Cavalos furtados são encontrados por fisioterapeuta

Três cavalos que eram utilizados pela clínicia escola Instituição Terapêutica de Grupos de Habilitação e Reabilitação (Integrar), em Sorocaba, e que foram furtados entre a noite de ontem e madrugada de hoje, foram encontrados com dois adolescentes no bairro Vitória Régia, por volta das 10h30.

Os garotos caminhavam com dois cavalos pela avenida principal do bairro e o terceiro animal estava em um terreno.

A fisioterapeuta da entidade Thais Mansur Peres e o marido dela é que encontraram os animais.

De acordo com a supervisora administrativa da entidade, Arlete Peres Bonvino, a localização dos cavalos aconteceu por instinto. “Eles foram seguindo cocô de cavalo pela Marginal.

A Thais imaginou que estivessem no Vitória Régia e seguiram para lá, encontrando os cavalos”, comenta.

Os animais são empregados nas aulas de equoterapia desenvolvidas pela fisioterapeuta e servem para cerca de 30 crianças que sofrem de paralisia cerebral e que são assistidas pela entidade. “O movimento do cavalo transmite para o cérebro da criança o mesmo movimento do caminhar”, explica Arlete. Essa foi a primeira vez que ladrões entram na entidade para furtar os animais.

Em 22 anos situada na avenida Comendador Pereira Inácio, a Integrar já foi invadida em outra ocasião, quando criminosos furtaram computadores. “Depois instalamos alarme e não houve mais problema.”

Ao abordar os garotos, eles ainda tentaram argumentar que os cavalos eram deles, pois tinham comprado.

A fisioterapeuta e o marido disseram que era da entidade e que não queriam mais nada, apenas que devolvessem os animais, e assim fizeram.

Um transporte foi conseguido para conduzir os cavalos de volta à entidade.

Chegaram com fome, mas, clinicamente, os cavalos estão bem.

Chegaram à Integrar por volta das 13h30 de hoje.

Arlete não soube precisar o horário do furto.

Disse que saíram por volta das 17h30 de ontem e, hoje cedo, por volta das 7h, quando um funcionário que cuida dos animais chegou, é que o furto foi descoberto.

Uma mobilização foi feita pelas redes sociais, informando sobre a ocorrência.

“Infelizmente, nossa entidade é bem vulnerável. Temos um portão de acesso, mas do lado não temos muro, fica aberto, qualquer um consegue entrar. Precisamos fazer o muro, mas estamos sem recursos”, diz Arlete.

Algumas celas e mantas furtadas com os animais também foram recuperadas. As aulas de equoterapia ocorrem todos os dias, exceto às terças-feiras.

“Foi um alívio para nós a localização dos cavalos”, afirma Arlete. (Fernando Guimarães)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.