Auriculoterapia traz benefícios para a saúde da mente e corpo

O tratamento é oferecido nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Criciúma.

Originária da medicina tradicional chinesa, a auriculoterapia é conhecida como um ramo da acupuntura. A terapia trata doenças, desconfortos, dores e desequilíbrios do corpo através do pavilhão auricular (orelha). O tratamento é oferecido gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Criciúma, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo a fisioterapeuta do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (Nasf), o pavilhão auricular funciona como um microssistema do corpo onde estão localizados pontos ligados aos órgãos, vísceras e articulações. “Pode ser feita com diversos materiais, semente de mostarda, micro agulhas, cristais, esferas. Mas a gente optou por usar semente de mostarda por ser mais tranquilo e confortável para os pacientes”, relata.

Depois de aplicado e colado com esparadrapo, os pontos devem ser pressionados pelo menos três vezes ao dia para reequilibrar os órgãos. “As sementes permanecem por cinco dias na orelha e depois o paciente retira elas em casa mesmo, fica com dois dias de descanso e retorna no oitavo dia para aplicar novamente. As sessões são feitas uma vez por semana durante sete semanas consecutivas”, explica.

Os benefícios das sementinhas

Além de tratar as dores do corpo, a auriculoterapia também traz benefícios para a mente, auxiliando nos casos de insônia, angustia e depressão. O tratamento pode ser aplicado em qualquer pessoa, de qualquer idade, desde bebês até idosos e não há contraindicação.

“É um tratamento comprovado, aprovado e é uma recomendação do Ministério da Saúde. Traz benefícios para a mente e corpo, é uma forma alternativa no tratamento de doenças crônicas. É um complemento fantástico”, ressalta o secretário municipal de Saúde, Acélio Casagrande.

Além dos fisioterapeutas, enfermeiros e médicos também podem realizar essas práticas nos pacientes. “Hoje a atuação da auriculoterapia é dentro das Práticas Integrativas e Complementares, que nós chamamos de PICs. Quem quiser fazer pode procurar a sua unidade de saúde para ver como será feito o atendimento”, afirma a coordenadora da Atenção Básica, Letícia Vieira, acrescentando que os profissionais da Secretária Municipal de Saúde passaram por capacitação sobre a auriculoterapia em 2019.

Fonte: http://www.engeplus.com.br

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.