Cão atropelado por Van dos Correios terá que fazer fisioterapia

O cão atropelado por uma van dos Correios em Itaquaquecetuba (SP) terá de ter submetido a sessões de fisioterapia. A informação é do médico veterinário Edson Rodrigues que atendeu o cachorro em uma clínica veterinária na cidade. O médico disse neste sábado (28) que o cão ainda deverá sofrer uma intervenção cirugica. “Temos que corrigir a fratura dele”, explica. O vídeo do atropelamento foi divulgado no YouTube e causou grande repercussão nas redes sociais. (Veja imagens). O caso está sendo investigado pelos Correios.

Na noite desta sexta (27), o cão foi levado para uma ONG na Capital. A diretora da Associação de Proteção aos Animais São Francisco de Assis (Aspafa), Giuliana Stefanini está cuidando do cão. “Nós colocamos o nome dele de Sedex. Vamos tratá-lo [cão] até que apareça alguém para adotá-lo quando se recuperar. Nós recebemos a ligação de uma pessoa lá de Itaquaquecetuba pedindo ajuda e nós fomos capturar o cachorro. A imagem do atropelamento imagem é clara e mostra que o motorista não prestou socorro ao animal”, disse Giuliana.

O cãozinho sofreu uma fratura de coxal. Segundo o veterinário, é como se fosse fratura da bacia em humanos. Ele teve também uma eventração. É quando o trauma rompe a musculatura, as víceras saem por esse orifício.

O atropelamento foi na tarde do dia 9 de fevereiro. A imagem do circuito interno de uma empresa mostra duas vans dos Correios trafegando pela Rua Campinas, no bairro Monte Belo. De repente, o cão atravessa a rua e é atingido.

O vídeo teve milhares de compartilhamentos nas redes sociais. Alguns internautas criticam a ação do motorista que não prestou socorro. Outros comentam que o atropelamento foi intencional.

O cão chegou a ser levado para o setor de zoonoses de Itaquaquecetuba. Também recebeu atendimento em uma clínica veterinária na cidade. O técnico em segurança Cícero Pedro de Souza socorreu o animal ferido no dia do acidente. Ele trabalha em uma empresa que fica na rua do atropelamento. “As pessoas precisam ter mais consicência. Fiz o que eu pude”, desabafa.

De acordo com nota dos Correios, a empresa está verificando os fatos junto à unidade em que o empregado trabalha. “Os Correios disponibilizará todas as informações sobre o ocorrido, bem como as providências adotadas”, conclui.

Solidariedade canina
Logo após o cão ser atropelado, surge um outro cachorro em cena. Ele tenta reanimar o cão ferido. “Assim que aconteceu o atropelamento, o outro cachorrinho saiu correndo e latindo atrás das vans. Depois ele correu em direção ao cão ferido e ficou tentando retirá-lo de lá. Esse outro cachorrinho companheiro ficou aqui na rua durante mais de 15 dias. Era como se ele estivesse esperando notícias do amigo que está internado. Quando o pessoal da zoonoses chegou para socorrer o atropelado ele quis ir junto no carro”, disse o o técnico de segurança Cícero Pedro de Souza. Ele trabalha em uma empresa que fica na rua onde o cachorro foi atropelado. Desde então, Souza passou a cuidar do cão, que continua internado em estado grave.

caoDe acordo com Edson Rodrigues, o médico veterinário que fez o atendimento, o animal teve graves ferimentos. “Ele sofreu uma fratura de coxal. É como se fosse fratura da bacia em humanos. Ele teve também uma eventração. É quando o trauma rompe a musculatura, as víceras saem por esse orifício. Fizemos exames de ultrassom e raio-x”, diz

Na tarde desta sexta-feira (27), a Prefeitura de Itaquaquecetuba informou que o cachorro deixou o setor de zoonones na parte da manhã. Ele foi levado novamente para a clínica veterinária onde recebeu os primeiros socorros. De acordo com o governo municipal, o setor não tem estrutura para abrigar cães.

Sem socorro
O vídeo do atropelamento chegou a ser compartilhado milhares de vezes em redes sociais. Internautas criticaram o fato do motorista da van não ter socorrido o cão. “Dá impressão, olhando o vídeo, que ele [motorista] viu o cachorro sendo atropelado, sim”, diz Souza.

Em nota, os Correios informaram que “a respeito do vídeo que mostra o atropelamento de um cão em Itaquaquecetuba (SP), os Correios informam que estão verificando os fatos junto à unidade em que o empregado trabalha. A empresa disponibilizará todas as informações sobre o ocorrido, bem como as providências adotadas”, conclui.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.