Atleta brasileira se machuca no Pan, fica fora do Mundial de atletismo e inicia trabalho de fisioterapia

Joelma Sousa recebe diagnóstico do COB após queda nos 400m rasos em Toronto. Exames apontam gravidade, e brasileira fica pelo menos três meses fora das pistas

A corredora Joelma Sousa vai ficar fora das pistas por pelo menos três meses. De acordo com a avaliação médica do Comitê Olímpico Brasileiro, a atleta vai precisar ficar afastada em tratamento até se recuperar totalmente da lesão sofrida nas semifinais dos 400m dos jogos Pan-Americanos de Toronto. A brasileira sentiu dores na região da coxa após a largada e saiu amparada por cadeira de rodas. Por conta disto, Joelma está fora do Mundial de atletismo que acontece entre os dias 22 e 20 de agosto em Pequim, na China.

– Estou tranquila e bem conformada com o que aconteceu. Será mais um obstáculo para ser superado na minha vida. Tenho fé que vou me recuperar. Eu quero estar bem fisicamente na próxima temporada e começo hoje a busca por isso. Quero zerar essa lesão e começar o ano bem. Este tratamento aqui é a busca pelo índice nos 400m que está faltando – confessou a atleta.

Joelma das Neves Sousa (Foto: Arquivo Pessoal)

Os exames apontaram lesão grau 3 no músculo adutor da coxa esquerda, região próxima à virilha. Medicada, Joelma segue em trabalho de fisioterapia diário. Contudo, a atleta não nega a  frustração por estar temporariamente fora da briga por uma vaga olímpica na prova dos 400m rasos, sua especialidade. Contudo, Joelma Sousa espera ter presença garantida nos jogos do Rio 2016 no revezamento 4×400 feminino, vaga que ela ajudou o país a conquistar em maio no Mundial das Bahamas.

– Mesmo com esta lesão, não descarto um retorno leve às atividades dentro destes três meses. Ela tem reagido bem à medicação e às sessões de fisioterapia. Agora vamos focar nessa parte de flexão da perna e reforço muscular – explicou o fisioterapeuta.

Natural da cidade de Timon, no Maranhão, Joelma Sousa tem até maio do ano que vem para correr abaixo dos 52seg, índice olímpico exigido nos 400m feminino. Enquanto isso ela se divide entre as sessões diárias de fisioterapia de segunda à sábado em em Praia Grande, na baixada santista, em São Paulo, onde ela reside.

Se desejar, use os botões abaixo para compartilhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.