Corpo de instrutora que morreu em academia será enterrado nesta sexta

Fonte: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul

z

Será sepultado às 18h desta sexta-feira (20) o corpo da professora de educação física que morreu durante um exercício em academia de Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, na quinta-feira (19). O Departamento Médico Legal (DML) realizou a necropsia e liberou o corpo para a família pela manhã. O velório e o sepultamento ocorrerão em Jaguarão, sua cidade natal, que fica na mesma região do estado.

G1 entrou em contato com o DML, mas o departamento não tem autorização para divulgar o laudo do exame. O delegado que esteve na academia no dia da morte e iniciou a investigação, Robertho Peternelli, disse que a instrutora estava sozinha no momento do suposto acidente. O corpo foi encontrado caído para a frente, prensado pela barra utilizada para fazer exercícios de agachamento, na altura da nuca. Havia 80 quilos em cada lado da barra, totalizando 160 quilos de peso.

“A gente acredita que ela morreu asfixiada, mas também não podemos descartar um mal súbito. A perícia vai dizer o que ocorreu”, disse o delegado ainda na quinta-feira.

Nesta sexta, Robertho Peternelli avisou que a investigação fica agora a cargo da 1ª Delegacia de Polícia de Pelotas, que tem como titular o delegado Sandro Bandeira, de férias até 1º de novembro. No período, a delegada Lisiane Matarredona fica com a investigação. Porém, ela ainda não recebeu o laudo da necropsia.

“Agora vai ser apurado melhor, mas ainda não chegou o laudo à polícia. Ele vai ser revelador, fundamental para apurar com certeza a circunstância da morte”, disse ao G1 a delegada. Por ser feriado no Rio Grande do Sul, ela acredita que no início da semana que vem o caso será retomado com depoimentos de familiares, proprietários e funcionários da academia, além do resultado da necropsia para depois concluir o inquérito.

Inicialmente, a polícia trata o caso como uma fatalidade. A hipótese de negligência por parte da academia está descartada, já que a vítima era formada em educação física pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e tinha conhecimento técnico para fazer exercícios sem supervisão. Ela trabalhava no local desde 2010.

A vítima foi encontrada já sem vida por volta das 16h de quinta-feira por um funcionário da academia. Ela aproveitava o horário em que o local fechava para os alunos, entre 12h e 16h, para treinar.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.