COPCA: UM PROGRAMA DE INTERVENÇÃO DOMICILIAR CENTRADO NA FAMÍLIA PARA CRIANÇAS COM COMPROMETIMENTO MOTOR

Dra. Rosane Luzia de Souza Morais (MG)

Professora Adjunta do Departamento de Fisioterapia e do Programa de Pós-Graduação Saúde, Sociedade e Ambiente da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

PALESTRANTE CONFIRMADA

Contextualização: As abordagens que reconhecem a importância de incluir a família no tratamento da criança têm se tornado cada vez mais usual na reabilitação pediátrica. O atual momento de pandemia da COVID-19, em que o isolamento social é mandatório, traz a reflexão sobre a necessidade de se incorporar em nossa prática clínica programas não apenas focados na família, mas que promovam maior autonomia e empoderamento dos pais na intervenção de suas crianças em casa, no seu dia a dia. Neste contexto, destaca-se o COPping with and CAring for Infant with Special Needs (COPCA), um programa centrado na família baseado no modelo coaching.

Desenvolvimento: O COPCA trata-se de um programa indicado para criança de risco biológico ou com alguma condição de saúde que comprometa seu desenvolvimento motor, proposto pelas professoras Tinieke Dirks e Mijna Hadders-Algra da Universidade de Groningen, Holanda. O COPCA tem como objetivos: 1) encorajar a família a utilizar a sua própria capacidade de resolver problemas do seu cotidiano relativos aos cuidados diários e no brincar com a criança; 2) incentivar a criança a encontrar uma solução mais apropriada para qualquer tarefa motora em contexto ambiental variado. O COPCA tem dois pilares de fundamentação teórica, a Abordagem Centrada na Família (ACF) e a Teoria de Seleção dos Grupos Neurais (TSGN). Dentro da ACF, a relação terapeuta e pais é estabelecida por meio do modelo coaching, isto é, o terapeuta, a partir de uma parceria igualitária, oferece suporte para que a família lide de forma autônoma com a criança, ou seja, incentiva os pais a usarem suas próprias capacidades para proporem estratégias que favoreçam as atividades motoras da criança em casa ou na comunidade. O outro pilar teórico, a TSGN, preconiza que o cérebro apresenta redes neurais inatas, e, quando o lactente inicia os movimentos direcionados por metas (por exemplo, o alcance de um objeto), estas redes são exploradas e combinadas, a partir da interação entre o lactente e a tarefa, por meio de vários episódios de “tentativa e erro”. Por este motivo, as atividades propostas para a criança necessitam ser realizadas a partir de movimentos autoproduzidos, além de repetidas várias vezes ao longo dos dias, em contexto ambiental variado.

Considerações finais: O COPCA é um programa de intervenção contemporâneo e promissor, conforme aponta uma revisão sistemática recente. Até o presente momento, pesquisas sobre a aplicação do COPCA na intervenção precoce têm demonstrado que seus componentes estão associados com um melhor desempenho motor e funcional da criança, além do maior empoderamento dos pais e melhor qualidade de vida da família.

Leitura complementar:

Longo E, de Campos AC, Schiariti V. COVID-19 Pandemic: Is This a Good Time for Implementation of Home Programs for Children’s Rehabilitation in Low- and Middle-Income Countries?. Phys Occup Ther Pediatr. 2020;40(4):361-364. doi:10.1080/01942638.2020.1759947

Akhbari Ziegler S, Dirks T, Hadders-Algra M. Coaching in early physical therapy intervention: the COPCA program as an example of translation of theory into practice. Disabil Rehabil. 2019;41(15):1846-1854. doi:10.1080/09638288.2018.1448468

Akhbari Ziegler S, Hadders-Algra M. Coaching approaches in early intervention and paediatric rehabilitation. Dev Med Child Neurol. 2020;62(5):569-574. doi:10.1111/dmcn.14493

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.