Empreendedora cria clínica móvel de fisioterapia para pessoas de baixa renda

A população é atendida dentro de um ônibus adaptado com equipamentos e profissionais especializados

Quem vê o ônibus de Maria de Las Gracias, 55, estacionado, não imagina que lá dentro há um moderno espaço de fisioterapia. O veículo faz parte da Fisioterapia Itinerante – uma clínica móvel voltada para o atendimento da população de baixa renda.

[adrotate banner=”59″]

“Eu não vivo do projeto. Eu vivo para o projeto”, afirma Maria, que além de criadora do ônibus é também uma das fisioterapeutas responsáveis pelas consultas. Tudo começou antes de sua entrada no curso superior. Maria era terapeuta holística, e trabalhava principalmente com massagens. Durante muitos anos ela viajou para países com população em situação de risco, como Índia e Nepal.

Nessas viagens, a fisioterapeuta ajudava voluntariamente os moradores locais. “Era uma troca. Eu oferecia ajuda e tratamento ao mesmo tempo em que aquelas pessoas me ofereciam ensinamentos sobre a cultura e a realidade do país”, afirma.

Voltando para o Brasil, a empreendedora resolveu fazer um curso de fisioterapia. Desde o início da graduação ela já tinha a ideia de criar uma clínica na periferia. Por problemas com custo e logística, Maria optou por algo itinerante ao invés de fixo. Em 2007, vendeu o carro, um terreno e investiu cerca de R$ 150 mil na compra e adaptação do ônibus.

Cada atendimento de meia hora custa R$ 28. As pessoas que não têm como pagar são atendidas gratuitamente ou pagam quando estiverem em melhores condições financeiras. A cobrança é uma forma de ajudar na manutenção do ônibus e em outros custos, como pagamento das profissionais que trabalham na clínica.

onibus2

Os custos da fisioterapia social
A jornada diária de Maria começa 6h30 para acabar apenas às 16h. Ela atende na clínica nas segundas, terças e quintas. No resto da semana ela trabalha para pacientes particulares em sua casa. O dinheiro que recebe nesses atendimentos é quase totalmente destinado para manter o ônibus. Nos dias que está fora do projeto, outras três fisioterapeutas atendem para manter a Fisioterapia Itinerante nas ruas.

O ônibus estaciona em três locais diferentes na região do Grajaú e de Interlagos. São cerca de 50 pacientes por dia. E ao todo, segundo Maria, já foram 70 mil atendimentos nos nove anos de atuação. O perfil dos pacientes é variado, de crianças a idosos.

“Eu gostaria muito de ter estrutura para atender em mais bairros. Infelizmente é muito difícil manter o ônibus, que tem custos muito caros, principalmente com combustível”, conta Maria. Até hoje ela não recebeu nenhuma proposta de empresas ou pessoas interessadas em investir na sua clínica. Tempos atrás a empreendedora colocou psicólogos e nutricionistas para trabalhar no ônibus, mas foi impossível arcar com os gastos e o serviço não durou muito tempo.

Mesmo com as dificuldades, Maria ainda pensa em futuramente tentar ampliar a clínica, colocando advogados no ônibus para auxiliar e orientar a população.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Banco-de-ideias/Negocios-sociais/noticia/2015/03/empreendedora-cria-clinica-movel-de-fisioterapia-para-pessoas-de-baixa-renda.html

[adrotate banner=”60″]

3 comentários em “Empreendedora cria clínica móvel de fisioterapia para pessoas de baixa renda”

  1. michelle rocha

    Adorei sua idéia estou cursando Fisio, estou no 4 ano, eu amo tudo isso, parabéns!!!!!!!!!!!

  2. rita de cássia

    Me identifiquei com esse projeto. Estava cursando Fisioterapia< para cuidar de minha mãe e realizar o meu sonho de criança que é a área de saúde. Infelizmente perdi a vontade de continuar e tranquei minha matrícula no sétimo semestre. já se passaram 3 anos e não encontrei motivação para retornar.Desde que perdi minha mãe fiquei triste e sem animo. Não preciso da profissão para viver, pois estou com minha vida estabilizada. Queria uma motivação para retornar, e vendo seu projeto fiquei animada. moro em Ilhéus na Bahia, mas posso ir para qualquer lugar. Se tiver interesse entre em contato. Bjs!

    1. Maria de las Gracias

      Oi Rita,
      Também sou baiana, e um dia pretendo voltar, aliás já está tudo pronto para isso. Volte para o curso de fisioterapia porque pretendo viajar pelo sertão com um ônibus e poderei contar com mais uma fisioterapeuta louca por aventuras. Não desanime.
      Entre no google “fisioterapia itinerante” e veja uma entrevista dizendo exatamente isso, do meu desejo.
      Abraço,
      Maria delas Gracias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.