AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E INCIDÊNCIA DE QUEDAS EM INDIVÍDUOS DA TERCEIRA IDADE PRATICANTES DE YOGA

Life quality and falls incidence of aged practising of yoga appraisal

Danielle Carvalho Rodrigues*; Renata Cesário Torres*; Tatiane Barcelli de Oliveira*; Marcelo Zaharur**.

*Danielle Carvalho Rodrigues; Acadêmica de Fisioterapia da Faculdades Integradas de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos.
*Renata Cesário Torres; Graduada em Fisioterapia pela Faculdades Integradas de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos.
*Tatiane Barcelli de Oliveira; Graduada em Fisioterapia pela Faculdades Integradas de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos.
**Marcelo Zaharur; Graduado e professor em Fisioterapia pela Faculdades Integradas de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos; Mestre em Engenharia Biomédica.

Resumo

Introdução: O envelhecimento é um processo progressivo, levando á alterações morfológicas, funcionais e bioquímicas, proporcionando aumento de eventos incapacitantes, como quedas. Contudo, o yoga é um dos principais exponentes na promoção de saúde e qualidade de vida.
Objetivo: Verificar os benefícios do yoga em indivíduos da terceira idade, assim como qualidade de vida e incidência de quedas.
Casuística e métodos: O estudo teve uma amostra de 15 indivíduos com faixa etária igual ou superior a 60 anos, de ambos sexos, praticantes de Yoga. Foram aplicados os questionários SF-36 e um questionário complementar.
Resultado: Segundo os questionários, 73,33% eram do sexo feminino e 26,67% do sexo masculino, com média de 67,7 anos. Sobre sua saúde, 46,67% relataram ter boa saúde, 40,00% ótima saúde e 13,33% saúde ruim. Sobre à ocorrência de quedas em 2007, 26,67% sofreram quedas e 73,33% não. Quanto à qualidade de vida, obteve-se na capacidade funcional uma média de 71,00, aspectos físicos 71,67, dor 67,17, estado geral de saúde 78,27, vitalidade 68,33, aspectos sociais 80,00, aspecto emocional 75,55 e saúde mental 75,47.
Conclusão: O Yoga traz benefícios aos indivíduos da terceira idade, melhorando assim qualidade de vida, possivelmente por permitir uma integração dos aspectos físicos, mentais e espirituais.

Abstract

Introduction: The aging is a progressive process in which there are morphological, functional and biochemical alterations, causing increase of incapacitating events, like falls. However, the yoga is one of the principal exponents for promotion of healthy and life quality.
Objective: Verifying the yoga benefits in old people, as well their life quality and incidence of falls.
Materials and methods: The study formed by a sample of 15 sixty years old or more individuals, of both sex, yoga practitioners. They were applied the SF-36 and a complementary questionnaires.
Result: According to the questionnaire, 73,33% individuals were of female sex and 26,67% male, with a average of 67,7 years old. About health, 46,67% stated to have good health, 40,00% stated great health and 13,33% stated bad health. As for falls happening in 2007, 26,67% undergo falls and 73,33% didn’t. As for life quality aspects, in functional capacity the average was of 71,00, in physical aspects 71,67, in pain 67,17, in general health status 78,27, in vitality 68,33, in social aspect 80,00, in emotional aspect 75,55 and in mental health 75,47.
Conclusion: The Yoga brings benefits for old people, improving their life quality, possibly because allows integration among physical, mental and spiritual aspects.

Palavras Chaves: Idoso, Quedas, Qualidade de vida, Yoga

Introdução

O envelhecimento é um processo dinâmico e progressivo, no qual há alterações morfológicas, funcionais e bioquímicas, alterando progressivamente o organismo e tornando-o mais suscetível ás agressões (1).
As manifestações do envelhecimento geralmente são bem evidentes e observáveis e englobam alterações nos sistemas: osteoarticular, muscular, cardiovascular, respiratória, nervoso e vestibular (2).
Com o aumento da proporção de idosos na população brasileira, vêem á tona eventos incapacitantes nesta faixa etária, do qual destaca-se a ocorrência de quedas (3).
A queda é definida como o deslocamento não intencional do corpo para um nível inferior á posição inicial com incapacidade de correção em tempo hábil, determinado por circunstâncias multifatoriais comprometendo a estabilidade (4).
A incidência de quedas varia de acordo com a faixa etária, o sexo e o local de moradia, porém quanto maior a faixa etária, maior o risco de queda (5).
As quedas podem ser ocasionadas por: alterações do processo de envelhecimento, doenças especificas, medicamentos, iluminação inadequada, superfícies escorregadias, obstáculos no caminho, calçados inadequados, roupas excessivamente largas e compridas e via pública mal conservada (4).
A longevidade, as alterações do processo de envelhecimento e a incidência de quedas têm implicações importantes para a qualidade de vida (6).
Segundo a Organização Mundial de Saúde, qualidade de vida é a percepção do individuo sobre sua posição na vida, no contexto da cultura, de valores dos quais ele vive aos seus objetivos, expectativas e preocupações (7).
A qualidade de vida pode ser avaliada através do questionário SF-36, que avalia o estado de saúde e o impacto da doença na vida diária. O SF-36, é um questionário genérico, que originalmente foi formulado na língua inglesa, sendo traduzido e validade para a língua portuguesa. É composto por 36 itens, englobando 8 escalas ou componentes sendo: capacidade funcional, aspecto físico, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspecto social, aspecto emocional e saúde mental. Seu escore final vai de 0 a 100, onde 0 equivale a um pior estado de qualidade de vida e 100 equivale a um melhor estado de qualidade de vida (8).
Sabe-se que um estilo de vida mais ativo permite manter ou melhorar as suas capacidades funcionais, independência e qualidade de vida, encerrando vários objetivos aos níveis físico-fisiológico, social e psicológico, tornando-se fundamental criar e promover a idéia em todos os escalões de um estilo de vida mais ativo (9).
E uma alternativa para manter um estilo de vida mais ativo é o Yoga, que é um método de integração harmônica dos aspectos físicos, mentais e espirituais, possibilitando uma melhor relação do homem com o meio que o rodeia (10).
O Yoga é uma palavra sânscrita que significa união ou integração do homem com seu universo, sendo definidos como uma ciência, uma filosofia de vida e uma reeducação integral do individuo, que abrange desde o corpo físico até as emoções e pensamentos (11).
A origem do Yoga é incerta, pois esta filosofia foi transmitida oralmente durante séculos, mas é algo que o modismo e a mídia nos fazem compreender, pois não é algo tão místico, nem uma simples terapia, o que sabe, no entanto, é que as pessoas que praticam a técnica, possuem maior quantidade de energia para as atividades, livram-se dos efeitos das emoções negativas, são competentes,tem bom humor, são criativos, melhoram a flexibilidade e se sentem mais relaxados (12).
Este estudo teve como objetivo verificar os benefícios do Yoga em indivíduos da terceira idade, assim como da qualidade de vida e incidência de quedas.
Casuística e métodos

Foi realizado um estudo, do tipo transversal, com uma amostra constituída por 15 indivíduos com faixa etária igual ou superior a 60 anos, de ambos os sexos, praticantes do Yoga há mais de seis meses, do Espaço Terapêutico Namastê, localizado no Parque Vitória, Tucuruvi, São Paulo.
Para avaliar da qualidade de vida, foi realizado a aplicação do questionário SF-36 (13), e para avaliar da incidência de quedas, foi realizado a aplicação do questionário complementar para incidência de quedas.
A coleta dos dados, foi efetuada em setembro de 2007. Os dados foram analisados e expressos sob a forma de tabelas e gráficos.

Resultados
De acordo com os dados demográficos dos indivíduos participantes desse estudo, obtivemos (Tabela I):

Tabela I:

Quando o grupo avaliado foi questionado sobre os domínios do questionário SF-36, com relação ao domínio capacidade funcional, obteve-se uma média de 71,00 (±31,92), no domínio aspectos físicos, obteve-se uma média de 71,67 (±36,43), no domínio dor, obteve-se uma média de 67,17 (±24,81), no domínio estado geral de saúde, obteve-se uma média de 78,27 (±18,71), no domínio vitalidade, obteve-se uma média de 68,33 (±24,69), no domínio aspectos sociais, obteve-se uma média de 80,00 (±19,93), no domínio aspecto emocional, obteve-se uma média de 75,55 (±38,77), no domínio saúde mental, obteve-se uma média de 75,47 (±19,00) (Gráfico 1).


Ao serem questionados sobre a ocorrência de alguma queda no ano de 2007, 11 (73,33%) responderam que não sofreram quedas no ano de 2007 e 4 (26,67%) relataram terem sofrido quedas no ano de 2007, relacionando o relato do grupo com a qualidade de vida, tabulou-se então, a qualidade de vida sob dois aspectos, sendo os que sofreram quedas e os que não sofreram quedas no ano de 2007 (Gráfico 2).


Com relação á saúde, 7 (46,67%) indivíduos responderam que consideram que saúde é boa, 6 (40,00%) responderam que sua saúde é ótima, apenas 2 (13,33%) relataram que sua saúde é ruim (Gráfico 3).


Discussão

Com relação ao relato do estado de saúde, observou-se neste estudo que 46,67% consideram a sua saúde ótima e 40% boa, e nenhum (0%) consideraram sua saúde péssima, tal resultado pode ser esclarecido no estudo de Gharote, 2005 (15), que relata que qualquer pessoa pode praticar yoga desde que sejam considerados os limites individuais de idade e o estado da saúde, proporcionando sensação de bem-estar.
Quando questionado no presente estudo sobre a ocorrência de quedas no ano de 2007, foi observada uma taxa 26,67% que relatam ter sofrido queda, segundo Guimarães et al, 2004 (16), em seu estudo observou que idosos que praticam atividade física tem 5% de chances de quedas, contra 80% dos idosos que não praticam atividade física, e relata que a prática de exercícios físicos minimiza o risco de quedas.
No questionário SF-36, quando comparado à capacidade funcional do entrevistado com o relato de como classificava a sua saúde, constatou-se 78,33 que classificavam como tendo uma ótima saúde, e 27,5 relatando como péssima, o que afirma o estudo de Carvalho, 2006 (9), que um estilo de vida mais ativo, permite ao idoso manter ou melhorar as suas capacidades funcionais, independência e qualidade de vida.
Ainda correlacionando a capacidade funcional com os indivíduos que apresentaram quedas, com os indivíduos não apresentaram quedas, observou-se 53,75 contra 77,27, respectivamente. O mesmo diz Ferrer et al, 2004 (14) em seu estudo, relatando que quando um idoso sofre uma queda ocorre um desequilíbrio entre sua capacidade funcional e a demanda ambiental imposta para a execução de determinada tarefa.
O declínio das funções físicas que acompanham o processo de envelhecimento pode ser retardado através do treinamento físico adequado. O envelhecimento fisiológico acontece mais rapidamente para os sedentários (15). No presente estudo o domínio aspecto físico obteve média de 71,67.
No presente estudo, o domínio vitalidade obteve escore de 68,33, o que vai de encontro com o estudo de Kobayashi et al, 2005 (17), onde esse domínio obteve escore de 69.
Quando comparado a dor no presente estudo obteve-se 67,17 pontos, dados esses que contradiz o estudo de Lemos et al, 2006, (18) onde obteve – se escore de 83,20.
No presente estudo onde os domínios: saúde mental obteve escore 75,47, aspecto social obteve escore de 80, aspecto emocional obteve escore de 72,30 e estado geral de saúde obteve escore de 78,27, tal resultado pode ser esclarecido, segundo Guimarães et al, 2004 (16), onde relata que o exercício proporciona aumento do contato social, diminui os riscos de doenças crônicas, melhora a saúde física e mental, garante a melhora da performance funcional e conseqüentemente, leva a uma maior independência, autonomia e qualidade de vida do idoso.

Conclusão

Concluiu-se, após a aplicação dos questionários (SF-36 e um questionário complementar) e análise dos resultados, que o Yoga traz benefícios aos indivíduos da terceira idade, melhorando assim a qualidade de vida dos mesmos, possivelmente por permitir uma integração harmônica dos aspectos físicos, mentais e espirituais.

Agradecimentos

“Agradecemos a cooperação dos Mestres Marcelo Zaharur e Adriana Garcia Orfale, assim como dos mestres da graduação de fisioterapia da Faculdades Integradas de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos, pelo apoio e incentivo, além dos nossos familiares e amigos”.
Danielle Carvalho Rodrigues; Renata Cesário Torres; Tatiane Barcelli de Oliveira.

Referências bibiográficas

(1) GUIMARÃES, L.H.C.T.; ET AL. Comparação da propensão de quedas entre idosos que praticam atividades físicas e idosos sedentários. Revista neurociências. Minas Gerais, 12(2), 2004.

(2) FILHO, E.T.C.; NETTO, P. Fundamentos, clínica e terapêutica. 1ª Edição. São Paulo, Editora Atheneu, 2000.

(3) PERRACINI, M.R.; RAMOS, L.R. Fatores associados a quedas em uma coorte de idosos residentes na comunidade. Revista de Saúde Pública. São Paulo, 36(6), 2002.

(4) BUKSMAN, S.; ET AL. Queda em idosos: Projeto diretrizes. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina; (http://www.projetodiretrizes.org.br); 2001 – Visualizado em 29/03/2007

(5) FILHO, E.T.C.; NETTO, P. Fundamentos, clínica e terapêutica. 2ª Edição. São Paulo, Editora Atheneu, 2007.

(6) FREITAS, M.V.; ET AL. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 2ª Edição. Rio de Janeiro, Editora Guanabara – Koogan, 2006.

(7) FLEK, M.P.A. Aplicação de versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da Organização Mundial de Saúde. Revista de Saúde pública. São Paulo. 76-79, 1999.

(8) VITORINO, F.M.; ET AL. Utilização do SF-36 em ensaios clínicos envolvendo pacientes fibromiálgicos: determinação de critérios mínimos de melhora clínica. Revista Neurociências. Minas Gerais, 12(3), 2004

(9) CARVALHO, M.J. A atividade Física na terceira idade e relações intergeracionais. Revista Brasileira de Educação Física. São Paulo, 20(5), 71-72, 2006.

(10) GONZÁLEZ, V.L.; WATERLAND, A.D.P. Efectos del Hatha-Yoga sobre la salud parte I e II. Revista Cubana de Medicina, 14(5), 393-397, 1998.

(11) ESTEVES, B. Yoga para a 3ª idade. 3ª Edição. São Paulo: Editora Ícone, 2007.

(12) WALIA, I.J.; ET AL. Health Status of Nurse and Yoga. Nursing Journal of India, LXXX(9), 235-237, 1989.

(13) CICONELLI, R.M.; ET AL. Tradução párea a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Revista Brasileira de Reumatologia. São Paulo, 39(3), 1999.

(14) FERRER, M.L.P.; ET AL. Prevalência de fatores ambientais associados a quedas em idosos residentes na comunidade de São Paulo. Revista Brasileira de Fisioterapia. São Paulo, 8(2), 149-154, 2004.

(15) GHAROTE, M.L. Yoga aplicada. 3ª Edição. São Paulo: Editora Phorte, 2005.

(16) GUIMARÃES, L.H.C.T.; ET AL. Comparação da propensão de quedas entre idosos que praticam atividades físicas e idosos sedentários. Revista neurociências. Minas Gerais, 12(2), 2004.

(17) KOBAYASHI, C.M.; ANDOLFATO, P.T.; ANDOLFATO, R.T. Avaliação da qualidade de vida e depressão de idosos institucionalizados que realizam atividade assistida por animais comparados com controle. Monografia entregue a Faculdades de Guarulhos, 2005.

(18) LEMOS, A.; LIMA, L. F.; CARMO, W.S. Avaliação da qualidade de vida em idosos praticantes e não praticantes de atividade física. Monografia entregue a Faculdades de Guarulhos, 2006.
Anexos
Termo de consentimento livre e esclarecido
O objetivo deste estudo é comprovar os benefícios da pratica da Yoga em indivíduos da terceira idade e para isso serão aplicados questionários, como o SF-36 e um questionário complementar, aos indivíduos da terceira idade praticantes de Yoga do Espaço Terapêutico Namastê, localizado no Parque Vitória, Tucuruvi, São Paulo.
Esta avaliação será realizada pelas alunas Danielle Carvalho Rodrigues, Renata Cesário Torres e Tatiane Barcelli de Oliveira, para ser utilizado no trabalho de conclusão de curso, sendo os responsáveis o orientador e co-orientador, respectivamente, Marcelo Zaharur e Adriana Garcia Orfale que poderão ser encontrados na Rua Barão de Mauá, número 95, antigo 600, Centro de Guarulhos, Guarulhos, SP, telefone: 6409-3533, ramal: 237.
Cada individuo incluso no trabalho poderá recusar-se a responder os questionários se julgar conveniente, sem que isso o prejudique de alguma forma. As informações obtidas serão analisadas em conjunto com outros participantes, não sendo divulgado a identificação de nenhum participante. Não haverá despesas pessoais para o participante em qualquer fase do estudo. Sendo assim, responderemos a qualquer outra dúvida que aqui não foi esclarecida.
Acredito ter sido suficientemente informado a respeito das informações que li ou que foram lidas para mim, descrevendo a “Avaliação da qualidade de vida e incidência de quedas em indivíduos da terceira idade praticantes de Yoga”. Eu discuti com as alunas: Danielle Carvalho Rodrigues, Renata Cesário Torres e Tatiane Barcelli de Oliveira, sobre minha decisão em participar deste estudo. Ficou claro também que minha participação é isenta de despesas e não irá me prejudicar de forma alguma. Concordo voluntariamente em participar deste estudo e poderei retirar meu consentimento a qualquer momento, sem penalidade ou prejuízo.

_____________________________________ Data:_____/_____/_____
Assinatura do participante.
_____________________________________ Data:_____/_____/_____
Assinatura da testemunha.

Declaro que obtive de forma apropriada e voluntária o Consentimento Livre e Esclarecido deste participante para a participação neste estudo.

_____________________________________ Data:_____/_____/_____
Assinatura do responsável do estudo.

SF – 36 Questionário de Qualidade de vida (CICONELLI et al, 1999)

Instruções: esta pesquisa questiona você sobre sua saúde. Estas informações nos manterão informados de como você se sente e quão bem você é capaz de fazer suas atividades de vida diária. Responda cada questão marcando a resposta como indicado. Caso você esteja inseguro em como responder, por favos tente responder o melhor que puder.

1. Em geral, você diria que sua saúde é:
(circule uma)
– Excelente……………………………………………………………………………………………………..1
– Muito boa……………………………………………………………………………………………………..2
– Boa……………………………………………………………………………………………………………..3
– Ruim……………………………………………………………………………………………………………4
– Muito ruim…………………………………………………………………………………………………….5

2. Comparada há um ano atrás, como você classificaria sua saúde em geral, agora?
(circule uma)
– Muito melhor agora do que há um ano atrás…………………………………………………….1
– Um pouco melhor agora do que há um ano atrás………………………………………………2
– Quase a mesma de um ano atrás……………………………………………………………………3
– Um pouco pior agora do que há um ano atrás…………………………………………………..4
– Muito pior agora do que há um ano atrás…………………………………………………………5

3. Os seguintes itens são sobre atividades que você poderia fazer atualmente durante um dia comum. Devido a sua saúde, você tem dificuldade para fazer essas atividades? Neste caso, quanto?

6. Durante as ultimas 4 semanas, de que maneira sua saúde física ou problemas emocionais interferiram nas suas atividades sociais normais, em relação à família.
(circule uma)
– De forma nenhuma………………………………………………………………………………………..1
– Ligeiramente…………………………………………………………………………………………………2
– Moderadamente……………………………………………………………………………………………3
– Bastante………………………………………………………………………………………………………4
– Extremamente………………………………………………………………………………………………5

7. Quanta dor no corpo você teve durante as ultimas 4 semanas?
(circule uma)
– Nenhuma……………………………………………………………………………………………………..1
– Muito leve…………………………………………………………………………………………………….2
– Leve……………………………………………………………………………………………………………3
– Moderada…………………………………………………………………………………………………….4
– Grave…………………………………………………………………………………………………………..5

8. Durante as ultimas 4 semanas, quanto a dor interferiu com o seu trabalho normal (incluindo tanto o trabalho fora de casa e dentro de casa)?
(circule uma)
-De maneira alguma………………………………………………………………………………………..1
– Um pouco…………………………………………………………………………………………………….2
– Moderadamente……………………………………………………………………………………………3
– Bastante………………………………………………………………………………………………………4
– Extremamente………………………………………………………………………………………………5

9. Estas questões são sobre como você se sente e como tudo tem acontecido com você durante as ultimas 4 semanas. Para cada questão, por favos, dê uma resposta que mais se aproxime da maneira como você se sente. Em relação às ultimas 4 semanas:

10. Durante as ultimas 4 semanas, quanto do seu tempo a sua saúde física ou problemas emocionais interferiram com as suas atividades sociais (como visitar amigos, parentes, etc.)
(circule uma)
– Todo o tempo……………………………………………………………………………………………….1
– A maior parte do tempo………………………………………………………………………………….2
– Alguma parte do tempo………………………………………………………………………………….3
– Uma pequena parte do tempo…………………………………………………………………………4
– Nenhuma parte do tempo……………………………………………………………………………….5

11. O quanto verdadeiro ou falso é cada uma das afirmações para você?


Questionário complementar para quedas (FERRER et al, 2004)

Nome:______________________________________________________________
Data de nascimento:______ /______/______ Idade:_______anos

1. Sexo:
(1) Masculino.
(2) Feminino.

2. Estado civil:
(1) Nunca se casou ou morou com companheiro (a).
(2) Mora com esposo (a) ou companheiro (a).
(3) Viúvo (a).
(4) Separado (a), desquitado (a) ou divorciado (a).

3. Escolaridade: ¬¬¬¬¬¬¬
(1) Analfabeto.
(2) Sabe ler / escrever ou primário incompleto.
(3) Primário completo.
(4) Ginásio.
(5) Colegial / Curso superior.

4. O (a) Senhor (a) mora em seu domicilio:
(1) Só (Ninguém mais vive permanentemente junto).
(2) Somente com o cônjuge.
(3) Com outros de sua geração (com ou sem cônjuge).
(4) Com filhos (com ou sem cônjuge).
(5) Com netos (com ou sem cônjuge).
(6) Outros: ___________

5. Em geral o (a) Senhor (a) diria que sua saúde é:
(1) Ótima.
(2) Boa.
(3) Má.
(4) Péssima.

6. O (a) Senhor (a) usa óculos:
(1) Sim, enxergo bem.
(2) Sim, enxergo mal.
(3) Não, enxergo bem.
(4) Não, enxergo mal.
(5) Baixa visão/ cegueira.
(6) Enxergo bem, uso óculos somente para leitura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8. O (a) Senhor (a) utiliza bengala durante o dia?
(1) Sim.
(2) Não.

9. Quando o (a) Senhor (a) levanta durante a noite usa bengala?
(1) Sim.
(2) Não.

10.O (a) Senhor (a) faz uso diário de medicamentos?
(1) Sim.
(2) Não.

11. O (a) Senhor (a) sofreu alguma queda no ano de ¬¬¬2007?
(1) Sim.
(2) Não.

12. O (a) Senhor (a) sofria mais quedas antes de praticar Yoga?
(1) Sim.
(2) Não.

13. Já sofreu alguma fratura?
(1) Sim.
(2) Não.

14. Onde aconteceu sua ultima queda?
(1) Banheiro.
(2) Cozinha.
(3) Quarto.
(4) Sala.
(5) Corredor.
(6) Fora de casa.
(7) Outros: _________

15. Em qual parte do dia aconteceu sua queda?
(1) Manhã.
(2) Tarde.
(3) Final da tarde.
(4) Noite.

16. O que o (a) Senhor (a) estava fazendo no momento da queda?
(1) Indo do quarto para o banheiro.
(2) Alcançando algum objeto no armário ou na dispensa.
(3) Saindo ou entrando no chuveiro/ banheira.
(4) Levantando da cadeira para atender ao telefone.
(5) Preparando refeição.
(6) Outros:_________

17. A que o (a) Senhor (a) atribuiu a sua queda? Por que acha que caiu?
(1) Escorregou.
(2) Tropeçou.
(3) Desmaiou.
(4) Ficou tonto (a).
(5) Sentiu as pernas falharem.
(6) Outros:¬¬¬_________

18. Tipo de moradia:
(1) Sobrado.
(2) Casa térrea.
(3) Apartamento.
(4) Cortiço.
(5) Instituição.
(6) Outros:__________

19. O (a) Senhor (a) realizou alguma modificação ambiental após sua ultima queda?
(1) Sim
(2) Não

20. Modificou algum comportamento após a ultima queda, ou seja, tomou algum tipo de cuidado especial ou deixou de fazer alguma coisa após esta queda?
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.