Depois do calote, turma de Fisioterapia é obrigada a pedir dinheiro a amigos.

Fonte: http://www.folhape.com.br/cms/opencms/folhape/pt/cotidiano/noticias/arqs/2014/09/0408.html

Para não deixarem o sonho do baile de formatura se apagar, três amigas do curso de Fisioterapia da Ipesu, lesadas pela agência W9!, arregaçaram as mangas e estão arrecadando recursos para que a festa aconteça no próximo sábado (27). Na última quarta-feira, elas escreveram cartazes contando a situação e foram pedir ajuda no cruzamento das avenidas Conde da Boa Vista e Agamenon Magalhães, área central do Recife. Nesta quinta-feira (25) à tarde, as meninas vão realizar um bazar na própria faculdade onde estudam, na rua Porto Carreiro, bairro da Boa Vista. Essa será mais uma oportunidade que elas terão para suprir o calote que levaram com o fechamento da W9!. A empresa já tinha embolsado desse grupo de 19 formandos R$ 70 mil.

Desde a última segunda-feira (22), quando o golpe tornou-se público, centenas de estudantes estão se mobilizando para reaverem o dinheiro pago pelos contratos firmados. Segundo a polícia, esses valores podem chegar a R$ 10 milhões. A tarefa de recuperar o investimento é ainda mais complicada para os formandos que estão com a festa marcada para o próximo sábado. Isso, porque além de irem prestar depoimentos à polícia, eles precisam arrecadar recurso para viabilizar o evento.

Para atingir esse objetivo, todos estão se esforçando e contando com a solidariedade de amigos, familiares e desconhecidos. “Estamos pedindo mais dinheiro aos nossos parentes e hoje (quarta-feira) decidimos vir a Agamenon Magalhães tentar conseguir recursos. Tudo isso para termos o nosso baile de formatura. Ainda vamos fazer um bazar. E assim estamos nos virando, pois a colação de grau, que deveria ter sido na terça-feira, já não ocorreu”, explicou a estudante Danielle Carvalho França, que faz parte da comissão de formatura da turma de Fisioterapia da Ipesu.

A batalha também está sendo grande para a turma de Administração da UPE. “Estamos contando com ajuda das empresas que baixaram os serviços pratica mente a preço de custo com as doações. Dessa forma posso dizer que 95 da nossa festa estão garantidos. Até sexta-feira atingimos os 100%”, disse Kaio de Paula. Na última quarta (24), os estudantes ainda tiveram que ir ao Ministério Público para registrarem denúncias. O delegado que apura o caso, Roberto Wanderley, da Delegacia do Consumidor, aguarda a resposta da Justiça sobre os pedidos de busca apreensão na sede da W9! e de prisão do dono da em presa, Lídio Gomes da Silva Júnior.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.