BENEFÍCIOS DA FISIOTERAPIA MOTORA NO PÓS OPERATÓRIO DE CÂNCER DE MAMA

ELEN CRISTINA GOMES DA SILVA

Trabalho de Conclusão do Curso de Fisioterapia, Faculdade Uninassau, para obtenção do título de Fisioterapeuta.
Orientador: Professor Francisco Cerqueira.

DEDICATÓRIA
Dedico este trabalho a você mãe, pelo incentivo aos meus estudos, por ser tão guerreira na luta contra o câncer de mama que inspirou este estudo, você é a maior razão da minha vida, obrigado.

AGRADECIMENTO
Primeiramente a Deus, pela dádiva da vida, és a minha fortaleza, minha fé inabalável me fez alcançar muitos objetivos na vida.
Aos meus pais, Elane e Cleber, que sempre priorizaram meus estudos e por serem os melhores conselheiros, são um exemplo de vida a seguir, eu quero dar uma vida feliz e saudável a vocês.
A minha irmã Ane, uma das muitas pessoas que me incentivaram a estudar, e até mesmo a enfrentar os obstáculos da vida acadêmica ao meu lado, amo você imensamente.
Ao meu noivo Nildon, por me apoiar em todas as escolhas feitas e me ajudar financeiramente para que eu pudesse me dedicar ao estágio obrigatório da faculdade, entender as noites que passei fazendo meus trabalhos e não pudemos ficar juntos, você tem uma enorme parcela nessa conquista.
As minhas amigas da faculdade, Débora e Queriane, por toda parceria e amizade nesses 7 anos, lembrando que escolhemos juntas esse curso e vamos nos formar juntas também, quero ter vocês como amigas pelo resto da vida.
A minha querida professora Adriana Marília, que foi minha coordenadora e professora durante maior parte da graduação, tive a honra de aprender com essa mulher que é um exemplo de profissional e de pessoa, obrigada por tudo.
Ao meu orientador Francisco Cerqueira, pelo conhecimento compartilhado com a turma, é uma pessoa fez de tudo para nos ajudar nesse momento de pandemia, nos passando a orientação necessária para o êxito desse trabalho.

Prof. Francisco Cerqueira

EPÍGRAFE
Educação não transforma o mundo
Educação muda as pessoas.
Pessoas mudam o mundo.
Paulo Freire.

RESUMO

O câncer de mama é um tumor maligno de maior prevalência em mulheres com alta taxa de mortalidade. A fisioterapia é uma importante ferramenta no pós-cirúrgico de câncer de mama devido à perda da amplitude de movimento. O objetivo deste trabalho é evidenciar a eficácia da fisioterapia motora no pós-operatório de câncer de mama. Através da revisão da literatura nas bases Lilacs, Scielo e PEDro, entre os anos de 2005 a 2017, em língua brasileira, foram encontrados 15 artigos, sendo 4 relevantes á revisão. Conclui-se que a fisioterapia motora é eficaz no pós-cirúrgico de câncer de mama nos primeiros 30 dias, melhorando a qualidade de vida dessas mulheres.

Palavras-chaves: Fisioterapia motora, pós operatório, câncer de mama.

ABSTRACT

Breast cancer is a malignant tumor with a higher prevalence in women with a high mortality rate. Physiotherapy is an important tool in post-surgical breast cancer due to loss of range of motion. The aim of this study is to demonstrate the effectiveness of motor physiotherapy in the postoperative period of breast cancer. Through the literature review on the Lilacs, Scielo and PEDro databases, between the years 2005 to 2017, in Brazilian language, 15 articles were found, 4 of which are relevant to the review. It is concluded that motor physiotherapy is effective in the post-surgical of breast cancer in the first 30 days, improving the quality of life of these women.

Keywords: Motor physiotherapy, postoperative, breast cancer.

  1. INTRODUÇÃO

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor.

Há vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a característica próprias de cada tumor. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

O câncer de mama não tem somente uma causa. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos).

O tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra (estadiamento) e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo). Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento tem maior potencial curativo. No caso de a doença já possuir metástases (quando o câncer se espalhou para outros órgãos), o tratamento busca prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida.

A cirurgia é o principal tratamento do câncer de mama inicial. O tipo mais comum de mastectomia é a radical modificada, que compreende a retirada total da mama  e o esvaziamento axilar. As pacientes também podem ser submetidas a outros dois tipos de procedimentos: cirurgias conservadoras e reconstrução mamária.

O trabalho de fisioterapia interfere diretamente na qualidade de vida dos pacientes, uma vez que este aumenta sua independência funcional. Os exercícios facilitam a realização das tarefas do dia a dia sem precisar de ajuda.

O objetivo deste trabalho é evidenciar a eficácia da fisioterapia motora no pós operatório de câncer de mama.

A pesquisa foi realizada através da revisão da literatura nas bases Lilacs, Scielo e PEDro, entre os anos de 2005 a 2017, em língua brasileira. Foram encontrados 15 artigos, sendo 4 relevantes á revisão.

O artigo esta desenvolvido em 3 capítulos, o primeiro irá abordar de forma conceitual o câncer de mama, o segundo sobre os tipos de cirurgias do câncer de mama e o terceiro sobre a fisioterapia motora.

Os resultados que se chegou foi que a fisioterapia motora constitui-se numa importante ferramenta a ser utilizada no pós operatório de câncer de mama nos primeiros 30 dias, minimizando complicações e melhorando a qualidade de vida dessas mulheres.

2. DESENVOLVIMENTO

2.1CÂNCER DE MAMA

O câncer de mama vem se apresentando como um grande problema de saúde pública, sendo o segundo tipo de câncer mais comum no mundo e o primeiro entre as mulheres. É a principal causa de morte por câncer em mulheres, representando 13,7% do número de óbitos por câncer no mundo.

O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, tais como: idade, fatores endócrinos, história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários.

2.2 TIPOS DE CIRURGIAS DO CÂNCER DE MAMA

O objetivo do tratamento cirúrgico é promover o controle local, a mutilação mínima e a obtenção de informações a respeito da biologia do tumor e de seu prognóstico, modulando assim o tratamento adjuvante.

Em termos de tratamento cirúrgico, as principais opções são: a cirurgia conservadora (quadrantectomia com dissecção axilar), que fornece excelentes resultados para tumores de até 3cm de diâmetro ou que preservem a proporção tumor/mama; e a cirurgia radical (mastectomia), indicada, como regra geral, para tumores maiores que 3cm de diâmetro.

Existem 2 tipos de mastectomia radical: a mastectomia radical chamada clássica, onde são retirados os dois músculos peitorais ou a radical modificada em que apenas o músculo peitoral menor é retirado. A dissecção axilar completa faz parte da técnica cirúrgica.

Os resultados estéticos da quadrantectomia são bastante bons, enquanto que a mastectomia implica em comprometimento da silhueta do tórax e da auto-imagem da mulher. Por isso, nessas condições, sempre que possível, deve ser feita a reconstrução plástica da mama, que oferece resultados satisfatórios.

2.3 FISIOTERAPIA MOTORA

A fisioterapia tem um importante papel diante da recuperação dessas mulheres após cirurgia oncomamária, permitindo a recuperação da funcionalidade e a melhora da qualidade de vida, além de atuar na prevenção ou no controle de repercussões de complicações pós operatórias.

A cinesioterapia através de exercícios, seguindo os movimentos fisiológicos da biomecânica do ombro como: a flexão, extensão, abdução, adução, rotação interna e rotação externa, de fácil memorização para facilitar a execução dos exercícios pela paciente. Existe uma restrição da amplitude de movimento a 90º nos primeiros dias de pós operatório.

2.4ANÁLISE, DISCUSSÃO E RESULTADOS

A pesquisa foi realizada através da revisão da literatura nas bases Lilacs, Scielo e PEDro, entre os anos de 2005 a 2017, em língua brasileira. Através da busca estratégica foram encontrados 15 artigos, que foram analisados sendo 4 relevantes á revisão. Analisando os artigos selecionados para revisar os benefícios da fisioterapia motora no pós operatório de câncer de mama, foi visto que grande parte dos estudos optaram pela fisioterapia motora no pós operatório imediato, com restrição da amplitude de movimento a 90°, como já é protocolo nos hospitais do câncer em todo o país. O intuito desta pesquisa foi conceituar o câncer de mama; apresentar os tipos de cirurgias do câncer de mama; destacar como a fisioterapia motora é importante no pós operatório de câncer de mama.

Em termos de discussão, para (Silva, 2013) Permitir movimentação livre após a cirurgia de câncer de mama poderá possibilitar: maior bem-estar á mulher operada, menos medo de movimentar o ombro espontaneamente, promoção do retorno mais rápido ás atividades do dia-a-dia, respeitando seus limites de dor, e maior rapidez na sua reintegração social.

É consenso que a reabilitação precoce após a cirurgia do câncer de mama é altamente recomendado, pois promove uma recuperação funcional adequada (Rett, 2017).

Ensaios clínicos randomizados têm demonstrado uma melhora importante na capacidade funcional do ombro após a prática de exercícios ativos com amplitude de movimento livre. No entanto, não há consenso sobre o número de sessões necessárias para restaurar a funcionalidade (Rett, 2017).

A literatura relata diversas dificuldades físicas relacionadas a terapêutica do câncer de mama, entre elas, as alterações na funcionalidade do membro superior das mulheres que interferem diretamente na qualidade de vida após a cirurgia. Embora não tendo encontrado os mesmos achados para alteração da mobilidade e da sensibilidade do membro em nosso estudo, a prevalência de incapacidade para executar as atividades que exigem grandes esforços com o braço pode refletir o fato de as pacientes terem acompanhamento fisioterapêutico desde o diagnóstico do câncer de mama, conforme rotina institucional, com recomendações para evitar grandes esforços (Sousa, 2013).

No estudo de (Roberti, 2016) evidencia-se que o tratamento oncológico teve influência negativa na funcionalidade do membro supeior e na rotação lateral do ombro homolateral á cirurgia com consequente prejuízo no retorno ao trabalho, sendo o momento de início da fisioterapia para essas mulheres extremamente tardio. Dessa forma, há necessidade de abordagem fisioterapêutica no pré e pós operatório imediato assim como durante o tratamento adjuvante, de maneira sistemática e estruturada.

Sobre resultadosobservou-se que os autores concordam que a fisioterapia motora é benéfica no pós operatório de câncer de mama, sendo indispensável no protocolo de reabilitação dessas mulheres para evitar a perda da amplitude de movimento e complicações. Não há consenso quanto a exercícios e número de sessões, por ser uma conduta que depende de uma avaliação individualizada.

  1. CONCLUSÃO

Foi visto que o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Que além dos tratamentos convencionais, a fisioterapia é utilizada.

Para chagar a uma melhor conclusão foi conceituado o câncer de mama; apresentado os tipos de cirurgias; e foi destacado o trabalho da fisioterapia motora, sua importância no pós-operatório.

Assim a hipótese levantada pode ser confirmada, apesar de ter sido encontrado poucos trabalhos que tenham como objetivo principal a fisioterapia motora.

De acordo com os estudos analisados a fisioterapia motora constitui-se numa importante ferramenta a ser utilizada no pós-operatório de câncer de mama nos primeiros 30 dias, minimizando complicações e melhorando a qualidade de vida dessas mulheres.

Cabe ressaltar a necessidade de novos estudos que utilizem a fisioterapia motora como conduta principal para maior evidência científica.

4. REFERÊNCIA

Instituto Nacional de Câncer. Ministério da Saúde. Tipos de câncer: Câncer de mama. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-mama . Acesso em 10 Out 2020.

Site Ministério da Saúde – Câncer de mama: sintomas, tratamento, causas e prevenção. Disponível em https://saude.gov.br/saude-de-a-z/cancer-de-mama .Acesso em Março de 2020.

SOUSA, E.; CARVALHO, F.N.; BERGMANN, A.; FABRO, E.A.N.; DIAS.R.A.; KOIFMAN,R.J. Funcionalidade de membro superior em mulheres submetidas ao tratamento do câncer de mama. Revista Brasileira de Cancerologia 2013;59(3): 409-417. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/rbc/n_59/v03/pdf/11-artigo-funcionalidade-membro-superior-mulheres-submetidas-tratamento-cancer-mama.pdf . Acesso em 10 Out 2020.

SILVA, M.D.; RETT, M.T.; MENDONÇA, A.C.R.; SILVA, JÚNIOR, W.M.; PRADO, V.M.; DESANTANA, J.M. Qualidade de vida e movimento do ombro no pós operatório de câncer de mama: Um enfoque da fisioterapia. Revista Brasileira de Cancerologia 2013;59(3): 419-426. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/site/arquivos/n_59/v03/pdf/12-artigo-qualidade-vida-movimento-ombro-pos-operatorio-cancer-mama-enfoque-fisioterapia.pdf . Acesso em 09 Out 2020.

RETT, M.T.; OLIVEIRA, I.A.; MENDONÇA, A.C.R.; BIANA, C.B.; MOCCELLIN, A.S.; DESANTANA, J.M. Abordagem fisioterapêutica e desempenho funcional no pós operatório de câncer de mama. Fisioter Mov. 2017 jul/sep; 30(3): 493-500. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-892013 . Acesso em 09 Out 2020.

ROBERTI, B.F.A.; SCUDELLER, T.T.; AMARAL, M.T.P. Influência do tratamento do câncer de mama na funcionalidade do membro superior e no retorno á atividade laboral. Rev. Ciênc. Méd., Campinas, 25(2): 69-76, maio/ago., 2016. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-833195 . Acesso em 09 Out 2020.

SILVA, M.P.P.; DERCHAIN, S.F.M.; REZENDE, L.; CABELLO, C.; MARTINEZ, E.Z. Movimento do ombro após cirurgia por carcinoma invasor de mama: Estudo randomizado prospectivo controlado de exercícios livres versus limitados a 90° no pós operatório. RBGO-v.26, n°2,2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbgo/v26n2/a07v26n2.pdf . Acesso em 09 Out 2020.

LEAL, T.O.; CARDOSO, K.Q.; KALIF, S.K.; ALMEIDA, F.B.; FONTELLES, M.J. A fisioterapia na disfunção motora do membro superior pós-mastectomia radical modificada. Rev. para. med; 19(2):41-46, abr.-jun. 2005. tab. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/ . Acesso 09 Out 2020.

ESTEVÃO, A.; MENDES, A.F.; SILVA, M.L.; VENTURA, P.L.; BIAGI, A.C.; CUNHA, M.C.B. Exercícios Imediatos versus exercícios tardios no pós operatório de cirurgias oncomamárias: limitação ou liberação da amplitude de movimento?. Revista Brasileira de Cancerologia 2018; 64(4):551-560. Disponível em https://rbc.inca.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/205/136 . Acesso em 09 Out 2020.

FERREIRA, T.C.R.; OLIVEIRA, E.S.P.; TEIXEIRA, E.S. Atuação da fisioterapia no pós operatório de mastectomia. Revisão sistemática. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 12, p. 765-776, ago./dez. 2014. Disponível em: http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/1533 . Acesso em 09 Out 2020.

SILVIA, S.H.; GODOY, J.M.P.; RINCÃO, G.C.; PASCHOAL, L. Cinesioterapia na amplitude articular do ombro no pós-cirúrgico do câncer de mama. Fisioter. Bras; 8(3):168-172, maio-jun. 2007. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-491278 . Acesso em 09 Out 2020.

RETT, T.M.; MESQUITA, P.J.; MENDONÇA, A.R.C.; MOURA, D.P.; DESANTANA, J.M. A cinesioterapia reduz a dor do membro superior de mulheres submetidas á mastectomia ou quadrantectomia. Rev Dor. São Paulo, 2012 jul-set;13(3): 201-7. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rdor/v13n3/v13n3a02 . Acesso em 09 Out 2020.

FRETTA, T.B.; BOING, L.; BUSSMANN, R.M.; GUIMARÃES, A.C.A. Tratamento de reabilitação para dor em mulheres com câncer de mama. BrJP. São Paulo, 2019 jul-set;2(3):279-83. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/brjp/v2n3/pt_2595-0118-brjp-02-03-0279.pdf . Acesso em 09 Out 2020.

NASCIMENTO, S.L.; OLIVEIRA, R.R.; OLIVEIRA, M.M.; AMARAL, M.T.P. Complicações e condutas fisioterapêuticas após cirurgia por câncer de mama: estudo retrospectivo. Fisioter Pesq.2012/19(3):248-255. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/fp/v19n3/a10v19n3.pdf. Acesso em 09 Out 2020.

Instituto Nacional do Câncer; Ministério da Saúde. Conceito e magnitude do câncer de mama. Disponível em: https://www.inca.gov.br/controle-do-cancer-de-mama/conceito-e-magnitude .Acesso em 10 Out 2020.

Instituto Nacional do Câncer; Ministério da Saúde. Fatores de risco para o câncer de mama. Disponível em: https://www.inca.gov.br/controle-do-cancer-de-mama/fatores-de-risco .Acesso em 10 Out 2020.

Instituto Nacional do Câncer; Ministério da Saúde. Tratamento para o câncer de mama. Disponível em: https://www.inca.gov.br/controle-do-cancer-de-mama/acoes-de-controle/tratamento . Acesso em 10 Out 2020.

Silva, Elen

Benefícios da fisioterapia motora no pós operatório de câncer de mama / Elen Silva, – Amazonas, 2020.

10 f.

Trabalho de Conclusão de Curso (graduação) – Universidade Maurício de Nassau. Curso de Fisioterapia. Amazonas, 2020.

Orientador: Francisco Carlos Santos Cerqueira

1. Câncer de mama. 2. Tipos de cirurgias do câncer de mama. 3 Fisioterapia motora 4. Análise, discussão e resultados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.