapia e IIICongresso brasileiro de Equoterapia.Cavalo: Facilitador da reabilitação Humana,Coletânea e Trabalhos.Salvador: Formato 9,2004 pg.: 377.

3-COIMBRA,S.A.L. et al. Ainfluência da equoterapia no equilíbrio estático e dinâmico: apresentação de caso cliníco de encefalopatia não progressiva crônica do tipo diparético espástico. Revista Fisioterapia Brasil Rio de Janeiro: Atlantica.vol. 7. n° 5 pg. 392.2006.

4-DURAN,M.H.C.Equoterapia:Papel do médico na equipe multiprofissional. Revista de Equoterapia.n° 11 junho.Brasília: Eletrônica,2005. pg.:2 e 3.

5-FONSECA, M.J. A hipoterapia como terapia complementar nas doenças neurológicas da criança e do jovem: potencialidades e limites.I congresso IBERO- Americano de equoterapia e IIICongresso brasileiro de Equoterapia.Cavalo: Facilitador da reabilitação Humana,Coletânea e Trabalhos.Salvador: Formato 9,2004 pg. 15.

6-FARIAS,.T.C.C. et al.Importãncia da equoterapia nocontrole de tronco do paciente. I congresso IBERO- Americano de equoterapia e IIICongresso brasileiro de Equoterapia.Cavalo: Facilitador da reabilitação Humana,Coletânea e Trabalhos.Salvador: Formato 9,2004 pg. 49.

7-HOPPENFELD,S.Propedêutica Ortopédica : coluna e extremidades. São Paulo; Atheneu.Traduzido em 1999.pg.: 140- 142.

8-MEDERIOS.M;DIAS,E. Equoterapia bases e Fundamentos. Rio de Janeiro: Revinter,2002.pg.: 3-12.

9-NAHUM,M.J.C.;FARIAS,T.C.C. A equoterapia no controle dos menbros superiores do careoatetóide. I congresso IBERO- Americano de equoterapia e IIICongresso brasileiro de Equoterapia.Cavalo: Facilitador da reabilitação Humana,Coletânea e Trabalhos.Salvador: Formato 9,2004 pg. 61.

10-SANTOS,S.L.M. Fisioterapia na equoterapia: análise de seus efeitos sobre oportador de necessidades especiais. 1° ed. São Paulo: Idéias e letras,2005 pg.:17- 30.

11-SOARES,E..Metodologia Científica: lógica,epistemologia e normas.1° ed.São Paulo:Cortez,2003.

12-LERMONTOV,T.A Psicomotricidade da Equoterapia.1° ed.São Paulo:Idéias e letras,2004.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

5 comentários em “EQUOTERAPIA: UMA INTERVENÇÃO NO MUNICIPÍO DE VITÓRIA DA CONQUISTA- BA.”

  1. valdineia souza de almeida

    tenho um filho com agenesia do corpo caloso ,gostaria de saber o valor do tratamento ,ele tem 2anos e 6 mesês ,anda sò apoiando em objetos ,não fala não sabe mastigar.Ele faz fisioterapia (SUS) hidriginástica (FAINOR)com Dra Laisla. aguardo uma resposta ,obrigada

      1. Olá Pessoal, além deste canal a revista tem uma sala de bate-papo exclusiva para fisioterapeutas trocarem informações seja por texto, seja por voz, além de arquivos, artigos e muito mais. Se você também precisar fazer uma reunião com sua equipe, temos salas apara até 99 pessoas simultâneas inteiramente grátis. Conheça nossa plataforma em: bit.ly/fisio-discord

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.